Seis razões para evitar o exercício aeróbico

Sendo treinador de força e de acondicionamento, bem como treinador pessoal durante bastantes anos, tive a possibilidade de ver muitos entusiastas do fitness a treinar em ginásios diferentes em Portugal.

Em qualquer ginásio ou centro de fitness, uma coisa que reparo é que você vê as mesmas pessoas a fazer sempre os mesmos treinos, mês após mês, ano após ano. O incrível é que essas pessoas continuam a ter a mesma aparência, o seu nível atlético mantém-se igual ou até pioram a sua aparência em termos estéticos!

Isto é especialmente verdade com os indivíduos que estão sempre a realizar trabalho aeróbico de forma constante, ou para ser mais especifico, acondicionamento aeróbico de baixa intensidade.

O que é triste nisto, é que essas pessoas sentem que estão a fazer algo que é necessário para obter os resultados que procuram. Estão resignadas ao facto de que esta é a forma como as coisas são e que não há nada que possa ser feito para corrigir as suas deficiências. Se lhes perguntarmos a essas pessoas quais os resultados que gostariam de obter do seu treino, a resposta número um é “perder peso, ou ficar mais magro.”

Quando conheço pessoas nas áreas onde opera os ginásios “Coro Fitness” em Aventura, Hallandale Beach, Sunny Isles Beach, Miami Beach, Miami, Coral Gables, Coconut Grove, Ft. Lauderdale e outras áreas da Florida, e me perguntam, o que é necessário para obter uma aparência mais “fitness”, a primeira questão que faço é: Há quanto tempo realiza o seu actual programa de treino?”

A resposta habitual é “algo entre 2 a 12 meses.” O típico programa que seguem é umas vezes por semana de treinos de musculação com máquinas que isolam os músculos e 30-60 minutos de exercício aeróbico contínuo 3 a 5 vezes por semana numa máquina de cárdio, corrida, patinagem ou bicicleta no exterior, ou participar em algum tipo de aulas de grupo no ginásio.

Os especialistas dizem-nos que isso não é a forma mais adequada de obter resultados ao longo do tempo. O mundialmente reconhecido “guru” da força e fitness Charles Poliquin, identificou 6 razões pelas quais o exercício aeróbico é contra produtivo para perda adiposa e que eu sempre partilho com os clientes dos ginásios Coro Fitness:

(1) O exercício aeróbico contínuo estagna após 8 semanas de treino, por isso, qualquer coisa mais longa que isso, é contra-produtivo.

Esta é uma afirmação que abre os olhos a muita gente, que reconhecem imediatamente que estiveram a perder o seu tempo durante um certo período. Charles afirma: Utilizando este princípio na preparação para as olimpíadas, a equipa de Ski alpino do Canadá, ultrapassou a performance da equipa de “Cross- country” tal como foi medido por laboratórios independentes universitários. “Quem não gostaria de obter uma performance idêntica á da equipa alpina de ski do Canadá?

(2) O treino aeróbico diminui a força local e sistémica – por outras palavras, pode torná-lo mais lento.

Se é um atleta ou “guerreiro de fim de semana”, que gosta de participar em eventos atléticos ou desportos de equipa que requerem velocidade de capacidade de salto, esta é a ultima coisa que pretende de um programa de treino cardiovascular.

Poliquin afirma também: Quanto mais exercício cardiovascular de pernas realizar, mais irá piorar o seu salto vertical. Quando mais treino aeróbico do tronco realizar, mais pioram os seus lançamentos de bola medicinal.

(3) O exercício aeróbico aumenta o stress oxidativo, que pode acelerar o processo de envelhecimento.

De acordo com a endocrinologista Dr. Diana Schwarzbein (autor do “The Schwarzbein Principle II”) a oxidação é um processo que forma radicais livres no organismo. Normalmente, o corpo pode neutralizar essas substâncias com antioxidantes.

É apenas quando existe um aumento excessivo de radicais livres que o organismo não consegue neutralizar todos os radicais livres. Isso leva a mudanças no metabolismo que podem acelerar o processo de envelhecimento.

(4) O treino aeróbio aumenta o stress adrenal que pode levar ao excesso de peso e causar outras consequências indesejáveis para a saúde.

De acordo com o Dr. James Wilson (autor do “Adrenal Fatigue – The 21st. Century Stress Syndrome”) as glândulas adrenais em funcionamento, segregam pequenas, e no entanto, quantidades precisas e equilibradas de hormonas esteróides”.

Quando um indivíduo realiza demasiado exercício aeróbico, as glândulas adrenais são stressadas duma forma que pode perturbar o equilíbrio e poderia levar á fadiga adrenal.

A fadiga adrenal está associada a sintomas como: cansaço, receio, alergias, gripes frequentes, artrites, ansiedade, depressão, memoria reduzida, e dificuldades de concentração, insónias, sensação de desgaste, e mais importante, com respeito a este artigo – a incapacidade de perder peso depois de esforços extensivos.

(5) O exercício aeróbico aumenta a massa adiposa em indivíduos stressados através do aumento do stress.

Se já está a sofrer de bastante stress na sua vida, então adicionar stress extra através da realização de demasiado exercício aeróbico continuo, irá na verdade, adicionar mais gordura corporal, tornando ainda mais difícil os objectivos de perda de peso/massa adiposa.

O exercício aeróbico piora o rácio de testosterona/cortisol que impede a sua capacidade de aumentar a sua massa muscular, que por sua vez iria queimar gordura extra.

Quando o rácio de testosterona/cortisol diminuiu, diminuiu também a sua capacidade de ganhar massa muscular limpa, que ajuda a aumentar o seu gasto calórico diário, tornando assim muito mais difícil a perda de massa adiposa. Poliquin afirma: “O trabalho aeróbico contínuo é basicamente, castração induzida por exercício.”

Dei-lhe seis razões pelas quais o exercício aeróbico contínuo é contra-produtivo para o seu treino. O meu propósito é esclarecer a população que tem sido levada a acreditar que só existe uma forma de treinar o sistema cardiovascular.

Proporciono aos meus clientes uma estratégia alternativa para trabalhar o sistema cardiovascular que é mais eficiente e demora menos tempo a completar.

Comparação entre o sistema anaeróbico e aeróbico:

  • Aumenta a potência, velocidade, e força
  • Melhora a saúde cardiovascular
  • Queima gordura corporal
  • Queima músculo
  • Auxilia em todos os desportos
  • Desenvolve capacidade aeróbica
  • Desenvolve capacidade anaeróbica.

A questão da gordura corporal

Muitas vezes pergunto aos meus clientes: “Quem possui menos gordura corporal, um sprinter ou um maratonista?” A resposta que recebo dos meus clientes é quase sempre “o maratonista”.

No entanto, a resposta correta é “um sprinter!” (Durante 18 anos como treinador de força e acondicionamento, bem como treinador pessoal, apenas duas pessoas responderam corretamente a esta questão!).

Pode compreender agora, porque razão o publico geral, ao qual sempre foi dito que tem de realizar exercício aeróbico continuo de forma a “queimar” gordura, pensa desta forma. Os sprinters não realizam praticamente nenhum tipo de exercício aeróbico, no entanto, possuem uma percentagem de gordura corporal mais baixa. Como é possível?

A razão para isso acontecer, tem a ver com a natureza intensa do seu treino. Quanto mais elevada for a intensidade (ex: intensidade é a percentagem do ritmo cardíaco máximo, não a intensidade do esforço) mais calorias serão queimadas por minuto durante o treino. Para além disso, (e mais importante), o gasto calórico é aumentado durante 24-48 horas após o treino.

O poder do treino Intervalado

A forma das pessoas aumentarem a intensidade do seu treino é realizando treino Intervalado. O treino Intervalado alterna entre fases de exercício de alta intensidade com exercícios de intensidade moderada. Estudos recentes mostraram que o treino Intervalado é mais eficiente para a perda adiposa ao mesmo tempo que melhora a capacidade aeróbica e anaeróbica.

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.