Refrigerantes açucarados associados a pressão arterial mais elevada

Os refrigerantes e outras bebidas adoçadas com açúcar, como sumos de fruta, estão associados a níveis mais elevados de pressão arterial em adultos, isto segundo o que investigadores afirmaram em “Hypertension: Journal of the American Heart Association”.

No Estudo Internacional dos Macro/Micronutrientes e Pressão Arterial (INTERMAP), para cada bebida bebidas adoçadas com açúcar extra por dia, em média, os participantes tiveram um aumento significativo da pressão arterial sistólica por 1,6 milímetros de mercúrio (mm Hg) e a pressão arterial diastólica acima de 0,8 mm Hg. Os investigadores afirmaram que estes valores mantiveram-se estatisticamente significativos mesmo após o devido ajuste para diferenças na massa corporal.

Os investigadores encontraram níveis mais elevados de pressão arterial em indivíduos que consumiram mais glicose e frutose, ambos são adoçantes encontrados no xarope de milho rico em frutose, o açúcar adoçante mais comummente usado pela indústria de bebidas.

Se pretende optimizar a sua saúde, evitar os refrigerante é uma boa ideia.

A pressão arterial mais elevada foi mais acentuada em pessoas que consumiram níveis elevados de açúcar e sódio. Eles não encontraram nenhuma associação consistente entre o consumo de refrigerantes “light” e níveis de pressão arterial.

Aqueles que bebiam refrigerante “light” tiveram maior média de IMC do que aqueles que não o fizeram e menores níveis de atividade física.

Paul Elliott, Ph.D., autor sénior e professor do Departamento de Epidemiologia e Bioestatística na Faculdade de Saúde Pública do Imperial College de Londres, afirmou:

Isso aponta para outra possível intervenção para reduzir a pressão arterial

Estes resultados dão suporte para as recomendações para reduzir o consumo de bebidas adoçadas com açúcar, bem como evitar a adição de açúcares e de sódio num esforço para reduzir a pressão arterial e melhorar a saúde cardiovascular.

No INTERMAP, os investigadores analisaram o consumo de bebidas adoçadas com açúcar, açúcar e bebidas “light” em 2.696 participantes, com 40 a 59 anos de idade, em oito regiões dos Estados Unidos e em duas áreas do Reino Unido.

Os participantes descreveram o que comeram e beberam durante quatro dias através de entrevistas exaustivas administradas por observadores treinados, foram submetidos a duas recolhas de urina de 24 horas, oito leituras de pressão sanguínea e responderam a um questionário detalhado sobre estilo de vida, fatores médicos e sociais.

Os pesquisadores descobriram que a ingestão de açúcar na forma de glicose, frutose e sacarose foi maior naqueles que consomem mais de uma bebida adoçada com açúcar por dia. Eles também descobriram que os indivíduos que consomem mais de uma porção por dia de bebidas adoçadas com açúcar, consumiram mais calorias do que aquelas que não, com um consumo médio de energia de mais 397 calorias por dia.

Aqueles que não consomem bebidas adoçadas com açúcar apresentaram um menor índice de massa corporal (IMC) do que aqueles que consumiam mais de uma dessas bebidas por dia.

Segundo Ian Brown, Ph.D.,investigador associado do Imperial College de Londres:

As pessoas que bebem uma grande quantidade de bebidas adoçadas com açúcar parecem ter dietas menos saudáveis. Elas estão a consumir calorias vazias, sem os benefícios nutricionais dos alimentos completos. Consomem menos magnésio, potássio e cálcio.

Um mecanismo possível para as bebidas adoçadas com açúcar e fructose aumentarem os níveis de pressão arterial é através do consequente aumento do nível de ácido úrico no sangue que por sua vez pode levar a uma diminuição dos níveis de óxido nítrico, necessários para manter os vasos sanguíneos dilatados. O consumo de açúcar também tem sido associado a um aumento da actividade do sistema nervoso simpático e à retenção de sódio.

As limitações deste estudo estão relacionadas com o facto de ter sido realizado de forma transversal e a dieta ter sido auto-relatada.

Brown afirmou:

Este é um estudo populacional. É um pedaço de prova num quebra-cabeças que tem de ser completado. Entretanto, as pessoas que querem consumir bebidas adoçadas com açúcar devem fazê-lo com moderação.

A American Heart Association recomenda que não se obtenha mais de metade das calorias “discretas” da dieta a partir de açúcares adicionados, o que para a maioria das mulheres norte-americanas não passa de 100 calorias por dia e para a maioria dos homens americanos não passa das 150 calorias por dia.

Calorias “discretas” são as calorias restantes que faltam para preencher as necessidades calóricas diárias de um indivíduo, depois de consumir os tipos e as quantidades recomendadas dos alimentos necessários para atender todas as necessidades diárias de nutrientes.

Este estudo foi financiado pelo The National Heart, Lung, e Blood Institute, National Institutes of Health, Chicago Health Research Foundation e agências nacionais na China, Japão e Reino Unido.

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram