Realizar alongamento antes de um treino não impede a ocorrência de lesões

Realizar alongamento antes de uma corrida não previne, nem provoca lesões, de acordo com um estudo apresentado na “Annual Meeting of the American Academy of Orthopaedic Surgeons de 2011” (AAOS).

Mais de 70 milhões de pessoas em todo o mundo correm de forma recreativa ou competitiva, e, recentemente, houve uma controvérsia sobre se os corredores devem realizar alongamentos antes de correr, ou não. Este estudo incluiu 2.729 corredores que correm 10 ou mais quilómetros por semana.

Destes corredores, 1.366 foram seleccionados de forma aleatória para um grupo de alongamento, e 1.363 foram incluídos para um grupo que não realizou alongamentos antes do treino. Os corredores do grupo dos alongamentos, alongaram os seus quadríceps, femorais e os grupos musculares dos gémeos/músculo solear. A rotina de alongamentos durou 3 a 5 minutos e foi realizada imediatamente antes do treino de corrida.

O estudo constatou que o alongamento antes do treino não impede, nem provoca lesões. Na verdade, os factores de risco mais significativos para a ocorrência de lesão são os seguintes:

  • Historial de lesões crónicas ou de lesões nos últimos quatro meses;
  • Índice de massa corporal (IMC) e
  • Mudança de rotinas de alongamento pré-treino (atletas que normalmente realizam alongamentos ao final do treino e aqueles que realizam alongamentos antes de começarem a correr).

Daniel Pereles, MD, autor do estudo e cirurgião ortopédico de “Montgomery Ortopedics” fora de Washington, DC, afirmou:

Sendo eu próprio um corredor, pensava que realizar alongamentos antes de uma corrida ajudaria a prevenir lesões. Entretanto, descobrimos que o risco de lesão foi igual para homens e mulheres, fossem ou não corredores de curta ou longa distância, e em todos os grupos etários.

Mas à medida que o número de quilómetros percorridos, ou quanto mais pesado e mais velho fosse o corredor, mais provável era que ele ou ela se tornasse susceptível a lesionar-se, e aqueles que se tinham lesionado à menos de quatro meses estavam predispostos a sofrer ainda mais lesões.

Alguns dos corredores que normalmente realizam alongamentos como parte da sua rotina de pré-corrida foram selecionados de forma aleatória e instruídos para não realizarem alongamentos. Durante o período do estudo, esses indivíduos tiverem muito mais probabilidades de desenvolver uma lesão.

Embora todos os corredores que mudaram de rotina, tenham tido maiores probabilidades de desenvolver uma lesão do aqueles que não mudaram de rotina, o grupo que parou de realizar alongamentos, sofreu mais lesões. Isto significa que uma mudança no regime de treino pode ser mais importante do que o regime em si mesmo.

As lesões mais comuns ocorreram nas virilhas, no pé/tornozelo e no joelho. Em termos de desenvolvimento de lesões em localizações específicas ou de diagnósticos, não houve diferença significativa nas taxas de lesões entre os corredores que realizaram alongamentos e os corredores que não os realizaram.

Fonte: Sciencedaily

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.