Químicos do vinho tinto, frutas e vegetais podem prevenir o cancro e as doenças cardíacas

O próximo medicamento contra o cancro pode vir diretamente da sua mercearia, de acordo com uma nova pesquisa publicada em Novembro de 2007 do “The FASEB Journal”.

No estudo, os cientistas franceses descrevem como altas e baixas doses de polifenóis têm efeitos diferentes. Mais concretamente, eles descobriram que doses muito altas de polifenóis antioxidantes bloqueiam e previnem tumores cancerígenos, através da inibição da formação dos novos vasos sanguíneos necessários para o crescimento do tumor. Os polifenóis são comummente encontrados no vinho tinto, frutas, verduras e chá verde.

Com doses relativamente baixas, os pesquisadores franceses descobriram que os mesmos polifenóis desempenham um papel benéfico para aqueles com o coração e o sistema circulatório doente, facilitando o crescimento dos vasos sanguíneos.

Descobriu-se que a quantidade de polifenóis necessária para a obtenção deste efeito parece ser o equivalente a apenas um copo de vinho tinto por dia ou, simplesmente, seguir uma dieta saudável de frutas e legumes que contém polifenóis.

Este estudo também contribui para um crescente aumento dos dados de investigação que demonstram as relações dose-dependentes para muitos tipos de compostos mais usados. Por exemplo, a pesquisa publicada na edição de Outubro de 2006 do “The FASEB Journal” mostra que a aspirina, através de mecanismos diferentes, também tem uma relação dose-dependente para a doença cardíaca e cancro.

Gerald Weissmann, MD, editor-chefe do FASEB Journal afirmou:

Quando se trata de encontrar tratamentos para doenças complexas, as respostas estão, por vezes, ali mesmo à espera de serem descobertas, em lugares inesperados, como na adega ou estante de vinhos da loja mais próxima.

Mas é necessário recorrer à ciência moderna para isolar o composto ativo, testá-lo em laboratório, e partir daí para encontrar novos agentes de combate à doença.

Segundo os autores, a quantidade de polifenóis necessárias para obter um efeito anti-cancro é o equivalente a beber cerca de uma garrafa de vinho tinto por dia. Esta quantidade de consumo diário de álcool, obviamente, não é saudável, mas a pesquisa sugere que os polifenóis extraídos de plantas ou de vinho tinto podem ser concentrados num comprimido que é altamente provável que seja seguro. Tal suplemento também seria relativamente fácil e barato de criar e distribuir.

Daniel Henrion, autor sénior do estudo afirmou:

O uso dos polifenóis de plantas como ferramentas terapêuticas apresenta vantagens importantes, porque eles têm um bom perfil de segurança, baixo custo e podem ser obtidos em qualquer parte do planeta.

Fonte: Sciencedaily

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.