Princípios Weider que funcionam – Treino de fluxo

Princípios Weider que funcionam - Treino de fluxoO treino de fluxo implica treinar um grupo muscular com múltiplos exercícios numa sessão de treino. A ideia aqui é inundar o músculo que está a trabalhar como sangue para que a entrega de nutrientes seja maximizada, de forma a facilitar a remodelação das fibras. Por outras palavras, treinar para a congestão muscular!

Princípios Weider que funcionam – Treino de fluxo

Ainda é um tema controverso se o aumento da entrega de nutrientes do treino de fluxo afeta a remodelação dos músculos, no entanto, o inchaço muscular associados derivado dos “ataques” repetidos de hiperemia reativa, podem muito bem promover adaptações hipertróficas.

As investigações têm vindo a demonstrar de forma repetida que uma célula hidratada aumenta a síntese de proteína ao mesmo tempo que se atenua a degradação de proteína (Haussinger et al. 1994 ; Ritz et al., 2003).

Esses efeitos são mediados por sensores nas fibras musculares que respondem aos aumentos do volume das células iniciando processos anabólicos como medida para reforçar a sua infraestrutura (Low et al., 1997). O resultado final é um maior desenvolvimento muscular.

Aqui tem a nossa opinião. A sobrecarga progressiva é crucial para obter progressos. Deverá assegurar-se de que está a ficar mais forte nos exercícios básicos, pesados.

No entanto, uma vez que já tenha realizado os seus movimentos compostos (e mais pesados) do treino, deveria definitivamente considerar escolher alguns exercícios que congestionem o músculo-alvo com a maior quantidade de sangue possível, particularmente se o seu objetivo principal for a hipertrofia muscular.

Princípios Weider que funcionam - Treino de fluxo
Aplique o princípio Weider do treino de fluxo realizando por exemplo algumas séries de um exercício de isolamento para o peitoral como o crossover.

Conclusão

Todos os bons praticantes de musculação aprendem de forma instintiva a congestionar os seus músculos, e esta estratégia parece ser única para cada praticante.

Alguns gostam de realizar flexões de tronco ou fundos em supersérie com aberturas (crucifixo) com halteres ou crossover para congestionar o peitoral, outros juram pelos “arrebenta-ombros” que consistem em tri-séries múltiplas de 10 repetições de elevações posteriores (voos), seguidos imediatamente por 10 repetições de elevações laterais, seguido imediatamente por 10 repetições de elevações frontais para congestionar os deltoides.

Aprenda quais são os melhores métodos para obter uma boa congestão para cada respetivo grupo muscular, e assegure-se de incorporá-los no final dos seus treinos após ter realizado um par de exercícios compostos pesados, com o foco na sobrecarga progressiva.

Leia também os restantes artigos desta série:

Siga-nos através das redes sociais.

Deixe uma resposta