A posição dos pés no leg press modifica a ativação muscular dos músculos das pernas?

posição pés leg pressNo mundo da musculação acredita-se que o posicionamento dos pés no exercício leg press poderá influenciar o recrutamento de diferentes grupos musculares dos membros inferiores.1

Das variações existentes do exercício leg press, as mais comuns envolvem o posicionamento dos pés, nomeadamente o posicionamento dos pés mais abaixo e também mais acima, na plataforma do equipamento.1

O que dizem os estudos?

Num estudo publicado em 2008, os investigadores pretenderam determinar como o posicionamento dos pés poderá influenciar a atividade dos músculos da parte inferior do corpo, durante a execução do exercício leg press.1

Para esse efeito, os investigadores recrutaram 14 mulheres e registaram a atividade eletromiográfica dos músculos reto femoral, vasto lateral, isquiotibiais, gastrocnémios e glúteo máximo, em três variações do exercício:

  • Leg press a 45°.
  • Leg press com os pés posicionados mais acima na plataforma.
  • Leg press com os pés posicionados mais abaixo na plataforma.

Resultados

Com um nível de esforço moderado (40% de 1 Repetição Máxima):

  • Colocar os pés mais abaixo produziu uma maior ativação do reto femoral e gastrocnémios.

A um nível de esforço mais elevado (80% de 1RM):

  • Posicionar os pés mais abaixo produziu uma maior ativação dos músculos reto femoral e vasto lateral.
  • Posicionar os pés mais acima produziu uma maior atividade no glúteo máximo.

Estes resultados sugerem que, se o objetivo for induzir maior ativação do reto femoral e vasto lateral (quadríceps), deve-se optar pela variação com os pés mais abaixo. Por outro lado, se o objetivo for induzir a atividade do glúteo máximo, deve-se executar a variação com os pés mais acima.

Outras variações

Em alguns casos também poderá ser interessante promover uma maior ativação muscular de um dado músculo do quadríceps comparativamente a outro. Isso poderá acontecer, por exemplo, quando se pretende melhorar a simetria dos quadríceps na prática de culturismo e, 2,3 no contexto da reabilitação, quando se pretende corrigir algum desequilíbrio muscular.4

Embora já tenham sido realizados dois estudos que não encontraram diferenças em termos de ativação muscular ao nível dos quadríceps, no exercício leg press, com diferentes técnicas,4 5 um estudo mais recente detetou diferenças significativas.6

O objetivo deste estudo foi analisar as respostas de eletromiografia superficial para o vasto lateral, vasto medial, reto femoral e isquiotibiais, bem como a taxa de ativação muscular do vasto medial/vasto lateral, no exercício leg press a 45°.

Os investigadores compararam três técnicas, a 70% de 1RM:

  • A técnica tradicional no leg press a 45°
  • Leg press com uma bola medicinal mantida entre os joelhos
  • Leg press com uma banda elástica banda elástica proximal às articulações dos joelhos.6

leg press com variaçõesEm termos de resultados, os investigadores observaram:

  • Maior atividade do vasto lateral e vasto medial oblíquo com a bola medicinal mantida entre os joelhos.
  • Maior taxa vasto medial/vasto lateral com a bola medicinal, durante a fase concêntrica.
  • Maior atividade do reto femoral com a liga elástica.6

Conclusão

De acordo com os trabalhos aqui apresentados, é possível focar mais o trabalho em grupos musculares específicos, adotando variações do clássico exercício leg press.

Estes dados poderão ajudar personal trainers e profissionais de reabilitação na prescrição de programas de exercício com o objetivo de promover a hipertrofia e ganhos de força em músculos específicos das extremidades inferiores e corrigir desequilíbrios musculares.6

Clique para mostrar/ocultar as referências

  1. Da Silva EM, Brentano MA, Cadore EL, De Almeida AP, Kruel LF. Analysis of muscle activation during different leg press exercises at submaximum effort levels. Journal of strength and conditioning research. 2008;22(4):1059-1065.
  2. Stoutenberg M, Pluchino AP, Ma F, Hoctor JE, Signorile JF. The impact of foot position on electromyographical activity of the superficial quadriceps muscles during leg extension. Journal of strength and conditioning research. 2005;19(4):931-938.
  3. Signorile JF, Lew KM, Stoutenberg M, Pluchino A, Lewis JE, Gao J. Range of motion and leg rotation affect electromyography activation levels of the superficial quadriceps muscles during leg extension. Journal of strength and conditioning research. 2014;28(9):2536-2545.
  4. Peng HT, Kernozek TW, Song CY. Muscle activation of vastus medialis obliquus and vastus lateralis during a dynamic leg press exercise with and without isometric hip adduction. Physical therapy in sport : official journal of the Association of Chartered Physiotherapists in Sports Medicine. 2013;14(1):44-49.
  5. Song CY, Lin YF, Wei TC, Lin DH, Yen TY, Jan MH. Surplus value of hip adduction in leg-press exercise in patients with patellofemoral pain syndrome: a randomized controlled trial. Physical therapy. 2009;89(5):409-418.
  6. Machado W, Paz G, Mendes L, et al. Myoeletric Activity of the Quadriceps During Leg Press Exercise Performed With Differing Techniques. The Journal of Strength & Conditioning Research. 2017;31(2):422-429.

Avatar

Siga-nos através das redes sociais.