Picolinato de cromo o seu aliado em dietas de perda de peso

Sempre comeu doce, assaltava a geladeira e um dia resolveu começar exercícios físicos, mas seu nutricionista te passou uma dieta com restrição de carboidratos, e a vontade de comer doce volta com tudo. O que fazer?

O picolinato de cromo é um excelente aliado para te ajudar, já que estabiliza a glicemia, tirando a tão temida vontade de ingerir os doces.

O Picolinato de Cromo ajuda a estabilizar os níveis de glicose de seu sangue, ou seja, faz com que seu corpo não tenha tantos “altos e baixos” de glicose¹. O que é muito bom em certos momentos como resistir a um doce ou a outro alimento com alto índice glicêmico e também para potencializar seus resultados após um treinamento onde o hormônio anabólico insulina é o principal construtor, e o carboidrato é a primeira reserva energética exógena que geralmente consumimos.

Basta saber a hora certa de usar, já existem muitos adeptos do cromo pelo mundo todo, então porque fisiculturistas aderem a este micromineral? Seria o principal nutriente para inibir a vontade de comer doces e alimentos de alto I.G(Índice glicêmico), e “sair da linha” antes de competições onde os atletas estão seguindo uma dieta cetônica (a base de proteínas) e evitando o carboidrato?

Ou seria pelo cromo junto com outros minerais e vitaminas dar uma ótima combinação para aumentar a massa muscular e testosterona? Teoricamente o cromo aumenta a atividade metabólica da insulina, aumenta a massa muscular ao promover a captação de glucose pelas células musculares, estimulando a síntese proteica, e diminui a quebra de proteína².

Picolinato-de-cromoTornando os nutrientes vindos da sua alimentação biodisponíveis (são ingeridos, digeridos, absorvidos e participam do metabolismo celular).

Uma coisa é certa, para melhorar seu resultado use-a em períodos onde se utiliza o carboidrato como energia para dar o pico de insulina e ter uma “janela” para a entrada de nutrientes, já que o aproveitamento da quebra dos carboidratos será maximizado pelo picolinato de cromo, e sem a presença de alimentos ricos em ferro, pois parece existir um mecanismo comum de transporte.

A mesma proteína que transporta o ferro pra metabolização celular também é responsável pelo transporte do cromo (transferrina), fazendo assim que exista uma deficiência na absorção.

Então tudo bem usar muito, minha vontade de comer doce é constante, vou ingerir bastante cromo de agora em diante certo? Não! O recomendado é de 120 mcg/dia.

Então quais serão os colaterais do cromo no meu organismo?

O excesso deste mineral pode acabar sendo nocivo a sua saúde, causando uma série de efeitos colaterais, entre estes os mais frequentes com doses excessivas são¹:

  • Dores de cabeça
  • Insônia
  • Diarreia
  • Vômitos

Onde encontro o cromo?

Alguns dos alimentos onde encontramos esse micromineral são: brócolis, cereais integrais, nozes, soja, tomate, trigo, batata, pão de centeio, ostra, ervilha.

Portanto não tem mais desculpa para usar a frase: “dieta é muito complicado, sempre saio da linha ao ver um doce”. Vale lembrar que o picolinato de cromo pode ser um importante aliado contra uma futura diabete mellitus tipo 2, onde se diminui a resistência a insulina. Se muitos adquirem com uma má alimentação em longos períodos, imagina quem se alimenta mal a base de doces e massas mais o fator genético?

Adote uma reeducação alimentar com  picolinato de cromo! Além de reduzir o açúcar do sangue ainda aumenta as lipoproteínas “varredouras de colesterol” (HDL), também melhora a captação de aminoácidos e consequentemente a formação de novas proteínas. Agora não esqueça bons treinos e uma reeducação alimentar sem ter medo das tão temidas guloseimas!

ANTES DE COMEÇAR QUALQUER DIETA OU TREINO PROCURE PROFISSIONAIS DA ÁREA.

Referências Bibliográficas:

  1. Picolinato de cromo, http://www.picolinatodecromo.net/. Acesso em 01 de fevereiro de 2014.
  2. BACURAU, R. F.
    Nutrição e suplementação esportiva / Reury Frank Bacurau. – 3.e.d. – São Paulo : Phorte, 2005.

 

Estudante de nutrição, 20 anos, atleta de handebol e viciado por musculação. Se interessa especialmente pela área de nutrição esportiva.

Deixe um comentário