Para obter os melhores progressos, treine no final da tarde

Num anterior artigo meu, foi-nos explicado de que se trata a ciência da “cronobiologia” e foram dados alguns exemplos de como optimizar o desempenho físico e intelectual, de acordo com o “horário” e especificidades do nosso organismo.

E, tal como dizia o falecido Mike Mentzer num dos seus livros, “Para dominar a natureza, temos que obedecer às suas regras”. Ora partindo desta ideia, iremos analisar e observar então, qual a melhor altura do dia para se realizar um treino de musculação, e tentar obter assim o máximo rendimento e proveito do nosso esforço, para alcançar os nossos objectivos nesta actividade desportiva.

Segundo estudos recentes, a melhor altura para treinar, será ao final da tarde. Investigadores australianos, mediram os níveis hormonais em atletas de força jovens e chegaram á conclusão de que, treinar ao final da tarde provavelmente proporcionará maiores ganhos musculares.

Os cientistas, dividiram 30 culturistas em 2 grupos, num grupo treinavam de manha e noutro de tarde.

O que se pretendia descobrir, era qual a melhor altura do dia para se treinar. A maioria dos autores de artigos e livros de desporto, afirmam que é melhor treinar de manhã, pois os níveis de testosterona se encontram no nível mais alto do dia, enquanto que outros afirmam, que é também de manhã que os níveis de cortisol se encontra mais elevado e por isso os culturistas deveriam treinar mais tarde…

Os investigadores compararam primeiro os 2 grupos. Os que treinavam de tarde pareciam melhor em comparação aos que treinavam de manhã, mas o número de indivíduos era tão pequeno, que as diferenças entre os grupos não era significativa.

Tabela 1

Depois disso, os investigadores mediram os níveis de cortisol e testosterona dos indivíduos, ás 6 horas da manhã e ás 18 horas da tarde, as medições foram realizadas antes dos atletas treinarem. Como pode ver, em ambos os grupos, os níveis de testosterona e cortisol estavam mais altos de manhã.

Tabela 2

Em seguida, os investigadores mediram os níveis de cortisol e de testosterona, durante e imediatamente após a secção de treino. O gráfico abaixo a evolução dos níveis de testosterona do grupo da “manhã”. A secção de treino durou uma hora.

Repare na curva com os círculos negros, como pode observar, tanto os níveis de testosterona como os de cortisol declinaram durante e após o treino. E todos os indivíduos seguiram o mesmo plano de treino.

Tabela 3

Noutro gráfico abaixo, vemos as variações dos níveis de testosterona e cortisol, dos indivíduos que treinaram ás 18:00. Repare agora nos círculos brancos. Como pode ver, neste caso, os níveis de testosterona subiram ligeiramente durante a secção de treino e os de cortisol baixaram no final do treino.

Depois, os investigadores combinaram a informação num só gráfico, o qual mostra a relação entre a testosterona e cortisol. Quanto mais baixo for o rácio, menor o catabolismo a que está sujeito o organismo. Na figura abaixo, a curva com os círculos negros, representa o rácio do grupo da “manhã”. A curva com os triângulos brancos, representa o rácio do grupo da tarde.

Tabela 4

A conclusão a que os investigadores australianos chegaram, não é surpreendente. A melhor altura para fazer musculação é de tarde, ou no final da tarde, pois é nesse espaço de tempo que o rácio entre as hormonas catabólicas e anabólicas se encontra no período mais favorável ao “anabolismo”.

Referência!

 

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.