Os perigos dos alimentos enlatados

Um novo estudo realizado por investigadores da Harvard School of Public Health (HSPH) descobriu que um grupo de voluntários que consumiram uma porção de sopa enlatada por dia durante cinco dias tiveram um aumento de mais de 1.000% de bisfenol A na urina (concentração de BPA),

em comparação com quando os mesmos indivíduos consumiram sopa fresca diariamente durante cinco dias.

O estudo é um dos primeiros a quantificar os níveis de BPA em seres humanos após a ingestão de alimentos enlatados.

Os resultados foram publicados on-line no dia 22 de Novembro de 2011, no Journal of American Medical Association (JAMA) e apareceu na versão impressa de 23 de Novembro.

Jenny Carwile, um estudante de doutorado do Departamento de Epidemiologia da HSPH e principal autor do estudo, afirmou:

“Estudos anteriores já tinham associado níveis elevados de BPA a efeitos adversos à saúde. O próximo passo era descobrir como é que as pessoas se estão a expor aos BPAs. Nós já sabíamos há algum tempo que as bebidas que foram armazenadas em certos plásticos rígidos podem aumentar a quantidade de BPA no seu corpo.

Este estudo sugere que os alimentos enlatados podem ser uma preocupação ainda maior, especialmente dada o seu elevado consumo pela população .”

Tem sido demonstrado que a exposição aos químicos desreguladores hormonais BPA, utilizados no revestimento das conservas enlatadas e latas de refrigerantes, interfere com o desenvolvimento reprodutivo em animais e tem sido associada ao desenvolvimento de doenças como a diabetes, problemas cardiovasculares e obesidade em seres humanos.

Para além de estar presente no revestimento dos enlatados e latas de refrigerantes, o BPA também está presente em garrafas de policarbonato (identificado pelo número de reciclagem 7), compósitos de odontologia e selantes.

Os investigadores, liderados por Karin Michels e Carwile, professor do Departamento de Epidemiologia, propuseram-se a determinar se o consumo de sopa enlatada iria aumentar as concentrações urinárias de BPA em comparação com o consumo de sopa fresca.

Para esse efeito, recrutaram estudantes e funcionários voluntários da HSPH. Um grupo consumiu uma porção de 373 gramas de sopa enlatada vegetariana por dia durante cinco dias, outro grupo consumiu 373 gramas de sopa fresca vegetariana (preparada sem ingredientes enlatados) por dia durante cinco dias. Depois de um período de “limpeza” de dois dias, os grupos inverteram os papéis.

As amostras de urina retiradas dos 75 voluntários durante os testes mostraram que o consumo de uma porção de sopa enlatada diária foi associado a um aumento de 1.221% dos níveis de BPA, em comparação com os níveis de BPA da urina recolhida após o consumo de sopa fresca.

Os investigadores observaram que a elevação das concentrações de BPA na urina pode ser temporária e que são necessárias mais pesquisas para determinar a sua duração.

Michels, autor sénior do estudo, afirmou:

“A magnitude do aumento do BPA urinário que observamos depois da ingestão de apenas uma porção de sopa foi inesperada e pode ser motivo de preocupação entre os indivíduos que habitualmente consomem alimentos enlatados ou bebem várias bebidas enlatadas todos os dias.

Pode ser aconselhável que os fabricantes considerem a eliminação dos revestimentos de BPA.”

Referência: “Canned Soup Consumption and Urinary Bishphenol A: A Randomized Crossover Trial,” Jenny L. Carwile, Xiaoyun Ye, Xiaoliu Zhou, Anotonia M. Calafat, Karin B. Michels, JAMA, online Nov. 22, 2011; in Nov. 23/30 print issue.

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram