Os ovos não são perigosos para o coração

Os ovos não são perigosos para o coração e vasos sanguíneos. Não provocam ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais (AVC). Esta foi a conclusão a que chegaram cientistas nutricionais da Universidade Huazhong de Ciência e Tecnologia na China.

Eles realizaram um meta-estudo em que recolheram dados existentes de meio milhão de pessoas e depois reanalisaram-nos.

Num passado não muito distante, depois dos cientistas terem determinado que uma gema de ovo contém 150-180 mg de colesterol, os nutricionistas começaram a aconselhar que se evitassem os ovos.

A mensagem oficial que circulava e se divulgava é que o colesterol era mau para o coração e vasos sanguíneos. As pessoas deveriam confinar a sua ingestão de ovos a não mais de 2-3 por semana.

Foram realizados estudos que suportavam esse conselho. Quanto mais ovos as pessoas ingerem, mais sobem os níveis de colesterol mau [LDL] no sangue. A partir desses estudos, foi possível calcular que por cada ovo por dia que você come (o colesterol só está presente na gema) você aumenta em 2.1% o risco de sofrer um ataque cardíaco (1).

Agora, 2.1% não é um valor muito elevado, e um cálculo não é uma prova científica. E durante muito tempo, parecia que essa prova nunca chegaria.

Entretanto, o aparecimento das estatinas e fármacos de redução da tensão arterial praticamente anularam o interesse na relação entre a nutrição e as doenças cardiovasculares, e praticamente deixaram de se realizar investigações sobre a relação entre a dieta e as doenças cardiovasculares.

Mas nas economias emergentes tais como a China e Índia, a situação é diferente. À medida que a indústria alimentar cresce e se expande, começou a destruir os hábitos alimentares tradicionais e o número de pessoas que sofrem de ataques cardíacos e AVC está a aumentar de forma alarmante.

Esses países ainda não têm dinheiro suficiente para obterem grandes provisões de medicamente, por isso, nestes países, os cientistas estão novamente a analisar a relação entre a dieta e as doenças cardiovasculares.

Os investigadores chineses não são excepção. Eles decidiram recolher todos os estudos epidemiológicos disponíveis sobre a relação entre o consumo de ovos e as probabilidades de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Depois agregaram os dados presentes nesses estudos e voltaram a analisá-los.

Os investigadores encontraram 17 estudos que estavam de acordo com os seus critérios, e esses estudos continham dados de 474,342 pessoas. Alguns desses estudos diziam respeito a ataques cardíacos [primeira figura abaixo], outros diziam respeito a AVC [segunda figura abaixo].Os ovos não são perigosos para o coração e vasos sanguíneosOs ovos não são perigosos para o coração e vasos sanguíneos

Tal como pode ver acima, os ovos reduzem ligeiramente as probabilidades de sofrer um AVC.

No entanto, os chineses descobriram que entre os diabéticos, um elevado consumo de ovos aumenta o risco de ataques cardíacos.

Os investigadores sumarizaram:

Os resultados da nossa meta-análise não suportam a noção de que um elevando consumo de ovos está associado a um aumento do risco de ataques cardíacos e AVC.

As análises dos subgrupos sugere uma associação positiva entre o aumento da ingestão de ovos e o risco de doenças cardiovasculares coronárias em pacientes diabéticos, e uma associação inversa entre um elevando consumo de ovos e a incidência de AVC hemorrágicos.

É necessária a realização de estudos com amostras maiores e tempos de seguimento mais longos para confirmar os resultados deste subgrupo.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.