Os músculos dos fumadores esgotam-se mais rapidamente

Os músculos dos fumadores fadigam-se muito mais rapidamente do que os dos não-fumadores, independentemente do número de cigarros que fume por dia ou do período de tempo em que já fuma.

Na sua tese de doutoramento, Rob Wüst concluiu que o fumo tem um efeito imediato sobre os músculos, possivelmente como resultado da redução do fornecimento de oxigénio e deficiência de oxigénio no músculo devido às substâncias presentes no fumo do cigarro. Ele estudou como podem ocorrer as mudanças nos músculos esqueléticos em resultado do acto de fumar e obteve o seu doutorado para este trabalho em 9 de Abril de 2009.

Wüst usou fumadores e não fumadores com funções pulmonares normais como suas cobaias. Ele estimulou os músculos da perna superior dos seus voluntários, fazendo com que estes músculos se contraíssem de forma regular. Isto permitiu-lhe ver o que acontece com os músculos sem ter que ter em conta alguma diferença na motivação.

Parecia que os músculos dos fumadores cansavam-se muito mais cedo do que os dos não-fumadores, independentemente do número de cigarros fumados o assunto por dia ou o período de tempo em que ele ou ela já fumavam. Por conseguinte, parece que o tabagismo tem um efeito imediato sobre os músculos, possivelmente reduzindo o fornecimento ou utilização de oxigénio, devido a substâncias presentes no fumo do cigarro.

Se é este o caso, não só é importante que os fumadores parem de fumar para prevenir o agravamento de problemas pulmonares durante a insuficiência pulmonar crónica (DPOC) – uma doença que se está a tornar cada vez mais frequente na Holanda -, como também porque pode contribuir para a melhoria rápida da capacidade de exercício desses pacientes.

Fonte!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram