Os carboidratos pós-treino necessitam de aminoácidos essenciais para aumentar os níveis de IGF-1

Após um treino, a maioria dos atletas de musculação e atletas de outros desportos, apostam nas chamadas bebidas energéticas para rehidratação (talvez a mais popular seja a que tem uma cor eléctrica amarelo/verde).

Mas eles não estão a fazer nenhum favor a eles mesmos, ingerindo uma grande quantidade de carboidratos, a menos que eles também estejam a ingerir alguns aminoácidos essenciais

Porque, apesar dos níveis de hormona de crescimento subirem após o treino, com ou sem a ingestão de aminoácidos essenciais, O factor de crescimento semelhante à insulina (IGF-1) só é elevada com a adição de aminoácidos essenciais. A hormona de crescimento por si só não parece ser tão anabolizante como se pensava, e os dados mais recentes indicam que a maioria dos seus efeitos anabólicos são directamente causados, ou pelo menos mediados pelo IGF-1.

Abstracto

Esta investigação procurou examinar as contribuições do exercício e da reposição de nutrientes na regulação “in vivo” dos componentes do eixo do IGF-I (Hormona de crescimento semelhante à insulina).

Oito atletas do sexo masculino em idade universitária completaram três treinos intervalados de alta intensidade (HIIT) seguido por três protocolos nutricionais pós-exercício: (1) placebo (EX), (2) apenas carboidratos (CHO) e (3) aminoácidos essenciais / carboidratos (CEA / CHO).

Foram retiradas amostras para análise dos níveis de hormona de crescimento (GH), IGF-I livre, IGFBP-1, IGFBP-2, insulina, hematócritos, hemoglobina, leucina em soro, metaloproteinase-9 da matriz (MMP-9) actividade proteolítica e presença da actividade da protease IGFBP-3.

Não foram observadas nenhumas evidências de proteólise da IGFBP-3. Foram observados aumentos significativos no [IGF-I livre] e [leucina] apenas no grupo EAA/CHO (aminoácidos essenciais/carboidratos). Nessas condições, também foram notadas diferenças significativas na [IGFBP-1] e [IGFBP-2].

Os investigadores afirmaram que:

Foram observados aumentos significativos da hormona de crescimento e da actividade da MMP-9 em todos os grupos. Estes resultados indicam que a proporção de macronutrientes no pós-exercício é um determinante do [IGF-I livre], [IGFBP-1 e -2] e pode desempenhar um papel na modulação do eixo IGF-I “in vivo”.

Referência!

Avatar

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.