Os benefícios de treinar com música

A maioria das pessoas preferem realizar os seus treinos acompanhadas por música, de preferência com um ritmo estimulante, e por bons motivos.

A verdade é que foi comprovado que a música ajuda-nos a treinar com maior intensidade, com mais rapidez e durante mais tempo, isto ao mesmo tempo que torna os treinos mais agradáveis e satisfatórios.

Os investigadores científicos também têm vindo a investigar e a oferecer suporte aos efeitos positivos da música nos treinos.

A música ajuda a treinar com mais intensidade e durante mais tempo

Num estudo realizado em 2009 pelo Research Institute for Sport and Exercise Science, um grupo de ciclistas que pedalaram a ouvir música estimulante, pedalaram com maior intensidade e rapidez, percorrendo assim uma maior distância no mesmo período de tempo em comparação com os ciclistas que não ouviram música (1).

Um estudo parecido mostrou que um grupo de ciclistas que ouviram música e alinharam os seus esforços à batida usaram menos 7% de oxigénio enquanto se exercitavam ao mesmo ritmo daqueles que não ouviram música, o que significa que o seu sistema cardiorrespiratório passou a trabalhar de forma mais eficiente (2)!

Para além disso, a música distrai-nos das sensações de fadiga e desconforto que podem fazer acabar os treinos mais cedo. Muitos estudos provaram que as pessoas que ouvem as suas músicas favoritas treinam durante mais tempo, enquanto a sua perceção de fadiga diminui.

A música potencia o desempenho atlético

Ouvir música também pode potenciar a sua capacidade “explosiva”, o que significa que pode ser benéfico para o treino de musculação e/ou força.

Um estudo recente realizado pelo Department of Kinesiology at California State University  revelou que os atletas que ouviram as suas músicas favoritas enquanto treinavam, mostraram maiores capacidades de gerar movimentos explosivos do que os atletas que não ouviram música (3).

A música melhora a sua disposição

Todos sabemos que a música tem um grande poder psicológico. Ouvir a sua música favorita pode coloca-lo automaticamente numa boa disposição e ajudá-lo a transformar um dia mau, num dia mais agradável.

A música melhora o ambiente hormonal

Um dos benefícios adicionais de ouvir música durante os treinos é que dessa forma o corpo liberta uma quantidade menor de hormonas relacionadas com o stress. A música diminui a percepção de dor e de fadiga e isso parece fazer com que o organismo produza uma quantidade mais reduzida de hormonas catabólicas.

Isso é especialmente positivo para os praticantes de musculação, que procuram a todo o custo evitar um ambiente catabólico e promover o anabolismo.

Emery, que conduziu um estudo na University of Pittsburgh School of Nursing afirmou:

A música pode ajudar a organizar o estímulo da atividade no seu corpo que vem do exercício… Nós pensamos que o exercício estimula neurotransmissores no cérebro e o seu sistema hormonal. A música pode organizar a resposta a esse estímulo.

As músicas ideais

Em relação aos tipos de música certos para treinar, existem provas de que o número de BPM tem uma grande influência no desempenho físico.

Num estudo realizado em 1981 um grupo de voluntários (33 rapazes e 16 moças) foram separados em 3 grupos para testar os efeitos das músicas na força de agarre (4):

  • Música estimulante
  • Música sedativa
  • Sem música
Os benefícios de treinar com música
Com as músicas certas, poderá ser capaz de conseguir “arrancar” mais algumas repetições extra às suas séries.

Houve uma diminuição significativa da força no grupo da música sedativa em comparação com o grupo que ouviu música estimulante e o grupo que não ouviu música.

A partir daqui podemos ver que o tipo de música é muito importante! O melhor é optar pelas músicas mais estimulantes.

Se quisermos ser mais científicos, as melhores músicas para realizar cardio de alta-intensidade tal como corrida são as que têm um BPM mais elevado (de cerca de 160-180), enquanto as que têm BMP de nível médio (120-140) são mais adequadas para jogging, aulas de fitness ou body-combat.

Para o treino de força ou de musculação poderão ser mais adequadas as músicas com BPM ligeiramente mais reduzido (cerca de 100).

Poderá encontrar calculadoras de BPM online, onde pode verificar as BPM, ou simplesmente descobrir por si mesmo da mesma forma que tira o ritmo cardíaco durante o exercício, contando o número de batidas que ocorrem durante 6 segundos e multiplicando por 10.

Mantenha em mente que as recomendações de BPM são apenas isso, e que o mais importante é selecionar as músicas que mais nos motivam.

Conclusão

Para sumarizar, é boa ideia realizar os seus treinos acompanhado por música estimulante.

Quando for organizar uma lista de músicas (playlist), assegure-se de escolher as que mais o/a motivam. Poderá até mesmo organizar diferentes listas de música para diferentes tipos de exercício.

Avatar

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.