O vinho tinto protege o sistema cardiovascular?

O “paradoxo francês” ergue a sua cabeça feia de novo. O raciocínio é mais ou menos este: os franceses ingerem mais gordura animal saturada que qualquer outro país rico, e tem a segunda taxa mais baixa de doença cardíaca coronária (só depois do Japão, que tem uma taxa muito mais elevada de AVC´s do que a França).

Os franceses bebem vinho tinto. Portanto, o vinho tinto deve protegê-los contra os iogurtes gordos, carne bovina e manteiga entupidores de artérias.

O mais recentes estudo a cair esse mito foi publicado recentemente no AJCN  (1). Os investigadores demonstraram que 1/3 garrafa de vinho tinto por dia durante 21 dias, aumentou o fluxo sanguíneo nos vasos do antebraço de voluntários saudáveis, o que se interpretou como sendo “uma melhoria da função vascular endotelial ” *.

A nova descoberta neste estudo é que o consumo de vinho tinto aumenta a migração de certas células nos vasos sanguíneos que se pensa estarem relacionadas com ​​a manutenção e reparação dos vasos sanguíneos. Não houve grupo de controlo para comparação, nem abstémios, nem um grupo a beber um tipo diferente de álcool.

Os pesquisadores passaram então a especular que os diversos polifenóis antioxidantes do vinho tinto, tais como a molécula de resveratrol da moda, poderiam estar envolvidos. Mesmo apesar de ter que se administrar aos animais 500 garrafas ‘de resveratrol por dia para se verificar qualquer efeito. Mas existe um outro pequeno problema com esta hipótese …

  • Etanol – O velho e simples álcool. Você pode beber uma garrafa de licor de malte todas as noites que isso irá provavelmente fazer exactamente a mesma coisa.
  • Não importa qual seja a fonte, o consumo de álcool está associado a um menor risco de doença cardiovascular se consumido até cerca de 3-4 bebidas por dia, após o qual o risco volta a subir (2, 3) **. A associação não é trivial – até um risco 62% menor associados ao uso de álcool.
  • Os ensaios clínicos controlados têm demonstrado que o álcool, independentemente da fonte, aumenta o colesterol HDL e reduz a tendência de coagulação do sangue (4).

Será que devemos começar todos a beber três bebidas por dia?

Não tão rápido. Embora o álcool provavelmente possa diminuir o risco de ataque cardíaco, o efeito sobre a mortalidade total é equívoca. Isso porque o álcool aumenta o risco de cancro e o número de acidentes.

O álcool é uma droga, e a minha opinião é que, como todas as drogas em geral, não irá beneficiar a saúde de uma pessoa com uma boa dieta e um bom estilo de vida. Dito isto, é algo que sabe bem, por isso não tenho problema em beber com moderação. Só não diga que está a fazer isso pela sua saúde.

Então o vinho tinto diminui o risco de sofrer um ataque cardíaco? Sim, de forma tão eficaz como o licor de malte. O responsável não é os antioxidantes e o resveratrol, é o etanol. A razão pela qual os franceses evitam os ataques do coração não é por causa de alguns compostos estranhos presentes no seu vinho, que os protege de um consumo elevado de gordura saturada. É porque eles preservaram as suas tradições dietéticas a um nível mais elevado do que a maioria das nações industrializadas.

Eu acho que é interessante especular sobre o porquê do álcool (provavelmente) reduzir o risco de ataque cardíaco. Tanto quanto sei, o mecanismo é desconhecido. Poderia ser porque isso nos relaxa? Vou ponderar sobre isso com um copo de whisky …

* Ele pode muito bem representar uma melhoria da função endotelial, mas isso é uma suposição por parte dos investigadores. Isso pertence à secção de discussão, se é que em algum sítio, e não na secção de resultados.

** O primeiro estudo é realmente muito interessante. Pela primeira vez, não vejo nenhuma evidência de “sensação de consumidor saudável”. As taxas de comportamentos saudáveis ​​eram virtualmente idênticas em todos os quintis de ingestão de álcool. Isso dá-me um maior grau de confiança nos resultados.

Autor: Stephan Guynevet

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.