O uso da dieta Cetogénica (baixa em carbs) em diabéticos

Será que uma dieta baixa em carboidratos (cetogénica) causa uma melhoria no controlo da diabetes tipo 2 em indivíduos com excesso de peso?

Investigadores da Universidade Duke Medical Center em Durham, North Carolina, compararam uma dieta cetogénica com uma dieta de baixo índice glicémico/ redução do numero de calorias.

Vamos aos detalhes.

Foram seleccionadas de forma aleatória 84 indivíduos obesos com diabetes tipo 2, para seguirem uma dieta durante 24 semanas.

  • Uma dieta baixa em carbs (cetogénica) menos de 20 gramas de carbs por dia.
  • Uma dieta com um baixo índice glicémico e com redução de calorias (menos 500 calorias por dia do que quantidade diária de manutenção)

Ambos os grupos participaram em reuniões de grupo e receberam suplementos nutricionais bem como recomendações de exercício.

O ponto principal foi o controlo dos níveis de açúcar no sangue, medidos pela hemoglobina A1c.

*O teste A1c mostra a quantidade média de açúcar no sangue durante os últimos 3 meses.

As dietas cetogénicas contêm uma grande percentagem de gordura, níveis adequados de proteína e baixas em carboidratos.

E os resultados…

Em ambos os tratamentos os indivíduos obtiveram melhorias nos níveis de A1c, níveis de açúcar no sangue em jejum, níveis de insulina em jejum, e perderam peso.

O grupo da dieta cetogénica (baixa em carbs) obteve melhorias significativamente maiores nos níveis de A1c, peso corporal e níveis de HDL (bom) colesterol vs a dieta de baixo índice glicémico.

A medicação para a diabetes foi reduzida ou eliminada em 95% no grupo da dieta cetogénica vs 62% na dieta de baixo índice glicémico.

Conclusão final

Ambas as dietas melhoraram o controlo da diabetes, diminuíram a necessidade de medicamentos para a diabetes, e reduziram o peso corporal ao longo de 24 semanas. No entanto, a dieta cetogénica (baixa em carbs) foi a mais eficiente.

Os autores do estudo concluíram que:

A maior eficácia da dieta cetogénica parece ser devido à baixa ingestão de carboidratos, porque as diferenças estatísticas,permaneceram após os devidos ajustes em relação á perda de peso.

A fidelização a longo prazo, é um problema em todas as dietas. Isto é particularmente verdade na dieta cetogénica. Num determinado estudo, apenas 50% das crianças a quem tinha sido prescrita esta dieta, permaneceram na mesma ao final de 1 ano.

De forma semelhante, neste estudo, 45% dos indivíduos que seguiam a dieta cetogénica, desistiram, comparado com 37% na dieta de baixo índice glicémico/calorias reduzidas.

Com tantas mudanças exigidas ao nível do estilo de vida das pessoas com diabetes, será que os benefícios de uma dieta cetogénica – que são consideráveis – valem o esforço? E em que altura  do tratamento deve ser apresentada aos pacientes?

Referência:

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário