O treino de musculação pode tratar a tendinite de Aquiles

Parece que o treino de musculação pode proporcionar vários benefícios que vão para além de apenas proporcionar um aumento da massa muscular, a massa óssea, acelerar o metabolismo e consequentemente a melhoria da composição corporal.

Num artigo anterior já descrevemos como o treino com pesos pode tratar tendinites, mais especificamente as tendinites do cotovelo de tenista.

Mas para além disso, parece que também é possível tratar as tendinites do tendão de Aquiles com um programa específico de musculação, mais precisamente com o treino excêntrico.

O tendão de Aquiles é o maior tendão do corpo humano e é muito vulnerável às lesões, provavelmente devido ao fornecimento limitado de sangue e à variedade de forças a que é sujeito durante as atividades em que participa.

O que é a tendinite de Aquiles?

Tendinite AquilesA tendinite de Aquiles é basicamente a inflamação e posterior endurecimento da porção média do tendão na parte de trás do tornozelo, que provoca dor durante as atividades físicas, como correr e caminhar. É mais comum em homens ativos de meia-idade, especialmente corredores.

A causa é desconhecida, mas foi sugerido que podem ocorrer devido ao excesso de uso dos tendões, circulação sanguínea pobre e causas bioquímicas. Se não for tratada, a tendinite de Aquiles pode acabar por originar uma ruptura parcial ou completa do tendão.

Os problemas relacionados com o tendão de Aquiles podem chegar a representar 5-10% de todas as lesões atléticas, e são um grande problema em quase todos os desportos.

No entanto, por estranho que possa parecer, o mecanismo exato que produz as dores debilitantes da tendinite crónica do tendão de Aquiles, permanece por descobrir.

O uso da musculação para tratamento da tendinite de Aquiles

Para a realização deste estudo os investigadores do Departamento de Cirurgia Ortopédica do University Hospital of Northern Sweden, na Suécia, recrutaram 15 atletas corredores recreativos (12 homens e 3 mulheres”, que tinham sido diagnosticados com uma tendinose de Aquiles crónica, (mudanças degenerativas) com uma longa duração dos sintomas apesar da utilização de tratamentos convencionais não cirúrgicos.

Ao iniciarem o estudo, os investigadores registaram o nível de dor durante as atividades antes e 12 semanas depois de iniciarem o treino excêntrico.

Na semana 0, todos os pacientes com tendinite de Aquiles tinham um nível de dor que não lhes permitia correr e o gastrocnémio da perna com tendinite de aquiles tinham um nível de força concêntrica e excêntrica significativamente inferior ao da perna não lesionada.

Após o período de treino de 12 semanas, todos os 15 pacientes estavam de volta aos seus níveis pré-lesão, tendo voltado a realizar as suas atividades normais de corrida.

Houve uma diminuição significativa do nível de dor durante a atividade e a força do músculo gastrocnêmio do lado lesionado aumentou de forma significativa e não diferiu significativamente do lado não lesionado.

Foi usado um grupo para comparação, composto por 15 atletas recreativos com o mesmo diagnóstico e sintomas de longa duração que foi tratado da forma convencional, isto é com  descanso, drogas anti-inflamatórias não esteróides, mudanças no calçado ou uso de calçado ortopédico, fisioterapia, e em todos os casos, com programas de treino comuns.

Mas aqui o tratamento convencional não funcionou com nenhum atleta, e todos os pacientes tiveram que ser tratados com cirurgias.

Os investigadores afirmaram:

O nosso modelo de tratamento de treino do gastrocnêmio com treino excêntrico com cargas pesadas, tem um efeito a curto-prazo muito bom nos atletas com cerca de 40 anos.

E os investigadores concluíram:

O nosso modelo para o treino excêntrico dos músculos gastrocnêmios em pacientes com tendinites nos tendões de Aquiles, é fácil de realizar e proporciona um bom modelo de tratamento que resultou numa recuperação rápida na força concêntrica e excêntrica do músculo gastrocnêmio e o resumo da anterior atividade de corrida em 15 pacientes consecutivos.

O método de treino

Para aqueles que possam estar interessados no método de treino que os investigadores usaram com sucesso no estudo, irei deixar aqui essa informação:

O treino de musculação pode tratar a tendinite de Aquiles
Figura 1: Comece a partir de uma posição corporal ereta e permanecendo com o peso corporal todo na parte dianteira do pé e do tornozelo em flexão plantar. (A), o músculo gastrocnêmio foi trabalhado de forma excêntrica colocando o paciente a baixar o tornozelo com o joelho direito. (B) e com o joelho dobrado (C).
O treino de musculação pode tratar a tendinite de Aquiles I
Figura 2: Aumente a carga colocando progressivamente mais peso numa mochila.

Quanto à programação do treino, foram realizados dois treinos excêntricos por dia, sete dias por semana, durante 12 semanas.

Cada treino consistiu em três séries de 15 repetições de dois exercícios chave (elevação de panturrilhas com as pernas retas e elevações de panturrilhas com os joelhos dobrados).

Foi permitido o treino de corrida apenas se fosse possível completá-la com apenas um ligeiro desconforto e sem dor significativa.

Os exercícios foram realizados da seguinte forma:

Para o primeiro exercício (as primeiras três séries de 15 repetições), a perna lesionada foi mantida reta; durante o segundo exercício (as próximas 3 séries de 15 repetições), a perna lesionada foi dobrada ao nível do joelho de forma a ativar o músculo sóleo, que se encontra abaixo do principal músculo da panturrilha / gémeos, o gastrocnêmio.

Uma característica especialmente positiva deste treino excêntrico é que foi realizado de forma progressiva.

Quando os atletas já conseguiam realizar o exercício excêntrico sem sentirem dor ou desconforto, eles aumentaram a carga, acrescentando peso numa mochila. Se fossem necessários pesos muito elevados, os atletas utilizavam uma máquina de musculação para aumentar a tensão excêntrica.

No final de contas, o treino de musculação também parece ter efeitos terapêuticos no tratamento de determinadas lesões, sendo portanto muito útil no tratamento de determinados problemas nos tendões, neste caso, no tratamento da tendinite de Aquiles.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram