O treino de musculação pode curar o cotovelo de tenista e tendinites nos antebraços

Milhões de pessoas sofrem de dores crónicas nos antebraços. Ao realizarem muitos movimentos rotativos dos pulsos no seu trabalho, desenvolvem tendinites ou o cotovelo de tenista.

Os investigadores dinamarqueses do “Centro Nacional de Pesquisa para o Ambiente de Trabalho da Dinamarca“, descobriram que o treino de musculação realmente ajuda as pessoas a livrarem-se desses problemas.

Cerca de quatro por cento de todos as pessoas cujo trabalho implica estar sentado em frente a um computador e oito por cento dos trabalhadores fabris desenvolvem lesões nos antebraços. Quanto mais monótono e stressante for o trabalho, maiores são as probabilidades de lesão.

Os dinamarqueses já tinham descoberto que os trabalhadores com dores crónicas no pescoço têm um tipo incomum de fibras nos seus músculos doridos: um tipo de fibra muscular lenta invulgarmente grande, que não possui um bom suprimento de sangue.

Este tipo de fibra muscular parece desenvolver-se como resultado de sobrecarga excessiva e provoca dor. Os dinamarqueses teorizaram que o treino de musculação pode ajudar a desenvolver uma forma mais saudável de fibra muscular e, assim, reduzir a dor.

Eles realizaram uma experiência para testar a teoria com 282 trabalhadores de produção. Os voluntários do teste realizaram um trabalho que envolveu a entrada contínua de dados no computador ou operações mecânicas monótonas, e todos desenvolveram o cotovelo de tenista ou tendinites.

Os investigadores colocaram os trabalhadores lesionados a treinar três vezes por semana durante 20 semanas. Cada sessão durou 20 minutos. Os voluntários realizaram os exercícios flexão dos punhos em pronação, elevações laterais, elevações frontais, encolhimentos de ombros, e voos (elevações posteriores).  Um outro grupo, de controlo, com 255 trabalhadores lesionados, não realizou nenhum treino.

A figura abaixo mostra que a dor do antebraço dos voluntários – medida numa escala de 0 [sem dor] a 100 [máximo de dor] – diminuiu de forma gradual ao longo das 20 semanas de treino de musculação.

dor antebraço
Figura 1: Nível de dor do antebraço.

A quantidade de peso com que os indivíduos treinavam, duplicou à medida que o período de treino chegava ao seu final. Portanto, os voluntários ganharam força e, em resultado disso, os seus músculos e articulações ficaram sujeitos a menos esforço.

Entre os trabalhadores que sofriam de dor severa, o treino de musculação aumentou as suas probabilidades de recuperação por um fator de 4 a 6.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.