O mito dos alimentos que emagrecem

Uma questão que recebo quase todos os dias via e-mail e por mensagens no facebook centra-se sobretudo no efeito que certos alimentos têm na perda de peso.

As mensagens costumam ser algo parecidas com as que se seguem:

Estou a ter grandes dificuldades em perder a gordura da barriga. Agradecia que me indicasse uma lista de alimentos para perder peso e que me ajudem a perder a barriga.

O óleo de coco emagrece?

As bagas de goji (goji berries) ou outro tipo de amoras, mirtilos, etc funcionam para perder peso?

Parece que as pessoas querem acreditar que existem alimentos “bons” que promovem a perda de gordura e alimentos “maus” que fazem engordar, e se quiser desenvolver um físico de um super-herói só tem que comer uma quantidade mais reduzida dos alimentos maus e ingerir uma maior quantidade dos alimentos bons.

Lamento desiludi-lo, mas a ideia de que existem alimentos especiais (bagas, amoras, coco, mirtilos, chocolate preto, abacate, etc) que irão de alguma forma queimar gordura, está completamente errada.

Mas este é o tipo de desinformação que parece ser extremamente popular e que aparece de vez em quando nos programas televisivos, em revistas de leitura rápida e em determinados sites estilo revista.

Em última instância, o que é realmente necessário para que ocorra a perda de gordura é um défice calórico e não uma maior ingestão desses alimentos “queimadores de gordura”.

É verdade que existem alguns alimentos que podem acelerar um pouco o metabolismo (tal como o pimentão e o gengibre). Mas o efeito geral é relativamente pequeno, e é questionável se o aumento a curto prazo do metabolismo tem algum impacto na perda de gordura ao longo do tempo.

O mito dos alimentos que emagrecem
O fator mais importante que irá determinar se perde ou ganha peso/gordura é o número total de calorias que ingere ao longo do dia.

Também é verdade que alguns alimentos aumentam a termogênese pós-pandrial a um maior nível do que outros.

Uma barra de chocolate, composta sobretudo por carboidratos e gordura, e um peito de frango, composto sobretudo por proteína, podem ter o mesmo número de calorias.

Mas devido ao fato do efeito térmico da proteína ser superior ao dos carboidratos ou gordura, o seu corpo irá gastar mais energia a processar o frango do que a processar a barra de chocolate.

No entanto, nenhuma destas mudanças muda o fato de que é a sua dieta geral e não um determinado alimentos que irá determinar a sua perda de gordura.

O autor do livro Eat Stop Eat, Brad Pilon afirmou:

Você pode perder peso comendo bolo todos os dias, desde que queime mais calorias do que ingere.

Se alguém lhe disser o contrário, é porque não investigou o tema.

E eu encorajo-o a desafiar qualquer pessoa que pense que qualquer alimento especial pode ajudá-lo a perder peso. Isso é treta, a única forma é comendo menos.

Podemos ver um bom exemplo disso num estudo recente em que um grupo de adultos obesos foi dividido em dois grupos (1).

O primeiro grupo ingeriu um pequeno-almoço com 300 calorias. O segundo grupo ingeriu um pequeno-almoço com 600 calorias que incluiu bolachas, bolo ou chocolate.

Ambos os grupos consumiram o mesmo número total de calorias – os homens ingeriram 1600 calorias por dia e as mulheres 1400.

Ao longo da 16ª semana, a diferença na perda de peso entre os dois grupos foi muito pequena – 15 kg no grupo baixo em carboidratos e 13,6 kg no grupo do pequeno-almoço com sobremesa.

Entre a 16ª e a 32ª semana, o grupo da dieta pobre em carboidratos recuperou algum do peso que tinha perdido, enquanto o grupo da dieta do pequeno-almoço com sobremesa continuou a perder peso.

Não estou a dizer que se deve comer bolachas, bolos ou chocolate ao pequeno-almoço. Nem estou a dizer que pode comer apenas bolachas e batatas fritas ao longo do dia e esperar os melhores resultados possíveis.

A composição da sua dieta é importante. Afeta os seus níveis hormonais, o apetite, os dispêndio energético e por ai fora, e tudo isso pode influenciar a quantidade de peso que perde da gordura ou da massa muscular.

Regra geral, a quantidade de calorias presente na dieta determina a quantidade de peso que se perde, enquanto a qualidade dessas calorias pode afetar o tipo de peso que se perde, ou seja, gordura ou massa muscular.

Fernando Ribeiro

Nutricionista (CP: 4100N) no Moreirense Futebol Clube. É licenciado em nutrição pela FCNAUP, e é também doutorando em Ciências do Consumo Alimentar e Nutrição, na mesma faculdade.