O impacto do treino de musculação em corredores de longa distância

A informação deste artigo poderá ser surpresa para alguns, especialmente para os atletas corredores de longa distância, mas sem dúvida que será de extrema importância para aqueles que pretendem maximizar o seu desempenho atlético em todo o tipo de corridas.

No nosso país, ainda me parece ser raro ver corredores nos ginásios a praticar musculação, mas talvez a situação possa vir a mudar em breve.

Mais abaixo, poderá ler o abstracto do estudo:

Tradicionalmente, o desempenho corrida de longa distância foi pensado para ser determinada por várias características, incluindo o consumo máximo de oxigénio (VO (2max)), limiar de lactato (LT), e economia de corrida. As melhorias nestas áreas são principalmente obtidas através do treino de resistência.

No entanto, recentemente, tem sido demonstrado que os factores anaeróbicos também podem desempenhar um papel importante no desempenho da corrida de longa distância. Como resultado, alguns pesquisadores têm teorizado que o treino de musculação pode beneficiar os corredores de longa distância. Porque é pouco provável que o treino de resistência provoque um estímulo aeróbico de mais de 50% do VO (2max), é improvável que o treino de musculação venha a melhorar o VO (2max) em corredores de longa distância treinados.

No entanto, parece que a VO (2max) não é comprometida quando o treino da musculação é adicionado a um programa de resistência. Da mesma forma, é provável que a LT não melhore como resultado do treino de musculação aplicado a corredores de resistência treinados, no entanto, têm sido observadas melhorias na LT em indivíduos não treinados, como resultado da prática de treino de musculação.

Os corredores de longa distância treinados têm mostrado melhorias de até 8% na economia de corrida depois de um período de treino de musculação. Mesmo uma pequena melhoria na economia de corrida poderia ter um grande impacto sobre o desempenho numa corrida de longa distância, especialmente nos eventos mais longos, como maratonas ou ultra-maratonas.

Tem sido teorizado que a melhora na economia de corrida pode ser o resultado de melhorias das características neuromusculares, incluindo o recrutamento das unidades motoras e um tempo de contacto com o chão mais reduzido. Embora em grande parte teórica, neste ponto, se o treino de musculação melhorar o desempenho das corridas de longa distância, ele provavelmente irá ter o maior impacto sobre a capacidade anaeróbia e / ou características neuromusculares.

O objectivo principal desta revisão é a de considerar o impacto do treino de musculação sobre os factores que são conhecidos por afectar o desempenho das corridas de longa distância. A segunda finalidade é a de considerar diferentes formas de exercício de musculação, para determinar se existe um protocolo ideal.

Este estudo demonstra bem a versatilidade e a forma como a musculação, dirigida de forma adequada, pode melhorar o desempenho atlético de atletas de quase todos os desportos. Sendo por isso que é usado pela maioria dos atletas profissionais de todo o mundo.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.