O exercício cardiovascular prejudica os ganhos de força e massa muscular?

Esta é uma preocupação comum à grande maioria dos praticantes de musculação.

Alguns afirmam que o exercício cardiovascular deve ser completamente evitado, por ser catabólico, outros afirmam que pode ser utilizado sem problemas.

Afinal quem tem razão? Será que podemos realizar exercício cardiovascular à vontade, ou será que temos que limitar a frequência e a duração dos treinos quando o objetivo é ganhar força e massa muscular?

O exercício cardiovascular prejudica os ganhos de força e massa muscular?

Uma meta-análise realizada em Agosto de 2012 poderá proporcionar-nos a resposta que procuramos.

  • A investigação teve como objetivo identificar quais os componentes do treino de resistência (modalidade, duração, frequência) que são detrimentais para o treino com pesos.
  • Foram encontradas diferenças significativas entre os 3 grupos. O treino de musculação em combinação com a corrida, mas não com o ciclismo, resultou num significativo decréscimo tanto da hipertrofia como da força.
  • As análises correlacionais identificaram relações negativas significativas entre a frequência e a duração do treino de resistência na hipertrofia, força e potência.
  • O treino de musculação em combinação com a corrida, mas não com o ciclismo, resultou num significativo decréscimo da hipertrofia e força-
  • Os resultados indicam que os efeitos de interferência do treino de resistência são um fator da modalidade, frequência e duração do treino de resistência escolhido.

Pode-se portanto concluir que quanto maior for a frequência e a duração dos treinos cardiovasculares, mais estes irão interferir nos progressos de força e de massa muscular.

O exercício cardiovascular prejudica os ganhos de força e massa muscular?
Se o seu objetivo for ganhar o máximo de força e de massa muscular, então será melhor limitar a duração e frequência das suas sessões de treino cardiovascular.

Para além disso, parece que a corrida é a atividade cardiovascular que mais interfere nos ganhos. Sendo que o ciclismo não interfere de forma tão negativa.

Estes dados levam-nos a sugerir que, se o seu objetivo for ganhar o máximo de força e de massa muscular possível, deverá preferir o ciclismo como forma de exercício cardiovascular.

Também será boa ideia limitar a frequência e a duração das suas sessões de treino cardiovascular, a nunca mais de 30 minutos, 3 vezes por semana, de forma a que não prejudiquem os seus progressos.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.