O exercício atrasa o envelhecimento, tanto como a restrição calórica

Se estiver à procura de formas de prolongar a sua expectativa de vida, então a opção mais eficaz ainda é ingerir menos 20 por cento de calorias do que as que precisa, durante o resto da sua vida.

Se decidir seguir uma vida inteira de fome, irá viver um pouco mais do que o normal. Isso pode não parecer muito divertido. Mas pode haver uma alternativa que funcione tão bem.

O método da fome – os investigadores preferem chamar-lhe “restrição calórica” – estimula as células a repararem-se. Os estudos têm vindo a demonstrar que os animais de laboratório em resultado desse método, vivem uma vida várias dezenas de por cento mais longa do que o normal.

No entanto, os indivíduos que usam o mesmo método na sua vida diária, pagam um preço elevado. Ao permanecerem subnutridos de forma crónica, estão sempre mais frios, têm dificuldade de concentração e perdem o interesse em quase tudo – incluindo o sexo. Eles passam pela vida como um zombi.

Investigadores da Universidade da Flórida, colocaram a questão de se realmente tem de se atingir os menos 20% das necessidades calóricas comendo menos. Eles questionaram se também é possível queimar essas calorias. Por isso, organizaram uma experiência com 18 homens e mulheres saudáveis com idades entre os 50 e 60.

Metade dos voluntários do teste foram colocados numa dieta com a duração de um ano, tempo durante o qual eles ingerirem menos 20 por cento das calorias de que precisavam. [CR] A outra metade comeu normalmente, mas aumentou a quantidade de exercício físico, o que fez com que eles queimassem a mesma quantidade de energia extra que os outros voluntários não ingeriram. [EX]

Antes e após o período experimental, os investigadores registaram a concentração de FapyGua, 8-oxoGua, 8-oxoGuo e 8-oxodGuo na urina dos voluntários [alguma da notação do quadro abaixo está incorrecta].

Estas substâncias são os resíduos de guanina, que juntamente com a adenina, timina e citosina formam os alicerces do nosso material genético. Quanto maior for a quantidade de guanina residual presente na urina, Maios será a degradação de material genético e, por conseguinte, maior será, provavelmente, o ritmo de envelhecimento.

Tanto a restrição calórica como a prática de exercício reduzem a concentração dos produtos residuais.

Tabela 1
Tabela 2
Tabela 3
Tabela 4 e 5

Para além disso, os investigadores extraíram material de RNA e DNA a partir dos glóbulos brancos do sangue dos voluntários e contabilizaram o número de blocos de construção danificadas nestes. A partir disso, descobriram que o exercício na verdade funciona um pouco melhor do que comer menos.

Os investigadores concluíram:

“Os déficits de energia criados tanto pela CR (restrição calórica) como pelo EX (exercício) reduzem os danos ao WBC do DNA e RNA, potencialmente através da redução do stress oxidativo sistémico.”

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram