O cloreto de cobre é potenciador de testosterona em animais

O cloreto de cobre é potenciador de testosterona em animaisUma dose elevada de cobre, aumenta a produção de testosterona em ratos, mas uma dose um pouca mais elevada já a reduz.

Fisiologistas da Índia reportaram isto há quatro anos no jornal Médico da Universidade de Kathmandu. Doses elevadas de cobre provavelmente estimulam o hipotálamo.

Homens que durante o seu trabalho estão expostos a níveis tóxicos de cobre, muitas vezes sofrem um declínio da produção de esperma. Isto é confirmado por experiências laboratoriais em que a administração de cobre a ratos, leva a uma redução da fertilidade.

No entanto, estudos “in vitro” mostraram que o cobre leva a um aumento da produção de LHRH pelo hipotálamo. O LHTH é a hormona que estimula a pituitária a produzir as hormonas mensageiras LH e FSH. Estas duas hormonas em conjunto, estimulam as células Leydig nos testículos a produzir testosterona. Por isso, o cobre é bom ou mau para a fertilidade?

Para descobrir isso, os investigadores injectaram uma solução de cloreto de cobre directamente nos intestinos ratos jovens, durante 26 dias seguidos. Um grupo não recebeu nada, os três outros grupos receberam diariamente 1000, 2000 ou 3000 microgramas de cobre por quilo de peso.

A dose de 1000 microgramas/Kg/dia aumentou os níveis de testosterona; a dose mais elevada levou a uma redução do nível de testosterona.

Tabela 1

Nos testículos, a dose estimuladora da testosterona de 1000 microgramas aumentou a atividade da 17beta-hydroxysteroid-dehydrogenase. Esta enzima adiciona grupos hidroxil ao décimo sétimo átomo dos androgénios, e é controlada pela LH.

E eis que: A dose de 1000 microgramas de cloreto de cobre também causou um aumento da concentração desta hormona. Concentrações mais elevadas também diminuíram a concentração de LH.

Tabela 2

O cobre não teve efeitos positivos na FSH.

Os investigadores suspeitam que a dose ideal para a o aumento da testosterona e da produção de LHRH é de 1000 microgramas/kg/dia. Esta quantidade melhorou a qualidade do esperma dos ratos, enquanto as doses mais elevadas levaram á sua deterioração. O efeito no nível de testosterona foi grande o suficiente para levar a um aumento do tamanho dos testículos e próstata.

tabela 3

Os investigadores não examinaram os níveis de cortisol. No entanto, outros estudos realizados em animais, demonstraram que as doses elevadas de cobre inibem a produção de hormonas corticosteroides pelas supra-renais.

Os investigadores pensam que este mecanismo também pode explicar os efeitos do cobre. As hormonas corticosteróides inibem os testículos.

Referência!

Deixe uma resposta