O álcool diminui os níveis de testosterona

alcoolA droga favorita em muitos desportos é o etanol – o nome químico para o álcool presente na cerveja, vinho e bebidas espirituosas.

Mas é estranho que o etanol seja tão popular entre os desportistas, pois na verdade os efeitos endócrinos do álcool são exatamente o oposto daquilo que os atletas tentam obter.

  • Em primeiro lugar, o consumo crônico de álcool danifica as células Leydig nos testículos, que são as células que produzem testosterona. É por isso que o etanol diminui a produção de testosterona.

Vários estudos demonstraram que o consumo de álcool resulta numa diminuição aguda dos níveis de testosterona nos homens (1).

Também sabemos que os indivíduos que bebem muito têm uma contagem de esperma mais reduzida, esperma com menor mobilidade, e níveis de testosterona livre mais reduzidos. Para além disso, o álcool não só afeta os níveis de testosterona como também os da hormona de crescimento (2).

  • Em segundo lugar, o consumo a longo prazo do álcool estimula enzimas no fígado que convertem a testosterona em estradiol e também inibem a produção de receptores de estrogênio. No estudo que referimos aqui, o autor refere-se ao consumo de álcool como “uma forma química de castração”.
  • Em terceiro lugar, várias pesquisas realizadas em alcoólicos demonstraram que o álcool potencia a concentração da proteína de transporte SHBG no sangue. O SHBG liga-se à testosterona de forma a esta perder a sua atividade biológica.

Os efeitos da ingestão de álcool no pós-treino também foram bem documentados. São negativos. Se ingerir álcool depois de ter realizado uma sessão de treino, os seus músculos irão recuperar-se de forma mais lenta. Isso poderá estar relacionado com o fato do álcool reduzir os níveis de testosterona.

Álcool testosterona
O consumo de bebidas alcoólicas pode afetar de forma negativa os seus resultados no ginásio.

Para além disso, o álcool também pode reduzir o número de recetores de androgénio. Num estudo realizado em ratos, em que estes receberam álcool, verificou-se que o número de receptores de androgênio nas fibras musculares tipo 2 diminui.

O treino de musculação não consegue impedir a degradação de receptores de androgênios que ocorre devido á ingestão de álcool.

Um estudo descobriu que (uma dose elevada) de álcool em 8 homens adultos reduziu os níveis de testosterona (e aumentou os níveis de cortisol) durante 24 horas (3)!

Um estudo mais recente, realizado quase 25 anos mais tarde, verificou que os indivíduos das forças armadas que bebiam tinham níveis mais baixos de testosterona livre e total (e níveis mais elevados de estrógeno) (4).

E se não beber em excesso?

Nesse caso, os resultados serão menos nocivos, isto de acordo com um estudo realizado na Holanda. Esses investigadores verificaram que o consumo moderado de álcool diminuiu os níveis de testosterona por 6.8% (mas aumentou os níveis de HDL por 11.7%) (4).

A maioria das pessoas, incluindo praticantes de musculação bebem pelo convívio social e pelos benefícios para o coração, mas o seu consumo deverá ser sem dúvida alguma moderado, especialmente para aqueles que pretendem maximizar os seus níveis de testosterona e assim otimizar os seus resultados no ginásio.

Uma bebida ocasional não deverá ser problema, mas caso contrário será melhor dar preferência a bebidas sem álcool de forma a manter o seu perfil hormonal no seu topo de forma.

Referência 1|2|3|4|5

Deixe uma resposta