Níveis da vitamina D associados à saúde dos vasos sanguíneos

A falta de vitamina D, mesmo em pessoas saudáveis, está geralmente relacionada com artérias rígidas e uma incapacidade de relaxar os vasos sanguíneos, isto segundo uma investigação do “Emory/Georgia Tech Predictive Health Institute”.

Os resultados adicionam mais provas acerca de como a falta de vitamina D pode levar a uma  saúde vascular deficiente, contribuindo para a pressão arterial elevada e um maior risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Os participantes do estudo que aumentaram os seus níveis de vitamina D foram capazes de melhorar a saúde vascular e reduzir a pressão arterial.

Os dados foram apresentados por Ibar Al Mheid, MD, um investigador cardiovascular da “Emory University School of Medicine”, na reunião anual do “American College of Cardiolog”y em Nova Orleães.

Al Mheid é um dos cinco finalistas da competição do “Young Investigators Award ACC” em farmacologia, fisiologia e patologia. Ele está trabalhar com Arshed Quyyumi, MD, professor de medicina e director do “Emory Cardiovascular Research Institute.

Os 554 participantes do estudo eram empregados da Emory ou Georgia Tech, com a idade média de 47, e geralmente saudáveis ​​- que fazem parte do “Center for Health Discovery and Well Being”, parte do “Emory/Georgia Tech Predictive Health Institute”.

O nível médio de 25-hidroxivitamina D (uma forma estável da vitamina reflectindo a dieta bem como a produção na pele) no sangue dos participantes foi de 31,8 nanogramas por mililitro. Neste grupo, 14 por cento tinham níveis de 25-hidroxivitamina D considerados deficientes ou com menos de 20 nanogramas por mililitro, e 33 por cento apresentaram níveis considerados insuficientes, com menos de 30 nanogramas por mililitro.

Os pesquisadores monitorizaram a capacidade de relaxamento dos vasos sanguíneos dos participantes aumentando e depois diminuindo a pressão sanguínea em seus braços com uma braçadeira. Para permitir que o sangue volte a fluir de volta para o braço, os vasos sanguíneos devem relaxar e expandir-se – uma mudança que pode ser medida através de ultra-sons. Os pesquisadores também fizeram outras medições de pequenos vasos sanguíneos e analisaram a resistência ao fluxo sanguíneo imposto pelas artérias.

Al Mheid afirmou; Mesmo após ajustarem os resultados com factores como idade, peso e colesterol, as pessoas com menores níveis de vitamina D ainda tinham artérias mais rígidas e uma função vascular deficiente.

Descobrimos que as pessoas com deficiência de vitamina D apresentavam uma disfunção vascular comparável ​​àquelas com diabetes ou hipertensão.

Ao longo do corpo, uma camada de linhas de células endoteliais dos vasos sanguíneos, controlam se os vasos sanguíneos se contraem ou relaxam e ajudam a prevenir coágulos que levam a ataques cardíacos e enfartes.

Al Mheid afirmou:

Já há muito se conhece a forma como a vitamina D pode estar a atuar aqui. Poderia ser o reforço das células endoteliais e os músculos que rodeiam os vasos sanguíneos.

Também pode ser através da redução do nível de angiotensina, um hormona que provoca o aumento da pressão arterial, ou através da regulação da inflamação.

A maioria dos americanos em geral, obtêm a maioria da sua vitamina D através da exposição à luz solar ou de suplementos dietéticos, alimentos fortificados como leite e cereais são uma fonte menor. Alguns alimentos, como peixes gordos, contêm naturalmente quantidades substanciais de vitamina D.

Os participantes cujos níveis de vitamina D aumentou ao longo dos próximos seis meses, através de suplementos alimentares ou de uma ampla exposição ao sol, tenderam a melhorar os seus valores de saúde vascular e tiveram uma pressão arterial mais baixa.

Quarenta e dois participantes do estudo com insuficiência de vitamina D cujos níveis mais tarde voltaram ao normal tiveram uma queda média na pressão arterial de 4,6 milímetros.

Al Mheid afirmou também:

Este foi um estudo observacional, ao invés de uma intervenção, e foi difícil verificar a forma como as pessoas conseguiram restauraram os índices de vitamina D. Nós temos esperança de vir a realizar um estudo onde os participantes sigam um regime definido de vitamina D.

Kenneth Brigham, MD, director médico do “Emory/Georgia Tech Center for Health Discovery and Well Being” afirmou:

Com os seus resultados a demonstrarem uma relação entre a deficiência de vitamina D e disfunção vascular, Dr. Mheid ajudou a aumentar os nossos conhecimentos acerca da importância da vitamina D na prevenção de um problema de saúde comum em adultos envelhecidos.

Para além disso, estudos de saúde em curso com base nas informações de saúde dos participantes do “Center’s collection of health information”, irão proporcionar mais informações à medida que o centro continua a desenvolver-se.

O “Emory-Georgia Tech Predictive Health Institute” é um líder nacional no movimento da prática da medicina a partir de um sistema reativo focado na doença para um sistema proativo focado na saúde. A iniciativa integra pesquisas, sistema de ensino e educação num esforço inovador que visa revolucionar o tratamento das pessoas para definir, preservar e prolongar a saúde dos indivíduos e da sociedade.

As áreas-chave da iniciativa incluem a definição e avaliação da saúde utilizando bio-marcadores óptimos de saúde e a compreensão das suas inter-relações, determinando as melhores intervenções para optimizar a saúde ao longo da vida de um indivíduo ou de uma população.

Fonte!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.