Não consigo progredir mais no ginásio. O que fazer?

falta progresso culturismo

A ideia para este artigo surgiu-me após ter recebido vários pedidos de ajuda através do e-mail, de homens e mulheres, que se encontram quase no limite do desespero devido à falta de progressos no ginásio e na melhoria corporal.

O que fazer então quando os progressos cessam e não conseguimos obter o corpo que pretendemos?

Já tentou mesmo tudo?

Quais foram as 100 últimas coisas que tentou? Não tentou 100 coisas? Então diga-me quais foram as últimas 50 coisas que tentou. Também não tentou 50 coisas? Diga-me então quais foram as últimas 25 coisas que tentou? Também não tentou 25 coisas?

Creio que está a compreender o meu ponto de vista. O desenvolvimento de um corpo musculoso e definido implica uma boa dose de tempo, tentativa e erro, bem como de aprendizagem e auto-controlo. Por isso, antes de continuarmos, irei tentar dar alguma ajuda no sentido de optimizar os seus progressos:

Não consigo obter mais progressos, e agora?

Se realmente tentou muitas variáveis a nível de treino, dieta e suplementação e mesmo assim não consegue mesmo obter mais resultados, faça o que fizer…

Então é muito provável que tenha atingido o seu limite genético, nesse caso, dê uma palmada nas costas a si mesmo, pois o mais provável é ter conseguido obter resultados bastante respeitáveis, um corpo algo musculoso e definido.

Merece e deve sentir-se orgulhoso do seu feito, e também deve continuar a manter bons hábitos de treino e de dieta de forma a manter o corpo que tanto lhe custou a conseguir. No entanto, continue a ler…

Teoria ou prática?

A musculação é uma atividade eminentemente prática. Dito isto é positivo que leia artigos como os que temos aqui no musculação-pt.net, mas é necessário experimentarmos em nós mesmos os vários métodos de treino e de dieta “in vivo”, para comprovarmos o que é que realmente funciona ou não em nós mesmos.

São as próprias pessoas que, através da experimentação pessoal, poderão estipular qual é o volume de treino ideal para elas, bem como os exercícios mais eficientes, a dieta e ingestão calórica ideal, etc.

É obvio que isto exige alguma sintonia, disciplina e capacidade de feedback com o seu corpo (escutar o seu corpo), coisa em que muitos falham…

A vida não é só musculação.

Defendo que a prática de musculação e a procura do físico ideal deve complementar e melhorar a vida das pessoas, não prende-las ou limitá-las a uma vida rotineira, anti-social, prejudicial, e focada num único objetivo. Existe um mundo lá fora, com muitas outras atividades e hobbies que pode realizar.

Não se feche num mundo só seu, envolva-se com outras pessoas, faça voluntariado, participe em atividades da área onde vive, tente aprender algo novo, tire um curso de uma área que lhe interesse. Aprenda a dançar. Acima de tudo, aproveite e viva a vida. Lembre-se que não estaremos cá para sempre.

Existe um limite genético.

Felizmente ou infelizmente, o ser humano (homo sapiens sapiens) não evolui no sentido de adquirir um nível de muscularidade ao nível dos nossos primos afastados, os gorilas, ou outros animais. Dito isto, o ser humano tem algum nível de muscularidade e potencial de desenvolvimento da mesma, e é positivo que se trabalhe e desenvolva a musculatura.

Se estiver especialmente interessado neste tema, recomendo-lhe a leitura do nosso artigo “Qual é o meu potencial genético?

Não temos todos a mesma genética.

Tal como a cor dos nossos olhos e cabelo, a quantidade máxima de massa muscular que podemos desenvolver está determinada pela nossa genética única e individual de cada um de nós. Não somos todos iguais, e se notar, praticamente todos temos áreas musculares um pouco mais desenvolvidas e mais fortes que outras (pontos fortes e fracos), e neste momento, não há nada absolutamente nada que possa fazer para alterar a sua genética.

É óbvio que existem indivíduos mais bem dotados a esse nível que outros, mas não é algo que possa escolher ou mudar. Poderá ler mais acerca disto no seguinte artigo “Porque há indivíduos que desenvolvem mais massa muscular que outros?

Não perca o panorama geral de vista.

A vida é mais, muito mais do que apenas musculação/culturismo, ou de procura pelo físico ideal e os excessos raramente são benéficos. Embora seja positivo que as pessoas procurem melhorar a sua forma corporal, muitas vezes passamos demasiado tempo a concentrarmo-nos no que não temos, ao ponto de esquecermos o que temos e o que conseguimos atingir até ao momento.  Não caia nesse erro.

Da mesma forma, não se concentre apenas nas coisas más, ou nas coisas que não estão bem na sua vida. Lembre-se também das coisas boas e dê graças por ter a companhia das pessoas e família que gostam de si.

A sociedade dá demasiada importância à aparência física.

As estratégias de marketing são implacáveis e pouco a pouco, conseguem influenciar e alterar a perceção do que é um físico e rosto ideal. Não se deixe cair nesta armadilha, o tipo de físico que aparece na grande maioria das revistas de musculação, não é de todo atingível pelos praticantes de musculação, pelo menos para os naturais.

homem olhar ao espelho
Se está a fazer tudo certo, e ainda assim se sente frustrado pela falta de progressos, talvez seja seja boa ideia parar um momento e repensar as suas prioridades na vida.

Cada cultura tem uma perceção única e diferente do que é o ideal físico. Pode e deve trabalhar para melhorar o seu físico, mas não pense, nem se deixe cair na armadilha de pensar que tem que se tornar ultra-musculoso e seco como os culturistas profissionais, ou ultra-definidos como alguns atletas de fitness.

Se formos a ver, a maioria dos culturistas têm até um tipo de físico muito artificial e fora do comum, só conseguido com o suporte de quantidades copiosas de fármacos e de uma ingestão calórica massiva. Tem a certeza absoluta de que é esse caminho que pretende seguir? É mesmo esse o tipo de físico que pretende obter?

Está a usar a musculação como uma armadura?

É certo e sabido que muitos “ratos de ginásio”, tanto homens como mulheres, usam e pretendem ter uma maior quantidade de massa muscular, para usar como armadura ou para tentarem compensar abusos ou eventos traumáticos que sofreram no passado, como violações sexuais e bullyng nas escolas.

Muitos são por exemplo irmãos mais novos, que também sofreram algum tipo de pressão psicológica negativa ou rebaixamento.  Outros são indivíduos que sofrem de algum tipo de insegurança ou falta de auto-estima e usam os músculos para a tentarem superar. Isto acaba por conduzir muitas vezes ao síndrome da vigorexia.

Se quer à força toda desenvolver uma grande quantidade de massa muscular, reflita e pense se isso não é na verdade um sintoma de problemas que sofreu no passado e que procura compensar. Ou se o que está por detrás de toda essa vontade não são outros problemas que possa ter na sua vida e que deveria estar a tentar resolver em vez de se dedicar a 1000% à tentativa de adquirir quantidades massivas de massa muscular.

“Sonho de comércio”

As empresas de suplementos e outras da área investem todos os anos milhões de euros em publicidade e patrocínios, com o único objetivo de o convencer de que é possível, ou de que não é possível conseguir obter um físico musculoso (que não é possível obter sem o recurso a fármacos) sem o uso de todo o tipo imaginável e por imaginar de suplementos.

Propagam sobretudo a ideia de que para esse efeito, é necessário o consumo massivo de proteína Whey, que na verdade é apenas proteína de soro do leite, também presente nos lacticínios. Embora haja realmente alguns suplementos eficientes como a creatina (que aumenta a força na maioria dos seus consumidores), esses suplementos apenas são eficientes (proteína, gainers, hidratos) porque proporcionam mais nutrientes. Nutrientes esses que também poderiam ser obtidos através da alimentação.

Exigências e necessidades

O ser humano está cada vez mais exigente e necessitado. Nesta sociedade capitalista, baseada sobretudo no consumo, somos diariamente bombardeados com publicidade e marketing agressivo, que nos molda e faz acreditar que temos direito e “merecemos” tudo e mais alguma coisa.

Neste tipo de ambiente torna-se difícil manter a moderação, modéstia e humildade, é fácil sim cairmos em exageros e isso torna-se cada vez mais evidente nos dias de hoje, em que procedimentos invasivos como a liposução, implantes de silicone e outras operações cosméticas se tornam cada vez mais comuns.

Estes tempos modernos são sem dúvida tempos desenfreados e de loucura, onde cada vez menos pessoas olham a meios para obterem o tipo de físico que pretendem.

Tempo de reflexão

Este artigo expressa meramente a opinião do autor do mesmo, Mas acredito que talvez seja melhor regressar aos básicos. Moderar certos comportamentos. Também temos que ter alguma consciência ecológica e cuidar do planete em que vivemos, afinal de contas, se todos ingeríssemos a quantidade de comida que ingerem os culturistas profissionais, certamente iriamos necessitar dos recursos de vários outros planetas para nos sustentarmos.

Há um ditado que diz:Não desejes nada e serás o homem mais rico do mundo”. É óbvio que todos temos e iremos continuar a ter necessidades físicas e outras, mas talvez esteja na altura de um pouco de modéstia e de reflexão acerca do que realmente pretendemos.

Conclusão

Em suma, o autor deste artigo adora musculação e acredita que pode proporcionar inúmeros benefícios tanto em termos físicos como em várias outras áreas e recomenda vivamente que utilize a musculação para complementar, prolongar e melhorar a sua qualidade de vida e não para a limitar.

Escolha o lado positivo da vida e bons treinos! : o