Mitos e verdades da nutrição

Mito: As doenças cardíacas nos EUA são causadas pelo consumo de colesterol e gorduras saturadas de produtos de origem animal.

Verdade: Durante o período em que o número de doenças cardíacas aumentou de forma rápida (1920-1960), o consumo de gorduras de origem animal dos americanos diminuiu, mas o consumo de óleos vegetais hidrogenados e processados de forma industrial, aumentou de forma dramática. (USDA-HNI)

Mito: A gordura saturada bloqueia as artérias.

Verdade: Os ácidos gordos encontrados nos coágulos das artérias são sobretudo insaturados (74%) dos quais 41% são polinsaturados. (Lancelet 1994 344:1195)

Mito: O vegetarianismo é saudável.

Verdade: A percentagem de mortes por todas as causas dos homens vegetarianos é ligeiramente mais elevada que a dos homens não vegetarianos (.93% vs .89%); A percentagem anual de mortes de mulheres vegetarianas é significativamente maior que a das mulheres não vegetarianas (.86% vs .54%) (Am J Clin Nutr 1982 36:873)

Mito: A vitamina B12 pode ser obtida a partir de certas plantas como as algas azuis-verdes e produtos de soja.

Verdade: Não é possível absorver a vitamina B12 a partir de fontes de origem vegetal. Os produtos modernos de soja aumentam a necessidade corporal de B12. (Soybeans: Chemistry & Technology Vol 1 1972)

Mito: Para uma boa saúde, os níveis séricos de colesterol devem estar abaixo dos 180 mg/dl.

Verdade: A percentagem de morte por todas as causas, é mais elevada em indivíduos com níveis de colesterol abaixo dos 180 mg/dl. (Circulation 1992 86:3:1026-1029)

Mito: As gorduras de origem animal causam cancro e doença cardiovascular.

Verdade: As gorduras de origem animal contêm muitos nutrientes que protegem contra o cancro e a doença cardíaca; percentagens elevadas de cancro e doenças cardíacas, estão associadas ao consumo de grandes quantidades de óleos vegetais. (Fed Proc July 1978 37:2215)

Mito: As crianças beneficiam com uma dieta baixa em gordura.

Verdade: As crianças que seguem uma dieta pobre em gordura, sofrem de problemas de crescimento, problemas de aprendizagem e desenvolvimento.

Mito: Uma dieta baixa em gordura irá fazê-lo “sentir-se melhor… E aumentar o seu prazer em viver.”

Verdade: As dietas baixas em gordura, estão associadas a um aumento da percentagem de depressões, problemas psicológicos, fadiga, violência e suicídio. (Lancet 3/21/92 v339)

Mito: Para evitar as doenças cardíacas, devemos utilizar margarina em vez de manteiga.

Verdade: As pessoas que ingerem margarina têm o dobro da percentagem de doenças cardíacas do que os consumidores de manteiga. (Nutrition Week 3/22/91 21:12)

Mito: Os americanos não consomem a quantidade suficiente de ácidos gordos essenciais.

Verdade: Os americanos consomem uma quantidade muito elevada de um tipo de EFA (Omega-6, que se encontram na maioria dos óleos vegetais polinsaturados) mas consomem muito pouco de outro tipo de EFA (ómega-3, que se encontra no peixe, óleo de peixe, ovos de galinhas alimentadas da forma correcta, vegetais e ervas verde-escuros, e óleos derivados de certas sementes como o linho e chia, nozes como as walnuts e em pequenas quantidades em todos os cereais inteiros.) (Am J Clin Nutr 1991 54:438-63)

Mito: Uma dieta vegetariana irá protegê-lo contra a aterosclerose.

Verdade: O “The International Atherosclerosis Project” descobriu que os vegetarianos sofrem de tanta aterosclerose como as pessoas que ingerem carne. (Lab Invest 1968 18:498)

Mito: As dietas baixas em gordura previnem o cancro da mama.

Verdade: Um estudo recente revelou que as mulheres que seguem uma dieta muito baixa em gordura (menos de 20%) sofrem a mesma percentagem de cancro da mama do que as mulheres que consomem grandes quantidades de gordura. (NEJM 2/8/96)

Mito: A “dieta do homem primitivo” era baixa em gordura.

Verdade: Ao longo do mundo, os povos primitivos procuraram e consumiram a gordura dos peixes e lulas, mamíferos marinhos, pássaros terrestres, patos, insectos, répteis, roedores, ursos, canídeos, porcos, vacas, cabras, ovelhas, animais de caça, ovos, nozes e lacticínios. (Abrams, Food & Evolution 1987)

Mito: O óleo de coco causa doenças cardiovasculares.

Verdade: Quando o óleo de coco foi administrado a 7% da ingestão total calórica a pacientes que se encontravam a recuperar de ataques cardíacos, esses pacientes obtiveram uma melhor recuperação em comparação com o grupo de controlo não tratado, e não obteve diferenças comparado com os pacientes tratados com óleos de milho ou girassol. As populações que consomem óleo de coco têm níveis baixos de doenças cardíacas. O óleo de coco também pode ser um dos óleos mais úteis na prevenção das doenças cardíacas devido às suas características anti-virais e anti-microbianas. (JAMA 1967 202:1119-1123; Am J Clin Nutr 1981 34:1552)

Mito: As gorduras saturadas inibem a produção de prostaglandinas anti-inflamatórias.

Verdade: Na verdade, as gorduras saturadas melhoram a produção de todas as prostaglandinas porque facilitam a conversão dos ácidos gordos essenciais. (Price-Pottenger Nutrition Foundation Journal 20:3)

Mito: O ácido araquidónico encontrado em alimentos como o fígado, manteiga e gema de ovo provoca a produção de prostaglandinas inflamatórias “más”.

Verdade: As prostaglandinas série 2 que o organismo produz a partir do ácido arachidónico tanto encorajam como inibem a inflamação nas circunstâncias adequadas. O ácido arachidónico é vital para o funcionamento do cérebro e sistema nervoso. (Price-Pottenger Nutrition Foundation Journal 20:3)

Mito: O bife causa cancro do cólon.

Verdade: A Argentina, com um consumo de bife mais elevado, possui níveis de cancro do cólon mais baixo do que os E.U.A. Os “Mormons” têm níveis de cancro do cólon mais baixos que os “vegetarianos adventistas do sétimo dia” (Cancer Res 35:3513 1975).

Fonte!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram