É melhor o pão integral ou o pão branco?

No mundo da nutrição, e também entre a população em geral, é geralmente aceite que o pão integral é nutricionalmente mais rico e mais benéfico para a saúde do que o pão branco. Mas será realmente assim?

De fato, há boa razões para assumir que o pão integral é mais benéfico para a saúde do que o pão branco.

  • O pão integral tem um índice glicémico inferior (54) ao do pão branco (70)
  • Os cereais integrais em geral, contém mais fibra, vitaminas do grupo B, ferro, magnésio e zinco.
  • A ingestão de cereais integrais associa-se a uma redução da mortalidade por todas as causas, menor risco de cancro, doenças cardiovasculares, diabetes tipo II e de síndrome metabólica.
  • Os cereais integrais também melhoram o controlo glicémico, os níveis de colesterol, a pressão arterial, a inflamação e o funcionamento do fígado.

No entanto, a evidência científica em relação aos benefícios dos cereais integrais são contraditórios e vários deles não encontraram benefícios ou demonstraram benefícios apenas em alguns marcadores de saúde.

Vários estudos também indicam que o consumo de pão integral pode conduzir a uma diminuição da absorção de minerais e o estudo que abordamos neste artigo também detectou uma diminuição significativa dos níveis de cálcio, ferro e magnésio, o que poderá ser explicado pelos níveis mais elevados de ácido fítico nos cereais integrais em comparação com os refinados.

Elevada variabilidade

Os investigadores deste estudo demonstraram uma elevada variabilidade entre os voluntários na resposta glicémica aos dois tipos de pão, com alguns a obterem respostas mais elevadas a um tipo de pão e alguns a outro.

Os investigadores foram capazes de prever qual o tipo de pão que induz respostas glicémicas mais elevadas para cada voluntário usando apenas dados do microbioma intestinal.pão integral ou oão branco

Resumo:

  • O teste de Crossover não mostrou nenhum efeito clínico diferencial entre o pão branco e o pão integral.
  • A composição dos microbiomas foi geralmente resiliente à intervenção dietética do pão
  • A resposta glicémica aos dois tipos de pão varia imenso de pessoa para pessoa.
  • O tipo microbioma prevê com precisão a resposta glicémica induzida pelo tipo de pão.

Será que depois deste estudo podemos continuar a recomendar pão integral e cereais integrais em vez de pão branco e cereais refinados? Será que no futuro iremos ver dietas com alimentos ajustados ao microbioma individual de cada um?

De facto, a chave para uma alimentação saudável e adequada parece passar cada vez mais por um plano alimentar personalizado, ajustado às características individuais e também ao microbioma intestinal de cada um.

Referência!