Medite para obter níveis mais baixos de cortisol, mais testosterona e hormona de crescimento após o treino

Se está à procura de uma forma de melhorar a sua produção de hormonas anabólicas após o treino, porque não experimentar a meditação?

De acordo com um artigo escrito pelos talvez não completamente objectivos investigadores da Universidade de Gestão, a meditação melhora a forma como o seu sistema hormonal reage ao estímulo do stress – tal como o treino físico.

Níveis de stress contínuos, levam a níveis cronicamente elevados de cortisol. Se está sujeito a stress contínuo, e depois sujeitar-se a ainda mais stress, o seu nível de colesterol não irá subir mais.

O efeito do stress contínuo nos níveis de testosterona e hormona de crescimento é ao contrário. O stress contínuo baixa os níveis de testosterona e hormona de crescimento. Se normalmente não estiver sujeito ao stress, mas estiver sujeito durante um período curto de tempo, então a sua produção de testosterona e hormona de crescimento sobe.

Como o cortisol é uma hormona “má”, como a testosterona e hormona de crescimento são hormonas “boas” e porque se pensa que, a meditação transcendental pode ajudar a aliviar o stress contínuo, os investigadores queriam saber se as técnicas de meditação levariam a mudanças positivas nos valores hormonais.

Para descobrir isso, os investigadores conduziram um estudo com voluntários entre os 18 e 34 anos de idade. Metade do grupo meditou durante 4 meses, utilizando o método “Maharishi Mahesh Yogi [TM]”, a outra metade realizou exercícios de relaxamento [SEC]. Antes e após o período de meditação os investigadores sujeitaram os voluntários a um teste de stress físico e mental. Antes e após o teste, os investigadores mediram o nível de cortisol dos voluntários. A figura abaixo mostra o nível médio de cortisol dos indivíduos testados.

Tabela 1

A meditação transcendental baixou o nível médio de cortisol, no entanto, durante o teste, o nível de cortisol do grupo (TM) subiu mais que os voluntários do grupo (SEC).

Tabela 2

A figura abaixo mostra o efeito do teste de stress no nível de Hormona de crescimento nos voluntários do grupo (SEC) e (TM). Após 4 meses de meditação, os voluntários do grupo (TM) produziram mais hormona de crescimento que após o teste.

Tabela 3

Por último, a figura abaixo mostra o efeito que os 4 meses de meses de meditação, tiveram na produção de testosterona durante o teste. O nível de testosterona dos voluntários que fizeram exercícios de relaxamento, baixou durante o teste. No nível do grupo da meditação, manteve-se igual.

Tabela 4

Os investigadores chegaram à conclusão de que a meditação transcendental reduz o stress contínuo, e como resultado, o organismo reage melhor aos estímulos de stress de curta duração.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram