Os malefícios do cannabis

Os malefícios do cannabisSerá que o consumo de cannabis afeta os ganhos de massa muscular ou simplesmente a composição corporal dos praticantes de musculação?

Essa é a questão que me colocaram há pouco tempo e à qual irei tentar responder ao longo deste artigo.

Conhecida pelos botânicos como Cannabis sativa, existem mais de 100 espécies da planta cannabis, também conhecida como maconha, marijuana e cânhamo, que crescem de forma selvagem em todo o mundo em climas temperados.

Os malefícios do cannabis

Diminui os níveis de testosterona: O cannabis afeta os níveis de testosterona de forma negativa, reduzindo-os. Sim, o cannabis (maconha) é uma “erva”. Sim, o cannabis é uma planta “natural”.

No entanto, nada disso vai mudar o fato de que esta substância reduz os níveis de testosterona, provoca disfunção erétil e problemas de fertilidade.

Por exemplo, uma equipa de investigação descobriu que:

Uma reanálise dos dados existentes estabeleceu que os níveis de testosterona descem tanto depois de fumar um cigarro de cannabis como após a infusão intravenosa de delta-9-tetrahidrocanabinol, um componente farmacologicamente ativo do cannabis.

O mesmo estudo concluiu que seria necessário pelo menos 24 horas para normalizar os níveis de testosterona após o uso do cannabis (1).

Diminui os níveis de LH e FSH e de hormona de crescimento: Outro estudo descobriu que não é só apenas a testosterona que diminui após o uso a curto prazo do cannabis, os níveis de hormona luteinizante e estimuladora dos folículos também diminuíram (2).

Existem também estudos em animais e humanos que indicam fortemente que a marijuana também diminui os níveis da hormona de crescimento. Outros estudos realizados em animais mostram que o uso do cannabis diminui o tamanho dos testículos (3).

Ginecomastia: Para além disso, também existem relatos de que o uso crônico da maconha conduz à ginecomastia, devido às suas grandes quantidades de fitoestrogénios. O escritor de um jornal apontou que (4)

Tendo em conta os efeitos da maconha no eixo HPG dos homens e a possibilidade de vários componentes não canabinoides do fumo do cannabis possuírem afinidade com os receptores de estrogênio, é possível uma associação com a ginecomastia, mas não foi demonstrada de forma convincente.

Afeta o estado de humor: O cannabis também foi recentemente sinalizado como particularmente perigoso para os jovens, porque diminui os níveis de serotonina e aumenta os níveis de norepinefrina.

Embora não sejam hormonas sexuais como a testosterona, estas podem alterar o estado de humor de forma negativa e, através de um uso prolongado, pode alterar os níveis de ansiedade e reação ao estresse de forma permanentemente (5).

Prejudica os pulmões: Outro aspeto negativo de fumar marijuana são os níveis elevados de cianeto de hidrogénio. É isso mesmo – o tabaco de marijuana contém níveis muito mais elevados de cianeto de hidrogênio – provavelmente cinco vezes mais- do que o cigarro de tabaco.

Talvez isso explique em parte o motivo pelo qual o hábito de fumar cannabis é tão prejudicial para os pulmões e esteja agora associado à forma mais agressiva de cancro testicular.

Aumento do apetite: Outro aspeto a apontar, negativo para a maioria das pessoas, é o fato do cannabis aumentar o apetite, fazendo com que as pessoas deem preferência a produtos alimentares processados, mais doces, com mais gordura e salgados.

Isto por sua vez pode dar origem a maus hábitos alimentares e ao aumento da percentagem de gordura corporal (6).

Disfunção erétil: Também existem evidências / relatos de disfunção erétil entre os consumidores crônicos de cannabis. Isto é, sem dúvida, em parte devido à redução dos níveis de testosterona.

No entanto, foi descoberta uma outra razão por um estudo (7) que demonstrou que a marijuana afeta os níveis de óxido nítrico e os investigadores desse estudo afirmaram:

Concluímos que a lesão endotelial precoce pode ser induzida pelo uso crônico de cannabis e ativação do sistema endocanabinóide.

Os malefícios do cannabis
É bem provável que o consumo de cannabis prejudique a saúde e a composição corporal dos praticantes de musculação.

Por outras palavras, a erva da alegria poderá não fazê-lo assim tão feliz a longo prazo e poderá arruinar a sua vida sexual.

Cancro: A tragédia com o cannabis é que muitas culturas e jovens estão a abraçar esta substância como sendo mais “natural” e “saudável” do que o tabaco, mas esse está longe de ser o caso.

Um estudo recente descobriu que o cannabis induz tanta toxicidade celular e danos ao ADN como o fumo de cigarro (8).

Os investigadores foram muito claros ao firmar que o cannabis exibe tanto potencial de provocar o cancro como o fumo do cigarro:

Para além disso, quando corrigida para a produção total de partículas em suspensão, foi observada pouca diferença na atividade mutagênica das amostras fumadas sob o extremo vs o regime padrão tanto para ambos os condensados de tabaco e cannabis.

Afeta o esperma: Investigadores descobriram recentemente que o THC, químico farmacologicamente ativo presente no cannabis afeta o esperma de forma negativa, fazendo com que o mesmo se comporte de forma anormal e seja mais difícil para o mesmo atingir o seu destino. Esta pode ser outra razão para o fato do consumo de cannabis estar associada à infertilidade.

Afeta o cérebro: O cannabis não afeta apenas os seus gônadas – Vários estudos demonstraram que também afeta o cérebro de forma negativa.

Investigadores também descobriram que os consumidores intensivos do cannabis possuem uma amígdala e hipocampo 7% e 12% mais pequenos, respetivamente. Também demonstraram uma maior incidência de “psicose” de nível inicial.

Conclusão

O cannabis, marijuana ou maconha, é uma das drogas de uso recreativo mais consumidas a nível mundial e o seu consumo tem vindo a aumentar, em parte devido à percepção que muitas pessoas têm desta ser “natural” e “inofensiva”.

Mas a verdade é que existem na natureza muitas substâncias potencialmente fatais e que por algo ser natural, não significa necessariamente que seja inofensivo ou saudável.

Esta é uma substância que na opinião do autor deste artigo, os desportistas e praticantes de musculação fariam melhor em evitar devido aos seus potencias efeitos prejudiciais na saúde e no rendimento desportivo.

De uma forma geral, o seu consumo pode modificar o perfil hormonal para pior, o que por sua vez se pode traduzir numa maior dificuldade em ganhar massa muscular e perder gordura. Para além disso, os seus efeitos no apetite podem predispor para o ganho de gordura.

O debate político sobre o cannabis e os seus potencias benefícios pode ser interessante, mas as pesquisas mostram que o consumo de cannabis é prejudicial para a saúde e potencialmente mortal a longo prazo.

Referência 1|2|3|4|5|6|7|8

Siga-nos através das redes sociais.

Deixe uma resposta