Mais testosterona e menos cortisol no final do treino com a fosfatidilserina

A fosfatidilserina melhora a resposta hormonal do organismo ao treino. Homens que receberam 600 mgs durante dez dias seguidos, produziram mais testosterona e menos cortisol do que aqueles que não tomaram fosfatidilserina, após quinze minutos de exercício.

Esta foi a conclusão a que chegaram os investigadores da Universidade do Mississipi após realizarem uma experiência em dez homens saudáveis. Os voluntários tiveram de pedalar durante 15 minutos em algumas ocasiões, e também fizeram “séries” de três minutos.

Cada série começou com um nível moderado de esforço – cerca de 65% do VO2max – e terminou com uma intensidade de 85%. Os investigadores mediram as concentrações de cortisol, testosterona, lactato e hormona de crescimento do sangue dos voluntários, antes e depois do exercício. Durante uma das sessões, os indivíduos tomaram fosfatidilserina e durante a outra sessão, ingeriram um placebo.

A  fosfatidilserina pode ser encontrada nas membranas das células. Quando ingerida em forma de suplemento, melhora a função dos receptores e a resistência ao stress. Ainda não se sabe ao certo como funciona, mas os estudos humanos em pequena escala, demonstraram que a  fosfatidilserina baixa as concentrações de cortisol após o exercício e a exposição ao stress.

Este foi o raciocínio da pesquisa de que estamos aqui a falar. Os investigadores pretendiam saber se podiam melhorar a resposta hormonal, utilizando um suplemento bastante simples. Porque no final de contas, menos cortisol e mais testosterona, significa, mais progressos.

Pelos vistos, os investigadores tiveram sucesso. O suplemento reduziu a produção de cortisol, tal como demonstra a figura abaixo.

Tabela 1

A toma deste suplemento, também causou um aumento da produção de testosterona

Tabela 2

Os cientistas de desporto, utilizam frequentemente o rácio entre o cortisol e testosterona, como um indicador do nível de facilidade com que o corpo desenvolve músculo. É por esse motivo que alguns cientistas de desporto, aconselham os atletas de musculação a treinar no final da tarde.

Nessa altura, os níveis de testosterona podem estar um pouco mais baixos que ao despertar de manhã, mas os níveis de cortisol estão radicalmente mais baixos ao final da tarde.

A figura abaixo mostra como o rácio de cortisol – testosterona mudou em resultado da ingestão do suplemento.

A barra negra representa o grupo que ingeriu a fosfatidilserina.

Tabela 3

A figura á esquerda mostra o efeito nos níveis de testosterona total no sangue durante a experiência. A barra negra representa o grupo que tomou a phosphatidylserina, e a quantidade total de testosterona aumentou em 35% neste grupo. A tabela do meio mostra o efeito no nível total de cortisol, que é 35% mais baixo no grupo da fosfatidilserina. O rácio entre as duas hormonas melhorou em pelo menos 180%.

Os investigadores não observaram mudanças nos níveis de lactato do sangue, e, em termos estatísticos, a phosphatidylserina não teve efeito significativo nos níveis de hormona de crescimento. Mas olhando para a curva abaixo, será perdoado se por acaso pensar de forma diferente. Ora bem, não se pode ter tudo.

Tabela 4

A  fosfatidilserina pode ser encontrada na lecitina, mas teria de ingerir uma quantidade absurda de lecitina para conseguir obter a dose usada pelos investigadores. 100 gramas de lecitina contém cerca de 15 miligramas de fosfolípidos, e apenas uma pequena percentagem deles são constituídos por phosphatidylserina.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.