Foi criado o primeiro hambúrguer em laboratório

Já tínhamos falado anteriormente da existência de investigações e experiências científicas que tinham como principal objetivo a criação de carne artificial produzida a partir de células musculares (estaminais) de animais, como a vaca por exemplo.

A ciência não deixa de surpreender com novidades e pela forma rápida como evolui e os cientistas estão agora mais próximos de dar início à ideia de produzir este tipo de carne artificial em grandes quantidades.

Foi recentemente divulgado nos meios de comunicação a criação do primeiro hambúrguer de carne de vaca, que foi cozinhado pelo chef Richard McGeown e posteriormente servido a Josh Schonwald, autor do “The Taste of Tomorrow e Hanni Rutzler, uma cientista alimentar, e parece que o hambúrguer passou no teste do paladar.

Este projeto é da autoria do investigador Mark Post, da Universidade de Maastricht, sendo que o principal objetivo do cientista é produzir carne artificial capaz de satisfazer as necessidades da população mundial.

Mark Post afirmou:

A maioria das pessoas não imagina que estamos no ponto máximo de produção de carne, que não poderá satisfazer o aumento da procura dos próximos 40 anos. É indiscutível que tem que se encontrar alternativas. Esta pode ser uma forma ética e amiga do ambiente de produzir carne.

Note-se que o acesso à carne ainda é para muitos um luxo, especialmente nos países menos desenvolvidos, devido ao seu elevado preço em comparação a outros bens alimentares como os cereais e tubérculos.

Espera-se que este projeto possa num futuro próximo facilitar e tornar mais barata a aquisição deste bem alimentar, até porque a carne criada a partir de células estaminais necessita de bastante menos energia e água para ser produzida.

Para além disso também se prejudica menos o ambiente, já que se emite até menos 95% de gases associados ao efeito de estufa (metano e CO2), sendo que a produção de gado contribui mais para o efeito de estufa do que os transportes.

Agora resta saber a resposta a algumas questões que se impõem. Como por exemplo, será que este tipo de carne “artificial” possui as mesmas qualidades nutricionais que a carne convencional? As mesmas quantidades de aminoácidos? A proteína possui o mesmo valor biológico (VB) que a carne normal?

Uma vez que a indústria de suplementos já vende suplementos de proteína à base de carne, também seria possível que começassem a produzir suplementos à base deste tipo de carne artificial, mais baratos que os suplementos de proteína atuais.

Como se sabe, os suplementos de proteína podem ser bastante caros, especialmente nos países em que as pessoas têm menor poder de compra.

Após ter escrito este artigo, deixo algumas questões para os leitores:

  • Você seria capaz de adquirir um suplemento de proteína à base de carne “artificial” e de o usar como fonte de proteína?
  •  Seria capaz de comer carne produzida de forma artificial em laboratório, pela indústria alimentar?
  • E aqueles que são vegetarianos, seriam capazes de comer este tipo de carne artificial, uma vez que já não implica o sacrifício e o sofrimento de animais?

Qual é a sua opinião acerca deste tema? Não se esqueça de nos deixar o seu comentário mais abaixo.

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.