È mais saudável ser vegetariano do que omnívoro?

Um cientista nutricionista eslovaco escreveu o seguinte num artigo recente, “Um estilo de vida vegetariano é saudável, mas não saudável como os defensores do vegetarianismo gostariam de nos fazer acreditar”.

Supostamente, o vegetarianismo ajuda principalmente a reduzir os ataques cardíacos, mas faz pouco em termos de prevenção de cancro.

As quatro nações mais saudáveis da Europa, ingerem grandes quantidades de produtos de origem animal. Na Finlândia, Suécia e Noruega ingere-se grandes quantidades de peixe lacticínios, e os suíços ingerem tradicionalmente, grandes quantidades de queijo e carne – embora recentemente, o consumo de peixe tenha começado a declinar na suíça e o consumo de carne esteja em alta. O cientista “Ginter” compôs a tabela abaixo a partir de figuras reunidas pela WHO (World Health Organization).

Tabela 1

Parece que os riscos associados ao consumo de alimentos derivados de animais, não assim tão elevados como se pensava. “Ginter” retira a mesma conclusão a partir de estatísticas publicadas em 1999 no Jornal Americano de Nutrição Clínica. As estatísticas foram compiladas a partir de 76.000 indivíduos que não ingeriam carne.

Da montanha de dados que surgiu, dão a entender que acima de tudo, o vegetarianismo reduz o risco de ataques cardíacos fatais e anginas de peito. Embora os defensores do vegetarianismo defendam que uma dieta que, inclua grandes quantidades de carne aumentem o risco de cancro, os resultados deste grande estudo, mostram o contrário. Além disso, de acordo com o estudo, um estilo de vida vegetariano, aumenta o risco de morte por “outras causas”.

Tabela 2

Ginter suspeita que, a grande vantagem da dieta vegetariana em termos de saúde, será provavelmente a elevada ingestão de fruta e vegetais por parte dos vegetarianos.

Por outro lado, numa dieta vegetariana – se não acrescentar suplementos – contém pouca vitamina B2 e B12, e uma baixa quantidade dos benéficos ácidos gordos ómega-3. “Ginter” especula que essa pode ser a explicação para os reduzidos efeitos da dieta vegetariana na saúde.

“Ginter” afirma também que:

O vegetarianismo é uma forma de restrição alimentar. E na nossa sociedade sobrealimentada. A restrição alimentar é algo de positivo, a menos que este tipo de dieta cause deficiências nutricionais. Mas, uma aderência rígida a formas exageradas de vegetarianismo é tudo menos saudável.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram