Doses elevadas de vitamina C associadas a pedras nos rins

Doses elevadas de vitamina C associadas a pedras nos rinsSe um pouco é bom, mais é ainda  melhor, certo?

Errado, pelo menos no que diz respeito à suplementação com vitamina C.

Tomar doses elevadas de vitamina C parece duplicar o risco de desenvolver pedras nos rins nos homens.

Num artigo publicado recentemente em JAMA Internal Medicine, investigadores suecos detalham uma ligação entre a formação de pedras nos rins e o uso de suplementos de vitamina C entre mais de 23.000 homens suecos.

Ao longo de um período de 11 anos, cerca de 2% dos homens desenvolveram pedras nos rins.

Aqueles que afirmaram tomar suplementos de vitamina C tinham o dobro das probabilidades de experimentar a miséria e sofrimento das pedras nos rins. O uso de um multivitaminico comum não parece aumentar o risco.

O homem comum necessita de 90 miligramas de vitamina C por dia, a mulher comum 75 mg. A vitamina C é importante para a manutenção e reparação do tecido conjuntivo, pele e ossos. Também ajuda o corpo a absorver ferro.

Boas fontes alimentares de vitamina C incluem pimentos vermelhos, papaia e frutos cítricos. Os suplementos de vitamina C podem fornecer uma quantidade 10 vezes superior às necessidades diárias.

Em parte devido aos incansáveis mas erróneos esforços do laureado com um prémio Nobel, Linus Pauling e outros, muitas pessoas acreditam que a vitamina C extra pode prevenir constipações, fortalecer o sistema imunológico, desintoxicar o corpo, proteger o coração, combater o cancro, e mais.

No entanto, até à data, as provas científicas não suportam as afirmações de que a vitamina C extra é benéfica nesse sentido. Apesar disso, a vitamina C é a vitamina mais vendida na categoria das vitaminas e minerais. Por exemplo, no ano passado os americanos gastaram mais de $200 milhões nesta vitamina.

O risco é real, os benefícios não

O estudo sueco não é o  primeiro a estabelecer uma ligação entre a vitamina C e pedras nos rins. Foi observada uma ligação semelhante em homens pelo Dr. Gary C. Curhan e colegas da Harvard School of Public Health.

Curiosamente, num estudo quase idêntico realizado em mulheres, a equipa de Curhan´s não encontrou nenhuma associação entre a ingestão de vitamina C e pedras nos rins.

As pedras dos rins formam-se devido a uma variedade de razões. Os genes importam, tal como o género (os homens têm-nas com maior frequência que as mulheres), o peso (a obesidade aumenta o risco), e a dieta (a ingestão de quantidades elevadas de proteína de origem animal), ingestão insuficiente de água.

O tipo mais comum de pedras é uma mistura de cálcio e oxalato, uma substância encontrada em muitos alimentos. Algumas pessoas degradam a vitamina C em oxalato, o que poderá explicar a ligação com a formação de pedras nos rins.

Existem provas suficientes para advertir, pelo menos os homens, para não tomarem suplementos de vitamina C?

Sim, segundo o Dr. Curhan:

As doses elevadas de suplementos de vitamina C devem ser evitadas, particularmente se um indivíduo tiver um historial de pedras de cálcio oxalato.

Num comentário que acompanhou o artigo da vitamina C, o Dr. Robert H. Fletcher, professor emérito de cuidados preventivos e de ambulatório da Harvard Medical School, forneceu-nos um ponto de vista diferente:

Se existe realmente uma relação de causa-efeito, então uma em cada 680 pessoas que tomam doses elevadas de vitamina C (também conhecida por ácido ascórbico) irá desenvolver pedras nos rins.

Fletcher escreveu:

Isto não é um risco significativo. Mas mais direto ao ponto, será que vale a pena correr qualquer risco adicional se as doses elevadas de ácido ascórbico não são eficientes?

Referência!

Siga-nos através das redes sociais.

Deixe uma resposta