Dormir pouco aumenta as probabilidades de morte

Se reparou que tem vindo a dormir cada vez menos a cada noite, então está na altura de começar a fazer algo em relação a isso e assegurar-se de que dorme 7-8 horas por noite.

Se não o fizer, então irá duplicar as probabilidades de vir a sofrer de um ataque cardíaco. Isto segundo o que descobriram epidemiologistas da Universidade do Colégio de Londres.

Ao longo dos últimos anos, os cientistas começaram a compreender que o sono é tão importante como a nutrição e o exercício. E eles não inventaram isto; as suas conclusões estão baseadas num grande número de estudos.

Quanto melhor você dormir, mais resistência irá ter contra os vírus, mais testosterona o seu corpo irá produzir, mais massa muscular irá ganhar, menos probabilidades irá ter de ganhar gordura, mais oxigénio o seu corpo irá ser capaz de absorver – e para além disso, se dormir o suficiente também irá parecer mais atraente. Ah e por último, também irá viver durante mais tempo.

Os investigadores deste estudo pensaram que, se o sono adequado é assim tão importante para a saúde, então seria de esperar que uma mudança no comportamento do sono também afetasse o risco de mortalidade.

Como só se pode saber isso ao certo se se conseguir provar isso em termos científicos, os investigadores decidiram seguiram um grupo de dez mil cidadãos britânicos durante quase 30 anos.

dormir

A maioria deles tinham trabalhos sedentários, e as pessoas que têm um estilo de vida sedentário não precisam de dormir tanto como as pessoas que têm trabalhos físicos ou que são atletas.

No período de 1985 a 1988, os investigadores mediram a quantidade de sono que esses britânicos dormiram em cada noite, e entre 1992 e 1992 voltaram a fazer o mesmo.

Os investigadores seguiram os participantes até 2004, e quando os investigadores foram verificar se existia uma relação entre a duração do sono dos voluntários e a sua mortalidade, descobriram que em ambas as ocasiões existia efetivamente uma relação.

Os investigadores afirmaram que o nível ótimo é de 7 horas de sono por noite e observaram um risco notório da mortalidade nos voluntários que dormiram apenas 5 horas ou menos por noite, e naqueles que dormiram durante 9 horas ou mais.

Em relação aos participantes que inicialmente dormiam 5-6 horas por noite e depois começaram a dormir mais, os investigadores notaram que a sua mortalidade declinou.

Para os participantes que dormiam 6-8 horas por noite e que depois começaram a dormir menos, a sua mortalidade aumentou em 70%. As probabilidades de virem a sofrer de um ataque cardíaco duplicaram.

A mortalidade também aumentou para os voluntários que já dormiam o suficiente e que depois começaram a dormir mais. Neste caso o que aumentou foram as probabilidades de morte devido a outros fatores não relacionados com problemas cardiovasculares.

Os investigadores concluíram:

As nossas descobertas sugerem que uma diminuição da duração do sono de umas habituais 6,7 ou 8 horas, ou um aumento de umas habituais 7 ou 8 horas, predizem um aumento da mortalidade por todas as causas.

Uma diminuição da duração do sono afeta todas as causas de mortalidade através do aumento das mortes cardiovasculares, enquanto um aumento da duração do sono afeta a mortalidade geral através de um aumento das mortes não-cardiovasculares.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.