A sua dieta não está a funcionar? Uma investigação recente pode ajudar a explicar porquê.

Uma investigação recente defende que as pessoas que fazem dieta têm tendência a adoptar as estratégias erradas, eliminando os seus alimentos favoritos e substituindo-os por opções menos desejáveis, o que geralmente acaba por fazer com que abandonem a dieta e regressem aos hábitos alimentares que tinham antes.

Considere os seguintes exemplos de artigos que surgem com frequência em revistas e blogs: “10 alimentos que você deve evitar” “Estes alimentos açucarados são muito piores do que você pensa”

Outros artigos exaltam as virtudes de determinados “super-alimentos”, como se estes tivessem propriedades mágicas para a saúde, como por exemplo: “10 alimentos que todos deveriam incluir numa dieta saudável” ou “A magia do Açai”.

Ao criar um plano alimentar para melhorar a saúde, geralmente utiliza-se uma das seguintes estratégias: Focar-se em alimentos saudáveis que deveriam ser incluídos na dieta, tal como a couve, ou focar-se em alimentos não saudáveis que deveriam ser excluídos da dieta, tal com o bolo.

Os resultados de uma investigação também revelam que, basicamente, dois tipos de pessoas:

  • Aquelas com baixa capacidade de auto-controlo, que geralmente se concentram em evitar os alimentos que realmente gostam e em ingerir alimentos que gostam menos.
  • E aquelas com um nível de auto-controlo mais elevado, que tendem a seguir o padrão oposto, seguindo planos mais motivantes. Para além disso, este tipo de indivíduos tem uma maior propensão para ingerir alimentos saudáveis.

dieta nao esta funcionarDe acordo com esta investigação as pessoas que conseguem perder peso com sucesso são aquelas que tendem a focar-se em ingerir alimentos saudáveis – alimentos que na verdade gostam.

As que não têm sucesso com a dieta tendem a ser aquelas que excluem os seus alimentos favoritos substituindo-os por opções menos desejáveis.

Também se sabe que a capacidade de auto-regulação pode ser sabotada por estratégias que implicam a adoção de comportamentos considerados aborrecidos, tal como poderá ser o caso da ingestão de alimentos que o indivíduo não goste, incluindo alimentos saudáveis.

Pelo contrário, o fato de se gostar de algo proporciona motivação intrínseca que facilita o comportamento alimentar saudável e esta investigação revela que, em vez de criar regras para evitar os seus alimentos preferidos, as pessoas deveriam focar-se em ingerir os alimentos saudáveis que gostam.

Aqueles que evitam ingerir os alimentos que gostam mais, estão a aumentar as suas probabilidade de fracasso; Em vez disso, poderiam fazer melhor em permitir-se “escapes” ocasionais e focar a atenção nos alimentos saudáveis que gostam e insistir em incluir esses alimentos saborosos, mas saudáveis, nas suas dietas.

Também se verificou que, quando prestamos mais atenção à quantidade específica de alimentos não saudáveis que estamos a ingerir, tendemos a ficar saciados mais cedo.

Assim, em vez de se limitar ou restringir o consumo de alimentos muito saborosos e não saudáveis, poderá ser melhor incluir uma filosofia de moderação na qual os indivíduos se focam em ingerir alimentos saudáveis que gostam, e também permitirem-se a ingerir pequenas quantidades de alimentos não saudáveis.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram