Dieta dos Drs. Mellanby´s para reversão da cárie dentária

Tenho muita admiração pelos Drs. Edward e May Mellanby. Uma equipa de marido e mulher, eles descobriram a vitamina D, e determinaram que o raquitismo é causado por níveis pobres de cálcio (ou fósforo), tipicamente devido à deficiência de vitamina D.

Eles acreditavam que a dieta ideal é omnívora, baseada em alimentos integrais, e oferece um fornecimento adequado de vitaminas liposolúveis e minerais facilmente absorvíveis. Eles também acreditavam que a ingestão de cereais deve ser modesta, já que as suas pesquisas demonstraram que os cereais integrais não demolhados antagonizam o efeito das vitaminas D e A.

Os Mellanby´s não só a descobriram vitamina D e acabaram com a epidemia do raquitismo, que estava a devastar as cidades ocidentais da época, eles também descobriram uma cura para a fase inicial da cárie dentária, que tem estado a ganhar pó nas bibliotecas médicas de todo o mundo desde 1924.

Foi nesse ano que a Dra. May Mellanby publicou um resumo dos resultados dos estudos dos Mellanby´s sobre a reversão da cárie dentária no British Medical Journal, intitulado “Remarks on the Influence of a Cereal-free Diet Rich in Vitamin D and Calcium on Dental Caries in Children“.

Graças à magia da internet, a versão integral do documento está agora disponível gratuitamente na internet (2).

Você não precisa da minha ajuda para ler o estudo, mas neste artigo, ofereço um resumo e a minha interpretação pessoal.

Em estudos anteriores, os Mellanby´s usaram cães para definir os factores dietéticos que influenciam o desenvolvimento e a reparação dentária. Eles identificaram três, que juntos, fizeram a diferença entre uma saúde bucal excelente e má (de Nutrition and Disease):

  1. O conteúdo de minerais da dieta, principalmente cálcio e fósforo
  2. O conteúdo da dieta de vitamina solúvel em gordura, principalmente de vitamina D
  3. O conteúdo da dieta de inibidores da absorção de minerais, principalmente o ácido fítico

Uma vez que haviam definido esses factores, começaram a testar as suas hipóteses em seres humanos. Eles realizaram oito testes, cada um em crianças institucionalizadas, num cenário onde a dieta podia ser completamente controlada. Foi registado o número de cáries na boca de cada criança no início e no final do período. Apenas irei discutir as três mais informativas, e analisarei com detalhe só o mais bem sucedido. Primeiro, os resultados:

Comparação entre uma dieta comum e uma dieta mineralizante. As crianças na dieta remineralizante não sofrerem quase de nenhuma nova cárie, e melhoraram a saúde das cáries existentes.

Vou começar com a dieta 1. As crianças nesta dieta seguiram uma alimentação típica da época, além de aveia extra. Aveia é normalmente consumida como cereal não demolhado (e de qualquer forma, a demolhação não é muito eficaz neste caso), e por isso é rica em ácido fítico, que inibe de forma eficaz a absorção de alguns minerais, incluindo cálcio. Cada uma destas crianças formaram 5,8 cáries e não curaram praticamente nenhuma – nada bom!

A dieta número 2 foi semelhante à dieta 1, excepto que não havia aveia extra e as crianças receberam uma grande dose suplementar de vitamina D. Ao longo de 28 semanas, apenas se desenvolveu ou piorou uma por criança, enquanto 3,9 curaram. Assim, a simples adição de vitamina D a uma dieta razoável permitiu a cura da maior parte das suas cáries.

A dieta número 3 foi a mais eficiente. Esta foi uma dieta isenta de cereais, suplementada com vitamina D. Ao longo de 26 semanas, as crianças deste grupo registaram uma média de formação ou agravamento de apenas 0,4 cáries, ao mesmo tempo que curaram 4,7. Os Mellanby´s consideraram que tinham essencialmente encontrado uma cura para os estágios iniciais desta doença.

De era composta exactamente essa dieta?

Aqui está como foi descrito no documento:

… Em vez de cereais, por exemplo, pão, aveia, arroz e mandioca, – aumentou-se a ingestão de batatas e outros legumes, e receberam leite, carne, gordura, ovos. O consumo total de açúcar, geleias, e xaropes foi o mesmo de antes.

A vitamina D esteve presente em abundância tanto na forma de óleos de fígado de bacalhau ou ergosterol irradiado, e na gema de ovo, manteiga, leite, etc. A dieta dessas crianças foi, portanto, rica nesses factores, especialmente em vitamina D e cálcio, o que a evidência experimental tem demonstrado auxiliar a calcificação, e era desprovida desses factores, ou seja, os cereais, que interferem com o processo.

A ingestão de carboidratos foi reduzida quase pela metade. O pão e farinha de aveia foram substituídos por batata, leite, carne, peixe, ovos, manteiga e produtos hortícolas. A dieta é uma reminiscência do que o Dr. Weston Price usou para reverter a cárie dentária na sua clínica dentária em Cleveland, embora a dieta de Price incluisse pães feitos de trigo integral recém-colhidos.

Price também identificou a vitamina solúvel liposolúvel K2 MK-4 como outro factor importante na reversão da cárie dentária, que teria sido abundante nos estudos de Mellanby´s devido aos lacticinios. Os Mellanbys e Price foram contemporâneos e realizaram descobertas paralelas e complementares. Os Mellanby´s não compreenderam o papel da vitamina K2 no metabolismo mineral, e Price não pareceu apreciar o papel do ácido fítico dos cereais não demolhados na prevenção da absorção de minerais.

Aqui estão dois exemplos de refeições descritas no sumário dos Dr. Mellanby

Eu acredito que a palavra “jantar” se refere à refeição do meio-dia, e “ceia” refere-se a refeição da noite:

  • Pequeno-almoço – Omelete, cacau com leite.
  • Lanche – Leite.
  • Jantar – Batatas, carne picada cozida, cenoura, fruta cozida, leite.
  • Chá – Salada de frutas frescas, cacau com leite.
  • Ceia –  Peixe frito e batatas fritas, leite.
  • Pequeno-almoço – Ovos mexidos, leite, salada fresca.
  • Lanche – Leite.
  • Jantar – Cozido irlandês, batata, repolho, fruta cozida, leite.
  • Chá –  Carne picada aquecida com Bovril, salada verde, leite.
  • Ceia – Sopa grossa de batata feita com leite.

Além disso, as crianças receberam vitamina D todos os dias.

Aqui está o resumo do Dr. Mellanby´s dos seus resultados:

Os testes não indicam que para prevenir a cárie dentária as crianças devam viver numa dieta isenta de cereais, mas em associação com os resultados de outras investigações em animais e crianças, eles indicam que a quantidade de cereais consumidos deve se reduzida, especialmente durante a infância e nos primeiros anos de vida, e deve ser substituída por um aumento do consumo de leite, ovos, manteiga, batatas e outros legumes.

Eles também indicam que deve ser administrada uma quantidade suficiente de vitamina D e cálcio a partir do nascimento, e antes do nascimento, através do fornecimento de uma dieta adequada para a gestante. Os dentes das crianças seriam bem formados e mais resistentes à cárie dentária em vez de serem hipoplásicos e mal calcificados, tal como os das crianças que fizeram parte da presente investigação.

Se eu pudesse acrescentar algo a esse programa, recomendaria a lavagem dos dentes e o uso do fio dental, evitar açúcar e enxaguar a boca com água após cada refeição.

Esta dieta é capaz de reverter cáries em estágio inicial. Ela não irá reverter a deterioração avançada, que requer tratamento odontológico profissional o mais rapidamente possível. Não é um substituto para o cuidado odontológico em geral, e se você tentar usar a dieta para reverter as cáries dos seus próprios dentes, faça-o sob a supervisão de um dentista. E quando lá estiver, conte-lhe sobre Edward e May Mellanby!

Autor: Stephan Guyenet

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.