Dieta baixa em carboidratos reduz a inflamação e a gordura saturada no sangue na síndrome metabólica

A síndrome metabólica é uma condição que aflige de um quarto a um terço dos adultos e é reconhecidamente, um precursor da diabetes, doenças coronárias, e outras doenças sérias.

Os pacientes têm sido durante bastante tempo aconselhados a ingerir uma dieta baixa em gordura, mesmo apesar de ter sido descoberto que a restrição de carboidratos é mais eficiente para a redução de marcadores específicos como os níveis elevados de triglicerídeos, características da síndrome.

Agora, um novo estudo indica que uma dieta baixa em carboidratos é também mais eficiente que uma dieta baixa em carboidratos, para reduzir os ácidos gordos saturados no sangue e para reduzir os marcadores de inflamação.

Enquanto têm sido dirigidas mensagens sobre recomendações dietéticas confusas e contraditórias aos consumidores conscientes da sua saúde, a maioria dos investigadores concordam acerca da necessidade de limitar os agentes causadores da inflamação.

Num estudo publicado na versão on-line do jornal “Lipids”, os investigadores da Universidade do Connecticut com co-autores do Centro Médico “SUNY “ em Brooklyn, a Universidade do Minnesota e a Universidade da Califórnia, mostram muito maiores melhorias dos marcadores de inflamação em pacientes com a síndrome metabólica, com uma dieta muito baixa em carboidratos em comparação com uma dieta baixa em gordura.

O investigador principal Jeff S. Volek, PhD, RD, professor associado de Cinesiologia na Universidade de Connecticut, descreve o estudo como “adicionando uma imagem geral de melhoria na saúde geral, para além da simples perda de peso para manter o açúcar do sangue e a insulina sob controlo.”

O trabalho é parte de um estudo maior (ainda em fase de revisão) que mostra numerosas melhorias nos lípidos sanguíneos.

Este trabalho conclui:

A diminuição da ingestão da gordura total e saturada, apenas teve um efeito mínimo nos marcadores inflamatórios em circulação, enquanto a redução dos carboidratos reduziu de forma considerável o número de moléculas pro-inflamatórias, cytokines, chemokines e moléculas adesivas.

Estes dados indicam os carboidratos da dieta em vez da gordura, como sendo o fator nutricional que contribui de forma significativa para o processo inflamatório.

Richard Feinman, PhD, professor de bioquímica no centro médico SUNY, afirmou também:

A verdadeira importância das dietas que diminuem a quantidade de carboidratos, é que estão fundamentadas por um mecanismo – os carboidratos estimulam a secreção de insulina que desvia o metabolismo da gordura para a armazenagem em vez de para a oxidação. A inflamação resultante abre um novo aspecto do problema.

De um ponto de vista prático, a demonstração continuada de que a restrição de carboidratos é mais benéfica do que a restrição de gordura, poderia ser uma boa noticia para aqueles que desejam evitar ou controlar as doenças associadas à síndrome metabólica.

Um dos efeitos mais destacados dos dados apresentados, que pode ter contribuído para os resultados, é que, apesar do triplo da ingestão de gordura saturada na dieta do grupo baixo em gordura, a gordura saturada no sangue esteve mais elevada no grupo da dieta baixa em gordura, devido a um processo conhecido por “lipogénesis induzida por carboidratos”.

O Dr. Volek referiu:

Isto demonstra de forma clara as limitações da ideia de que, você é aquilo que come. O metabolismo desempenha um papel importante. Você é aquilo que o seu corpo faz com aquilo que come.

Fonte: Sciencedaily

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram