Como saber se está saudável ou não?

Como é que podemos saber se estamos em risco de desenvolver diabetes, acidentes cardiovasculares (AVCs), tensão alta, certos tipos de cancro, colesterol alto e osteoartrite?

Como se sabe, estas doenças estão associadas à obesidade ou excesso de peso. Mas como podemos fazer para saber se estamos apenas com algum excesso de peso ou obesos ou simplesmente normais? É possível termos um peso normal e ainda assim estarmos em risco de desenvolver as doenças acima?

Neste artigo, vamos usar dois passos simples para saber se você está saudável ou não: Medição e Avaliação.

Medição

Existem três medidas-chave que nos indicam o risco de desenvolver doenças como a diabetes, tensão alta, derrame e assim por diante. Vamos olhar para cada um.

Índice de massa corporal (IMC): IMC é um número calculado a partir do peso e altura, que mostra se você é normal, tem excesso de peso ou é obeso.

Como medir o IMC? Use a equação abaixo para saber o seu IMC. Ou utilize a tabela para encontrar o seu nível de peso ou IMC.

O IMC é calculado tendo em conta o peso (massa) e a altura da pessoa. Aqui tem a fórmula que nos permite conhecer o IMC quando se sabe o peso (em quilogramas) e a altura (em metros) de uma pessoa:

IMC = (peso) ÷ (altura)2

  • Observe que se obtém o IMC dividindo o peso da pessoa com o quadrado da altura.
  • Assim sendo, um indivíduo que tenha 1,60 m de altura, com 51 kg de peso, terá um IMC de:

IMC = 51 ÷ (1,60)2 = 51 ÷ 2,56 = 19,5

Tabela: Encontre o seu peso na parte superior da tabela, depois procure a sua altura à esquerda da tabela até chegar à linha que corresponda à sua altura. Depois verifique em que grupo de insere.

Tabela de IMC
Tabela de IMC (Índice de Massa Corporal).

Circunferência da cintura: O peso não é o único fator de risco, o local em que o seu corpo armazena a sua gordura é outro fator de risco e ainda mais importante do que o peso corporal.

Como medir a circunferência da cintura? Coloque uma fita métrica à volta de seu abdômen um pouco acima do osso do quadril. Certifique-se de que a fita está bem ajustada e se encontra paralela ao chão. Expire, e meça a sua cintura.

Circunferência da cintura
A linha tracejada indica o local para medição da circunferência da cintura.

Outros fatores de risco: Para além do peso e da circunferência da cintura, existem também outros fatores de risco. Você tem algum desses fatores de risco?

  • Tensão arterial elevada (hipertensão)
  • Níveis altos de colesterol LDL (o colesterol “ruim”)
  • Níveis baixos de colesterol HDL (o colesterol “bom”)
  • Níveis elevados de triglicéridos
  • Níveis elevados de glicemia (açúcar)
  • Historial familiar de doença cardíaca precoce
  • Inatividade física
  • Tabagismo
  • Ingestão excessiva de álcool

Avaliação

Meça a circunferência da sua cintura e veja a tabela abaixo para ver o seu nível de risco.

circunferencia da cintura e risco de complicações metabolicas para homens e mulheres

Para encontrar o risco absoluto, terá que incluir os outros fatores de risco, para além do IMC e circunferência. Você tem um risco absoluto elevado e precisa de perder peso e tratar os seus fatores de risco urgentemente, se tiver:

  • Obesidade (Índice de Massa Corporal superior a 30).
  • Excesso de peso (Índica de Massa Corporal de 25 – 29) e 2 ou mais fatores de risco.
  • Cintura superior a 94 cm em homens) e 80 cm em mulheres de cintura e tiver 2 ou mais fatores de risco.

Coisas a manter em mente

O IMC não tem em conta a quantidade de massa muscular. Por isso, se você for um atleta ou tiver uma grande quantidade de massa muscular, o IMC não será preciso.

A circunferência da cintura é um preditor independente de risco de doenças. Em algumas populações (asiático-americanos e asiáticos) e pessoas mais idosas, a circunferência da cintura é um melhor indicador do que o IMC.

Você pode estar no seu peso normal, mas se a circunferência da sua cintura for maior do que o recomendado, ainda está em risco.

Conclusão

O seu IMC, circunferência da cintura e presença de outros fatores de risco, determinam o seu risco de contrair doenças graves. Se acha que este artigo pode ser útil a algum amigo ou familiar seu, não se esqueça de o partilhar.

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.