Como reverter os problemas digestivos

Aqui estão 8 coisas que pode fazer para reverter os problemas digestivos que estiver a ter e, assim, começar a absorver melhor os alimentos que ingere!

Suplemente-se com probióticos

Se estiver a ter problemas, pode precisar de repor a sua flora bacteriana. Também poderá ficar surpreendido por saber que as bactérias que vivem no nosso aparelho digestivo são na verdade, o maior órgão em termos de peso, dentro do nosso corpo. Tem, de acordo com muitos, um peso de cerca de 2 quilos. Nas instituições de ensino, ensinam que o fígado, geralmente com cerca de 1 quilo e meio, é o maior órgão interno, e provavelmente já terá ouvido dizer que a nossa pele é o maior órgão do nosso corpo e no exterior.

Eu sei que parece estranho, já que é difícil descobrir quanto pesam 1 a 10 trilião de bactérias. Não me importa nem interessa qual órgão é o maior, se o fígado ou as bactérias intestinais, só queria dar a entender que as bactérias que vivem no nosso sistema digestivos existem em grande número, e à medida deste artigo irá ver como isso o pode ajudar ou dificultar-lhe a vida em termos de absorção dos alimentos. Nem todas as bactérias são boas (como a salmonela, por exemplo), mas há muitas que são amigáveis e a essas nós chamamos de probióticos “flora intestinal”.

Não irei afirmar que conheço todos os tipos e variedades de bactérias presentes no nosso sistema digestivo (existem 400-500 tipos diferentes), mas existem duas estirpes em que eu quero que se concentre, pois sinto que o irão ajudar na sua busca de uma melhor digestão e absorção de nutrientes. Quando se compra um produto do género, os melhores são os que contêm uma grande variedade de probióticos, mas certifique-se apenas de que estes são os dois componentes principais dessa fórmula.

O Lactobacilos é um desses dois, e está primariamente localizado no seu intestino delgado, que coloniza. Já terá provavelmente ouvido falar de um tipo de suplemento chamado Lactobacillus acidophilus ou L acidophilus. Este é um óptimo complemento para evitar a proliferação de bactérias más como o e. coli, candida, e salmonela. Também auxilia na digestão de produtos lácteos, degradando a caseína e o glúten, melhorando a absorção de nutrientes e acidificando o trato intestinal através da fermentação de lactose. Um pH baixo cria um ambiente muito hostil para patógenos e leveduras. Estas floras intestinais também podem gerar vitaminas B e até mesmo vitamina K.

A bifidobacteria é outro  probiótico em que quero que se concentre. Encontra-se principalmente no intestino grosso. Ela impede que as bactérias más colonizem o cólon (que literalmente se prende ao revestimento intestinal e afasta as bactérias más e leveduras), o que serve para proteger a mucosa intestinal de que temos vindo a falar. Para além disso, produz ácidos que mantêm o equilíbrio de pH no intestino, e novamente isto é importante para matar os micróbios que podem causar doenças.

Este também é um suplemento muito importante para aqueles que tomam antibióticos e outros medicamentos, uma vez que diminui o efeito colateral de matar todas as bactérias boas. Estas bactérias também ajudam a regular o peristaltismo, que é o processo através do qual os alimentos se movem através do trato digestivo. Mais uma vez, os alimentos que permanecem nos seus intestinos durante demasiado tempo, provocam problemas, por isso este é um benefício particularmente importante. Por último, também podem produzir vitaminas do complexo B.

Existem muitos outros benefícios associados a esses dois tipos de bactérias que não iremos abordar aqui, tal como ajuda metabólica na degradação e reconstrução de hormonas , convertendo flavonóides na sua forma utilizável, etc

Uma boa estratégia para aumentar a produção destes dois tipos de bactérias é suplementar-se com estes probióticos. Eu quero que olhe especificamente para lo actobacillus acidophilus e bifidobactérias bifidum. Para além disso, as melhores marcas encontram-se geralmente refrigeradas. Tenha muito cuidado ao encomendar produtos através da internet, de empresas que afirmam que os seus produtos não necessitam de refrigeração. Existem algumas estirpes que não requerem, mas a maioria das estirpes mais fortes e mais críticas, exigem refrigeração.

Suplemente-se com prébióticos

A diferença entre os pré e os probióticos é a seguinte, os prebióticos são um alimento para as bactérias boas, enquanto os probióticos são as verdadeiras e boas bactérias. Os prebióticos são nutrientes não-digeríveis que as suas bactérias boas podem usar para produzir energia. Estimulam o crescimento de bactérias benéficas como as bifidobactérias e os lactobacilos que acabamos de discutir.

Os dois tipos mais comuns são a inulina e os FOS (frutooligossacarídeos). Geralmente, eles passam por todo o sistema digestivo, e aplicam a sua magia no cólon. Eu uso um de forma religiosa um suplemento da Now Foods chamado “Stevia balance” com inulina e crómio. Use-o como o seu adoçante de eleição!

Em termos de escolhas alimentares, as alcachofras de Jerusalém, bananas, mel (eu prefiro o mel orgânico cru), alho, cebola, alho-porro e chicória também são todos boas fontes. Certifique-se de incluir alguns desses alimentos na sua dieta.

 Use Anti-oxidantes e glutamina para reparar os danos que já foram feitos, e evitar danos futuros

Existem excelentes suplementos antioxidantes que pode usar para minimizar os danos dos radicais livres no seu sistema digestivo. Uma vez que comece a haver danos nos seus intestinos, esses radicais livres podem tornar-se uma espiral fora de controlo. Aqui estão alguns suplementos que recomendo para controlar isto.

  • A- Glutamina: Este nutriente realmente repara o seu revestimento mucoso diretamente. É o alimento preferido das células do seu intestino delgado! Isso deve estar no topo de sua lista para manter a sua integridade da mucosa e para a tratar. Experimente 5 gramas duas vezes por dia.
  • B – NAC – N-acety cisteína: Tome 2 gramas por dia. Este é um dos melhores suplementos para o efeito que pretendemos. É um poderoso antioxidante, e suplemento de suporte imunológico. É um precursor da glutationa, juntamente com a glutamina e a glicina, um antioxidante importante que protege as células contra o stress oxidativo. Isso ajudará a minimizar os danos que já ocorreram nos seus intestinos, e, certamente, os efeitos de fortalecimento da imunidade são necessários, devido ao revestimento intestinal danificado.
  • c. ALA – ácido alfa-lipóico: Outro suplemento incrível para reduzir a atividade dos radicais livres, e este suplemento também pode ajudar a apoiar o funcionamento do seu fígado, e até mesmo funcionar no sentido de manter os níveis de açúcar no sangue. No caso de querer utiliza-lo como antioxidante, use 300 mgs entre as refeições, 3 vezes por dia (metade da dose para a forma R). Na verdade, este suplemento recicla os antioxidantes do seu corpo. Isso poderá evitar infeções nos seus intestinos. Se der uma vista de olhos na maioria das investigações acerca do tema, verificará que uma bactéria chamada Helicobacter pylori é a principal culpada das gastrites, úlceras e cancro de estômago. Os antioxidantes podem ajuda-lo a defender-se contra isso!

Consuma alimentos para reforçar a flora

Os alimentos fermentados e cultivadas são a minha principal arma nessa batalha. Os alimentos fermentados têm uma maior quantidade de conteúdo probiótico, auxiliam na digestão, e estão carregados de enzimas digestivas.

O meu top 3 favorito pessoal inclui:

  1. Kimchi: Um tipo de produto asiático constituído por repolho fermentado que é um marco na minha dieta.
  2. Saurkraut: É usado para tratar úlceras e problemas digestivos em alguns países.
  3. Queijo cottage/Iogurte/Kefir: laticínios fermentados.

Faça dos carboidratos fibrosos um pilar da sua dieta diária

Inclua fibras na sua dieta, principalmente através das frutas e vegetais! As frutas e vegetais ricos em fibras também protegem os nossos cólons e reduzem as probabilidades de desenvolvimento de doenças intestinais, incluindo cancro do cólon. Agora lembre-se que, quando se começa a aumentar a ingestão de alimentos ricos em fibra, isso por si só, pode provocar-lhe um aumento da flatulência, até que a sua flora intestinal se ajuste, e é precisamente isso que pretendemos (regulação da flora intestinal – e não a flatulência).

A flora intestinal presente no nosso sistema digestivo, pode chegar a pesar 2 quilos, e são de uma importância vital para a nossa saúde.

Se lhe parece ser uma grande quantidade de fibra para si, então comece por ingerir uma quantidade pequena, e vá aumentando de forma lenta e gradual. Não é boa ideia chocar o corpo e passar de ingerir uma pequena quantidade para uma grande quantidade de fibra num curto período de tempo.

Eu apontaria para uma peça de fruta e um serviço de vegetais em cada refeição. Mas tenha cuidado porque até mesmo um excesso de vegetais e frutas pode provocar problemas intestinais. Para além disso, tente comer frutas e vegetais frescos e da época, já que estes terão muito provavelmente uma maior quantidade de nutrientes e atividade enzimática.

Remova o lixo da sua dieta

Não volte a deixar que se introduzam açucares refinados e gorduras trans na sua dieta! Para além disso, tente minimizar o consumo de álcool. Lembre-se que o açúcar, as gorduras produzidas pelo homem e os alimentos processados inflamam, o seu trato gastrointestinal.

Um dos meus amigos diz sempre que, se não vai germinar ou apodrecer, não o coma. É um bom conselho, já que os alimentos “vivos” têm mais nutrientes e maior atividade enzimática!

Use suplementos de enzimas digestivas e outros suplementos diversos

Gosto muito de enzimas digestivas, pois podem funcionar tanto no ambiente do estômago como no ambiente intestinal.

Quando pretender adquirir enzimas, procure estes ingredientes chaves:

  • Protease: Esta enzima irá ajudar a digerir as proteínas.
  • Lipase: Esta enzima irá ajudar a digerir a gordura.
  • Amilase: Esta enzima irá ajudar a digerir os carboidratos (amidos).
  • Bromelaína e papaína: Duas outras excelentes escolhas para auxiliar na digestão de proteínas. Se preferir uma fonte alimentar, use abacaxi fresco para obter bromelaína e papaia fresca para obter papaína. Estas enzimas funcionam em todas as 3 secções do intestino delgado, ao contrário da protease que apenas pode funcionar na parte superior do intestino delgado.
  • Cloridrato de betaína: Esta é uma boa fonte de ácido clorídrico, uma substância química que existe naturalmente no estômago e que ajuda a digerir o alimento através da degradação de proteínas e gorduras. O baixo pH do ácido clorídrico do estômago também destrói as bactérias e microorganismos ingeridos  enquanto se alimenta, que podem deixá-lo doente e comprometer a sua integridade intestinal.

Mudanças de estilo de vida

Uma das coisas mais importantes que eu quero enfatizar é que deve relaxar e encontrar formas de se destressar. Para além disso, divirta-se! Encontre algo que gosta de fazer (de preferência que seja legal), e faça-o muitas vezes! Para mim, pessoalmente, a sala de musculação é o lugar onde todo o stresse da rotina diária se dissipa. Quando deixo o ginásio, possa estar a sofrer fisicamente, mas mentalmente, sinto-me muito  relaxado e à vontade. O exercício também massaja os seus intestinos, e assim também poderia ajudar a aliviar a obstipação.

Coma quando estiver com fome. Não é boa ideia forçar a ingestão de comida. Isso geralmente resulta em má digestão. O seu corpo não está preparado para isso. Agora eu faço uma exceção para as pessoas que têm pouco apetite ou têm metabolismos extremamente rápidos.

Ok. Isto pode parecer um pouco estranho e místico para si, mas eu tento mesmo mastigar a comida devagar e relaxar enquanto como (Eu não sou bom nisso, mas tento). Diminua a velocidade e aprecie o sabor da comida que ingere. Aprecie as pessoas que ama, e desfrute de uma boa refeição juntamente com a família.

Traduzido e adaptado a partir de um artigo de John Meadows

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram