Combinação de creatina e cafeína funciona para todos os desportos explosivos

Os jogadores de futebol, velocistas e atletas que praticam desportos que exigem repetidos surtos explosivos poderiam beneficiar da combinação de creatina com cafeína.

Depois de carregar com creatina por um par de dias, poderá obter um desempenho ainda melhor se, em seguida, adicionar uma dose de cafeína, de acordo com o que os cientistas de Taiwan afirmaram no “European Journal of Applied Physiology”.

Nas células musculares, a molécula de creatina funciona como uma bateria. A célula atribui grupos fosfato à molécula de creatina, que por sua vez as transfere para se certificar de que a molécula de energia ATP possui fosfato suficiente. Quando os músculos se contraem de forma activa e em rápida sucessão, como fazem, por exemplo, durante o treino de força ou sprints, as células musculares dependem da quantidade de ATP que está disponível.

A cafeína torna as células mais sensíveis à adrenalina e aumenta a taxa metabólica das células musculares. Mas a cafeína também muda o metabolismo das células musculares em “direcção” aos processos fisiológicos mais relacionados com os desportos de resistência e actividade física contínua. A administração contínua de cafeína activa a enzima AMPK e estimula a queima de gordura, mas reduz a quantidade de ATP.

Desta forma, as doses contínuas e pesadas de cafeína, reduzem o efeito da suplementação de creatina. No entanto, os atletas podem beneficiar de ambas as substâncias se começarem por usar pouca ou nenhuma cafeína durante um par de dias, e depois carregar com creatina, e uma hora antes de um jogo, competição, ou sessão de treino tomar cafeína.

No seu estudo, os taiwaneses também verificarem se este método também funciona nos atletas que têm de fazer vários sprints curtos em rápida sucessão. E sim, também funcionou.

Os pesquisadores administraram a 12 estudantes fisicamente activos, 0,3 g de creatina por kg de peso corporal por 5 dias. Para um estudante de 80 kg isto equivale a 24 g por dia. A administração da dose de creatina foi repartida em quatro alturas do dia.

Em seis dias, os estudantes tomaram 6 mg de cafeína por kg de peso corporal, 60 minutos antes de praticarem sprint. Isso é o equivalente a 480 mg para um estudante de 80 kg.

Os pesquisadores repetiram o procedimento com placebos. A figura abaixo mostra quanta energia os alunos conseguiram gerar, pedalando numa bicicleta estática com a maior intensidade possível. Entre os sprints os alunos pedalaram durante 60 segundos a uma velocidade moderada.

Tabela 1
Tabela 2

Quando os estudantes tomaram cafeína-creatina, o batimento cardíaco deles foi ligeiramente superior, e o seu sangue continha mais um pouco de ácido láctico e glicose.

Os tailandeses concluíram:

A cafeína pode não atenuar os benefícios ergogénicos da creatina, se a ingestão de cafeína, ocorrer após a fase de carga de creatina. A recomendação prática deste estudo é a de que os atletas que pretendam aumentar os efeitos ergogénicos da creatina podem-se suplementar com cafeína antes do exercício intenso.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.