O chá verde acelera a recuperação muscular

Para além de proteger os músculos durante a realização de exercício físico intenso, as catequinas presentes no chá também aceleram a recuperação muscular após o exercício.

Isto segundo um estudo realizado em animais e que foi publicado por investigadores da Japanese Kao Corporation em Medicine and Science in Sports and Exercise.

Os japoneses administraram a ratos um extrato de chá verde que eles próprios produziram. O extrato consistiu em 41% de galato de epigalocatequina, 23% de epigalocatequina, 12% de galato de epicatequina, 9% epicatequina e 7% de galocatequina.

Os investigadores misturaram as catequinas na ração dos ratos. A concentração do extrato na ração foi de 0.5%.

Um grupo de ratos ingeriu a ração enriquecida com o extrato de chá verde durante três semanas e um grupo de controlo ingeriu ração normal.

No final do período, os investigadores colocaram os ratos a correr numa esteira declinada, uma forma fácil de desenvolver uma quantidade considerável de danos nos músculos.

Um dia mais tarde, antes que os músculos dos ratos tivessem hipótese de recuperar, os investigadores fizeram os animais correr na esteira de novo. Eles observaram que os ratos que receberam extrato de chá verde foram capazes de correr durante bastante mais tempo do que aqueles que não receberam o extrato.

Os investigadores mediram a capacidade de contração que os músculos dos ratos geraram após terem recebido um choque elétrico. Eles fizeram isso imediatamente após a sessão de treino e de novo após 24 horas. Os ratos que receberam o extrato de chá verde tiveram um desempenho melhor em ambas as ocasiões.

Os investigadores mediram a concentração de vários indicadores de danos e inflamação no tecido muscular dos ratos, e verificaram que a suplementação com catequinas resultou em concentrações consideravelmente mais reduzidas de malondialdeído, TNF-alfa, interleucina 1-beta e MCP-1, 24 horas após a sessão de treino do que os valores dos ratos que receberam a ração normal.

Aconteceu o mesmo em relação à concentração dos indicadores de danos musculares no sangue, como por exemplo em relação aos níveis de creatina quinase e LDH. Estes valores também foram mais reduzidos nos ratos que receberam o extrato de chá verde.

Os investigadores afirmaram:

O consumo de catequinas alivia algum stress oxidativo e inflamação nos músculos dos ratos após um episódio de corrida declinada e promove a recuperação da performance física.

Estas descobertas têm implicações importantes e irão ajudar a estabelecer estratégias nutricionais humanos que aceleram a recuperação do desempenho físico após o exercício.

No entanto, o equivalente humano da dose que os investigadores usaram nos ratos seria de 3-5 gramas de extrato de chá verde por dia. Para algumas pessoas isso seria uma quantidade demasiado excessiva.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.