Cardio em duas partes queima mais calorias

Cardio em duas partes queima mais calorias
A única forma de perder peso é queimando mais energia do que ingere. Num artigo escrito há quase 20 anos atrás, publicado em 1990 no British Journal of Sports Medicine lemos sobre uma forma de conseguir que o seu corpo queime um pouco mais de energia, o que é interessante para os praticantes de musculação. Está preparado para ficar a conhecer?

Os praticantes de musculação e culturistas que queiram perder peso mas também manter ao máximo a massa muscular, têm duas opções: podem seguir uma dieta hipocalórica com boas quantidades de proteína, ou podem adicionar treino cardiovascular aos seus programas de treinos.

A última hipótese funciona relativamente bem, faça uma hora de bicicleta elíptica e poderá queimar até 400 calorias, uma quantidade que é difícil atingir sem suplementos ou mudanças dietéticas.

Mas o corpo tem uma capacidade limitada de recuperar do exercício físico. Uma pessoa saudável cujo único exercício que faz é corrida, pode-se tornar mais saudável caminhando ou correndo durante 50 minutos três vezes por semana.

Mas para um praticante de musculação que já leva o seu corpo ao limite nos treinos com pesos, o prolongamento das sessões de treino com exercício cardiovascular poderá impedir a obtenção de mais progressos.

Quanto mais longas forem as suas sessões de treino cardiovascular, maior será a quantidade de hormona cortisol que o seu corpo irá produzir, e mais irão impedir os seus progressos. Por isso, a solução é limitar o período de tempo e o número das sessões de cardio. Mas numa sessão curta queima-se menos calorias do que numa sessão longa.

No entanto, poderá ser capaz de resolver este problema dividindo o seu treino cardiovascular em duas sessões. Isto de acordo com uma investigação realizada na Northeastern Illinois University e publicada em 1990.

Se fizer isto, não só irá limitar o impacto negativo do treino cardiovascular, como também irá aumentar a quantidade de energia que queima. Aqui não estamos a falar da energia que é queimada durante as sessões cardiovasculares, mas sim depois. Depois do esforço físico, o seu corpo gasta energia para regressar ao seu estado em repouso.

Por exemplo, durante o exercício, o se coração bate mais rapidamente e portanto queima mais energia.

Quando você para, demora algum tempo até o seu coração voltar ao normal. Recuperar a energia ou fluidos usados, ou deixar recuperar o tecido muscular, são processos que despendem energia.

Os cientistas têm um nome para este gasto adicional de energia: chamam-lhe EPOC (excess post-exercise oxygen consumption / excesso de consumo de oxigênio pós-exercício).

No seu estudo, os americanos colocaram seis mulheres a correr numa sessão de 50 minutos a 70% do seu VO2max (ritmo cardíaco máximo).

Depois as mulheres tiveram que correr durante duas sessões separadas com a duração de 25 minutos cada a 70% do seu VO2max. Após essas sessões, os investigadores mediram o EPOC das mulheres, 30 minutos depois do exercício.

20 minutos depois de terem parado de correr, o consumo de oxigênio das mulheres tinha regressado ao normal. Não fez diferença se tinham corrido 25 ou 50 minutos, o seu EPOC foi o mesmo. Mas quando as mulheres correram em duas sessões, o valor de EPOC total atingiu o dobro.

Cardio em duas partes queima mais calorias
As mulheres que tiveram de correr durante 50 minutos queimaram mais 7 calorias por minutos após a sua sessão de treino. Por isso, em 20 minutos elas tinham queimado 140 calorias. As mulheres que correram em duas sessões separadas queimaram o dobro das calorias.

É claro que mais 140 calorias não é um valor muito alto. Mas se fizer isso três vezes por semana, serão mais 420 calorias que irá queimar por semana. E (em teoria) se fizer isso durante 17 semanas, irá queimar mais um quilo de gordura.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Comentários fechados.