A betaína aumenta a força e a massa muscular

A betaína, também chamada de glicinabetaína e/ou trimetilglicina (TMG) é um aminoácido que está presente em animais, plantas e micro-organismos.

As fontes alimentares mais ricas em betaína incluem frutos do mar, especialmente invertebrados marinhos (≈ 1%), gérmen de trigo ou farelo (≈ 1%) e espinafre (≈ 0,7%).

A principal função fisiológica da betaína é como um osmólito e doador de radicais metil (transmetilação). Como osmólito, a betaína protege as células, proteínas e enzimas do stress ambiental (por exemplo, níveis reduzidos de água, elevada salinidade ou temperatura extrema).

Como doador de radicais metil, a betaína participa no ciclo de metionina, principalmente no fígado e rins do ser humano.

A betaína aumenta a força e a massa muscular

É bem possível que estejamos perante um suplemento eficiente para aumentar a força e massa muscular.

Num estudo realizado recentemente, os investigadores recrutaram 23 jovens praticantes de musculação e colocaram-nos a seguir um programa de treino sólido durante 6 semanas (1).

Os voluntários foram divididos em dois grupos, sendo que um deles recebeu:

  • 2 x 1.25 gramas de cápsulas de placebo, e o outro…
  • 2 x 1.25 gramas de cápsulas de betaína.

Os investigadores escolheram essa dose porque é considerada segura (9-12g/dia), e aumentou os níveis plasmáticos de betaína de forma eficiente (2.5-5g;) e já tinha produzido aumentos de força e performance em estudos anteriores (23, 4).

E os resultados:

  • A circunferência dos braços aumentou de forma significativa no grupo ingeriu betaína.
  • A capacidade de volume de treino no exercício supino foi superior no grupo da betaína.
  • A composição corporal melhorou de forma significativa no grupo que ingeriu betaína, mas não no grupo placebo.
  • Existiu uma tendência para um aumento da capacidade de gerar potência no grupo da betaína em comparação com o grupo placebo.
  • Os níveis de HTCL na urina permaneceram na 4ª semana permaneceram elevados no grupo placebo, mas não no grupo da betaína.
A betaína aumenta a força e a massa muscular
A betaína parece ser um dos poucos suplementos que realmente proporcionam resultados em termos de aumento da força e da massa muscular.

Os investigadores acreditam que quanto mais intensos forem os treinos em termos metabólicos (volume de treino elevado), maiores irão ser as probabilidades de se poder vir a beneficiar com a suplementação com betaína (trimetilglicina). Não confundir com a betaína HCL.

A betaína já demonstrou elevar os níveis plasmáticos de Hormona de crescimento, IGF-1 e aumentar a fosforalização Akt no músculo esquelético humano.

E em ratos, a betaína aumenta a sensibilidade à insulina restaurando a ativação do IRS1 e a subsequente fosforalização do PI3K/Akt por 50-100% de uma forma dependente da concentração (5).

Portanto é possível que a betaína possa ter aumentado a síntese de proteína muscular através do aumento das hormonas anabólicas e da sinalização celular. Conduzindo assim a um aumento da massa muscular (1).

Os investigadores concluíram:

Seis semanas de suplementação com betaína melhoraram a composição corporal, circunferência dos braços, capacidade de trabalho no exercício supino, atenuou o aumento do  níveis de HCTL na urina e tendeu a aumentar a potência.

Quando se deve tomar a betaína?

A betaína pode ser ingerida em qualquer altura do dia, mas assegure-se de que a ingere juntamente com alguns alimentos de forma a evitar possíveis perturbações gastrointestinais.

Em relação à dosagem de betaína a ingerir de forma a obter resultados, já foi demonstrado que a ingestão de 2,5 a 5 gramas de betaína por dia é o suficiente para elevar de forma significativa os níveis plasmáticos de betaína.

2.5 gramas já pode ser o suficiente para proporcionar resultados em termos de aumento de força e no estudo em questão utilizaram uma dosagem média relativa de (34,8 mg / kg de massa corporal magra), dosagem semelhante à utilizada noutro estudo que também demonstrou melhorias no desempenho físico e no qual utilizaram uma dose média de  (36,3 mg / kg de massa corporal magra.

Conclusão

O estudo em mãos adiciona mais provas de que a betaína pode ser uma adição valiosa ao regime de suplementação dos praticantes de musculação e de outros atletas de desportos que implicam levantamento de cargas elevadas.

E você, já experimentou este suplemento? Conte-nos como foi a sua experiência com ele.

Referência 1|2|3|4|5|

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário