Os benefícios do amido resistente

A maioria das pessoas já conhecem o amido, que é basicamente um nutriente, um tipo de carbohidrato que nós conseguimos digerir, absorver e metabolizar como glucose. O que poucas pessoas conhecem é o amido resistente.

O amido resistente é a soma do amido e produtos da degradação do amido que não foram absorvidos no intestino delgado de indivíduos saudáveis (1).

Em vez de serem clivados em dois pelas nossas enzimas e absorvidos em forma de glicose, o amido resistente viaja incólume ao longo do intestino delgado até ao cólon, onde a flora intestinal que coloniza o cólon metaboliza esse amido e o converte em cadeias curtas de ácidos graxos.

Portanto este tipo de amido é resistente à digestão pelo ser humanos, mas não por determinados tipos de bactérias intestinais.

Existem 4 tipos de amido resistente

Amido resistente tipo 1: Amido recoberto por paredes celulares indigeríveis de células vegetais; encontra-se nas leguminosas, cereais e sementes.

Amido resistente tipo 2: Amido que é indigestível no seu estado crú devido ao seu elevado conteúdo de amilose; encontra-se nas batatas, bananas e banana-da-terra. Este tipo de amido torna-se digerível depois de ser aquecido.

Amido resistente tipo 3: Amido retrogradado; depois de alguns tipos de amido terem sido cozinhados, o seu arrefecimento (ao serem colocados no frigorífico ou congelador) modifica a sua estrutura e torna-o mais resistente à digestão; encontra-se em vários alimentos ricos em amido que foram cozinhados e posteriormente arrefecidos, tais como as batatas, cereais e leguminosas.

Amido resistente tipo 4: Amido resistente industrial; Este tipo de amido não existe na natureza e foi criado ( e modificado) pelo ser humano; encontra-se com frequência em “amido de milho resistente”. É quase certo que diferentes tipos de amido resistente têm efeitos ligeiramente diferentes na nossa flora intestinal, mas ainda não se sabe ao certo quais serão essas diferenças. De uma forma geral, os vários tipos de amido resistente agem de uma forma bastante similar (2).banana da terra

Onde se pode obter o amido resistente?

É possível obter amido resistente a partir dos alimentos. As fontes mais ricas de amido são as batatas cruas, bananas verdes, batatas cozidas e posteriormente arrefecidas, arroz cozido e posteriormente arrefecido, leguminosas cozidas e posteriormente arrefecidas. Também podemos obter amido resistente a partir de alguns tipos de farinhas.

As melhores fontes são a fécula de batata crua, farinha de banana verde e fécula de tapioca. O feijão mungo cru (não demolhado) também é uma boa fonte de amido resistente, bem como a farinha de feijão mungo. A forma mais fácil e rápida de obter amido resistente é ingerindo fécula de batata crua. Cada colher de mesa contem 8 gramas de AR.batata

Os benefícios do amido resistente

Tal como acontece com qualquer outro organismo, as bactérias que fazem parte da nossa flora intestinal necessitam de alimento e algumas fontes de alimento são melhores do que outras.

Pode-se afirmar que o amido resistente é o alimento preferido dessas bactérias. O amido resistente funciona de forma muito semelhante à fibra solúvel, e as investigações realizadas até hoje sugerem que:

Aumenta a produção de butirato. O amido resistente é o alimento preferido das bactérias benéficas responsáveis pela produção de butirato. Até promove uma maior produção de butirato do que outros prebióticos (3).

O consumo de amidos resistentes promove uma maior produção de butirato em quase todas as pessoas que o ingerem (4). O butirato é essencial para a saúde, por ser a principal fonte de energia das nossas células coloniais e podem ser responsáveis pela maioria dos outros benefícios relacionados com os AR.

Melhora a sensibilidade à insulina. Está comprovado que aumenta a sensibilidade à insulina, mesmo nos indivíduos que sofrem de síndrome metabólica (5, 6).

Melhora a integridade e funcionamento do sistema digestivo. O AR basicamente aumenta a hipertrofia do colón (7), tornando-o mais robusto e aumentando a sua funcionalidade. Também ajuda a impedir as endotoxinas de entrar na circulação (8) e reduz a síndrome do intestino permeável (9), que pode ter possíveis ramificações em alergias e condições autoimunológicas.

Diminui a resposta da glucose sanguínea aos alimentos. Algumas pessoas, especialmente diabéticos do tipo 2, evitam ingerir até as quantidades mais mínimas de carboidratos, devido aos níveis de glucose subirem em demasia quando estes são consumidos. O amido resistente diminui o pico de glucose pós-pandrial (10). Esta redução também se pode estender a refeições posteriores (11).

Reduz os níveis de açúcar no sangue em jejum. Este é um dos benefícios mais comentados do amido resistente e as investigações parecem suportar isso (12).

Aumenta a saciedade. Num estudo realizado há pouco tempo com seres humanos, a ingestão de uma dose elevada de amido resistente aumentou a sensação de saciedade e diminui a ingestão de comida subsequente (13).

Poderá eliminar bactérias “más”. Existem provas de que o amido resistente pode ser usado para tratar o crescimento exagerado de bactérias patogênicas, ligando-se a elas e expulsando-as através das fezes (14).

Também pode ser um tratamento eficiente contra a cólera quando adicionada à fórmula de re-hidratação administrada aos pacientes; a bactéria da cólera liga-se aos amidos resistentes de forma quase imediata até serem expulsas do corpo (15).

Potencia a absorção de magnésio. Isto acontece provavelmente porque o amido resistente melhora o funcionamento e a integridade dos intestinos (16).

Promove a perda de gordura. Foi comprovado que o amido resistente promove uma maior oxidação de gordura após as refeições (17).

Reduz a ansiedade. Várias investigações indicam que a nossa flora intestinal pode influenciar o funcionamento do nosso cérebro (18), e vários probióticos estão a ser investigados e explorados como agentes para reduzir a ansiedade (19).

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário