Os aminoácidos ramificados promovem a hipertrofia muscular?

Os BCAAs promovem a hipertrofia muscular?

Os BCAAs, compostos pelos aminoácidos Valina, Leucina e Isoleucina, são dos suplementos mais consumidos pelos praticantes de musculação, que acreditam que estes têm propriedades anabólicas.

Há várias décadas que os BCAAs representam um negócio multi-milionário para a indústria dos suplementos, e esta tem vindo a afirmar que essa combinação de aminoácidos promove um maior anabolismo através do aumento da síntese de proteína muscular.

Recentemente, um investigador decidiu rever a literatura existente e verificar se os BCAAs, por si só, realmente promovem o anabolismo em seres humanos.

Pontos importante a destacar

O seu artigo refere vários pontos importantes:

– A proteína muscular está num estado constante de reciclagem, o que significa que está constantemente a ser sintetizada nova proteína enquando as proteínas antigas estão a ser degradadas.

– O anabolismo muscular ocorre quando a síntese de proteína muscular excede a degradação de proteína muscular e isto resulta num aumento da massa muscular.

– Para a síntese de nova proteína muscular, é necessário que estejam presentes, nas quantidades adequadas, todos os 9 aminoácidos essenciais, juntamente com os 11 aminoácidos não essenciais que podem ser produzidos no organismo. Os aminoácidos ramificados (leucina, isoleucina e valina) fazem parte do grupo dos aminoácidos essenciais.

– Em jejum, uma vez que os aminoácidos essenciais não podem ser produzidos no organismo e ocorre libertação de aminoácidos essenciais a partir dos músculos, a única fonte de aminoácidos essenciais para a síntese de proteína são os aminoácidos intracelulares derivados da degradação de proteína muscular.

– A ingestão de uma mistura desequilibrada de aminoácidos, tal como os BCAAs, poderá estimular temporariamente a síntese de proteína, no entanto, as reservas endógenas de aminoácidos (plasma sanguíneo e reservas intracelulares), são muito limitadas e esgotam-se rapidamente.

– É impossível que a síntese de proteína muscular exceda o rácio de degradação de proteína muscular quando os precursores derivam inteiramente da degradação da proteína, e portanto, não pode ocorrer um estado anabólico na ausência de ingestão exógena de aminoácidos.

– Até hoje apenas foram realizados dois estudos em seres humanos, nos quais em se administraram BCAAs de forma isolada (via intravenosa) e em ambos observou-se uma redução do turnover da proteína muscular, no qual o rácio de degradação de proteína excedeu o rácio de síntese de proteína muscular, originando assim um estado catabólico.

– Em ratos, os BCAAs podem limitar o rácio para a síntese de proteína muscular e verificou-se que a sua ingestão aumenta a síntese de proteína muscular. Mas em seres humanos, o que limita a síntese de proteína muscular parece ser a disponibilidade de todos os aminoácidos essenciais e não a sinalização anabólica, como a induzida pela leucina e insulina.

– Apesar disso, os BCAAs podem potenciar a resposta anabólica da proteína dietética. Verificou-se que a adição de 5 g de BCAAs a 6,25 g de proteína whey aumentou a síntese de proteína muscular a um nível comparável à induzida por 25 g de proteína whey. Isto indica que um ou mais dos três aminoácidos ramificados (Leucina, Valina ou Isoleucina) poderão ser limitantes para a síntese de proteína muscular quando os restantes aminoácidos estão presentes nas quantidades adequadas ou que uma quantidade extra de BCAAs eleva o potencial para uma resposta anabólica do músculo à proteína dietética, através da ativação de fatores de iniciação.

O investigador afirmou:

Não existem evidências credíveis de que a ingestão isolada de um suplemento de BCAAs resulte numa estimulação da síntese de proteína muscular. Na verdade, a evidência existente indica que os BCAAs diminuem a síntese de proteína muscular.

Todos os aminoácidos têm que estar disponíveis em abundância para que o aumento da sinalização anabólica se traduza numa síntese acelerada da proteína muscular.

Resumo:

  • Um aumento da síntese de proteína muscular requer uma disponibilidade adequada de todos os aminoácidos precursores.
  • A fonte de aminoácidos essenciais para a síntese de proteína muscular no estado pós-absortivo é a reserva intracelular de aminoácidos livres.
  • Esses aminoácidos livres derivam da degradação de proteína muscular, por isso, a ingestão isolada de BCAAs não pode suportar um aumento da síntese de proteína muscular devido à ausência dos restantes aminoácidos essenciais.
  • Em seres humanos, são os aminoácidos essenciais que limitam a síntese de proteína muscular essenciais e não a sinalização anabólica.
  • Os estudos realizados em humanos demonstraram diminuições, em vez de aumentos, da síntese de proteína muscular após a ingestão de BCAAs.
  • A adição de BCAAs a uma quantidade de proteína aumenta o seu potencial anabólico.

Conclusão

Segundo este artigo, ingerir BCAAs em jejum é uma prática que não irá promover o anabolismo muscular, e pelo contrário, poderá originar um estado catabólico, pois é necessária a co-ingestão dos restantes aminoácidos essenciais, tal como acontece aquando da ingestão de uma proteína completa como a whey, clara de ovo, caseína, carne, etc.

Por outro lado, a adição de BCAAs a uma refeição contendo proteína, poderá favorecer um maior anabolismo e isso poderá ser interessante para aqueles que, por alguma razão, ingerem quantidades reduzidas de proteína.

Referência!

Avatar

Siga-nos através das redes sociais.