Atletas do sexo feminino lesionam-se com mais frequência do que os atletas masculinos

As atletas femininas apresentam taxas significativamente maiores de lesões músculo-esqueléticas específicas e condições médicas em relação aos atletas do sexo masculino, de acordo com o fisiologista do exercício Vicki Harber da “Faculty of Physical Education and Recreation” da “University of Alberta”.

De acordo com o seu relatório, dependendo do tipo de desporto, pode haver uma diferença de dois a seis vezes nesses tipos de lesões entre atletas masculinos e femininos. Isso porque muitos programas de treino desenvolvidos para atletas do sexo feminino são desenvolvidos com base em pesquisas realizadas com adultos jovens do sexo masculino e não têm em conta as diferenças biológicas intrínsecas biológicas entre os diferentes sexos.

Harber é a autora de um guia completo para treinadores, pais e administradores, intitulado “The Female Athlete Perspective”, e publicado pela “Canadian Sport for Life (CS4L)”, que aborda estas e outras questões médicas que influenciam a participação das mulheres no desporto.

O documento é baseado numa revisão exaustiva da literatura actual sobre o assunto, derivado do amplo conhecimento de Harber como investigadora da saúde das mulheres atletas e do seu trabalho no treino e desenvolvimento de atletas do sexo feminino.

As lesões músculo-esqueléticas, especialmente lesões de joelho e ombro, são as mais prevalentes, com maior probabilidade de ressurgimento, diz Harber, notando que muitos desses acidentes são evitáveis. É necessário e crítico, consciencializar sobre o suporte adequado para as jovens atletas do sexo feminino e das alterações necessárias e os programas de treino para ajudá-las a alcançar seu potencial atlético e pessoal, livre de lesões.

Harber descobriu o risco da tríade da mulher atleta – três condições distintas, mas inter-relacionadas:

  •  Desordem alimentar
  • Amenorreia
  • Osteoporose

Em relação à osteoporose, esta é outra área que precisa urgentemente de atenção para os jovens atletas do sexo feminino.

Esta investigadora afirma também que:

“Para as atletas do sexo feminino poderem progredir sem lesões, deve ser dada uma atenção especial à sua nutrição adequada para garantir tanto o desempenho atlético como o desempenho reprodutivo saudável associada a uma boa saúde óssea e bem-estar geral”.

Fonte!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.