As Azeitonas Melhoram a Composição Corporal

As azeitonas são um alimento milenar, de consumo vulgarizado na antiga Grécia e no tempo dos romanos.

São também um produto alimentar interessante pois, afinal de contas, é a matéria-prima a partir da qual se produz o azeite, o chamado “ouro líquido” pelos antigos gregos, e que faz parte integral da famosa dieta mediterrânica, com benefícios comprovados para a saúde.

Num estudo conduzido em 2016 por investigadores italianos, procurou-se determinar se as azeitonas têm compostos bioativos de interesse ou propriedades probióticas.

Para o efeito reuniram 25 voluntários saudáveis, com idades compreendidas entre os 18 e 65 anos, os quais consumiram 12 azeitonas verdes, durante 30 dias.

Estas azeitonas eram da variedade Nocellara del Belice e foram processadas numa solução que apenas continha sal, sem aditivos químicos.

Para além de uma série de análises bioquímicas, estes investigadores também avaliaram a composição corporal, no início e no final do estudo, de modo a registar possíveis mudanças em parâmetros antropométricos.

Nos resultados do seu estudo, estes autores reportaram um efeito de recomposição corporal. Mais precisamente, os voluntários perderem gordura (-5,7%), baixaram o seu peso corporal (-0,7%) e ganharam massa muscular (+2,9%).

Infelizmente, os investigadores que conduziram este estudo não descreveram qual foi o método usado para avaliar a composição corporal dos voluntários.

Relativamente aos mecanismos por detrás desta melhoria da composição corporal, os autores sugerem que o ácido linoleico conjugado (CLA), que está presente no azeite e nas azeitonas, poderá ser a molécula responsável pela diminuição da gordura corporal.

De notar que neste trabalho também se verificou que esta variedade de azeitonas tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, tendo-se registado diminuições significativas dos níveis de IL-6, uma molécula pró-inflamatórias, e de malondialdeído, um indicador de stress oxidativo.

Claramente, as explicações descritas neste estudo para as melhorias registadas na composição corporal são insuficientes.

Referência!

Nutricionista (CP: 4100N), licenciado em nutrição pela FCNAUP. È também doutorando em Ciências do Consumo Alimentar e Nutrição, na mesma faculdade.

Deixe um comentário