Ao aumento da ingestão de açúcares segue-se a tendência de ganho de peso

Ao aumento da ingestão de açúcares segue-se a tendência de ganho de pesoO ganho de peso em adultos coincidiu com o aumento do consumo de açúcares adicionados, num estudo publicado na “American Heart Association’s Nutrition, Physical Activity and Metabolism/Cardiovascular Disease Epidemiology and Prevention 2011 Scientific Sessions”. Os açúcares adicionados são os açúcares e xaropes adicionados aos alimentos durante a sua preparação, processamento ou na mesa.

Os pesquisadores analisaram a ingestão de açúcares adicionados e os padrões de massa corporal acima dos 27 anos, utilizando os dados recolhidos no “Minnesota Heart Survey”, um estudo de vigilância de adultos com idades entre 25-74 que viviam na região metropolitana de Minneapolis-St. Paul.

O consumo alimentar foi avaliado por um recordatório de 24 horas. O levantamento incluiu seis inquéritos que verificaram a dieta, altura e peso dos sujeitos. Os levantamentos foram realizados em 1980-82, 1985-87, 1990-92, 1995-97, 2000-02 e 2007-09.

Wang Huifen, MS, principal autor do estudo e um candidato ao doutoramento na Escola de Saúde Pública da Universidade de Minnesota, em Minneapolis, afirmou:

Há poucos dados disponíveis acerca de como a ingestão de açúcar está relacionada com o índice de massa corporal (IMC). Com as informações fornecidas, examinamos as tendências para o índice de massa corporal e da ingestão de alimentos e bebidas com adição de açúcares nos seis inquéritos. Nós analisamos essas tendências por sexo e faixa etária. O IMC mede o peso do corpo em relação à altura.

Os investigadores verificaram que:

A ingestão de açúcares adicionados aumentou juntamente com os níveis de IMC, em homens e mulheres.

Acima dos 27 anos, o consumo de açúcares adicionados aumentou entre homens e mulheres de todas as faixas etárias. Mas a ingestão de açúcares adicionados estabilizou entre as pesquisas de 2000-02 e 2007-09 em homens e mulheres.

O IMC médio estabilizou em mulheres, em paralelo com a ingestão de açúcares adicionados, no entanto, o IMC em homens continuou a aumentar, enquanto as calorias consumidas a partir de açúcares adicionados diminuiu 10,5 por cento no inquérito de 2007-09 em relação ao inquérito de 2000-02.

No inquérito de 2007-09, os homens consumiam cerca de 15,3 por cento das suas calorias diárias a partir de açúcares adicionados, o que representa um aumento de 37,8 por cento substancial em relação a 1980-82.

Entre as mulheres, o consumo de açúcares adicionados passou de 9,9 por cento do total de calorias em 1980-82 para 13,4 por cento do total de calorias em 2007-09.

Em todos os anos de inquérito, as mulheres consumiram menos açúcares adicionados do que os homens, enquanto os adultos mais jovens consumiram mais açúcares adicionados do que os adultos mais velhos.

Wang afirmou que:

O consumo de açúcares adicionados aumentou ao longo de 20 anos. Apesar de ter descido ligeiramente depois de 2000-02, o consumo de açúcares adicionados, manteve-se elevado entre os residentes estudados de Minnesota. Embora outros estilos de vida devam ser considerada como uma explicação para a tendência ascendente do IMC, os esforços de saúde pública devem aconselhar a limitar a ingestão de açúcar.

A American Heart Association recomenda que não ingira mais que metade das calorias discretas a partir de açúcares adicionados. As calorias discretas são “sobras” ou o que ainda resta do seu limite diário de calorias, depois de ter comido os tipos e as quantidades recomendadas de alimentos que você precisa para atender às necessidades de nutrientes, como frutas, legumes, carne, peixe e outros alimentos.

A adição de açúcares, bebidas alcoólicas e gorduras sólidas – incluindo gordura saturada e gordura trans – normalmente são considerados alimentos e nutrientes que podem ser seleccionados como calorias discretas. Por exemplo, a maioria das mulheres americanas não devem consumir mais de 100 calorias de açúcares adicionados por dia, a maioria dos homens, não mais que 150 calorias.

Wang afirmou:

São necessárias fortes evidências científicas para determinar se a ingestão de açúcares adicionados está relacionada ou promove o ganho de peso e outros factores de risco para as doenças cardiovasculares”.

“De acordo com o Relatório de 2010 do “Dietary Guidelines Advisory Committee”, também não é ainda claro se a relação entre o IMC e ingestão de açúcar é devido às calorias adicionais ou a adição de açúcares, por si só.

Fonte: Sciencedaily

Deixe uma resposta