antioxidantes suplementos ou alimentos

Antioxidantes: É melhor obtê-los em forma de suplementos ou alimentos? 1ª Parte

Os alimentos que ingerimos não nos proporcionam apenas nutrientes essenciais para a vida, mas também outros compostos bioativos, como por exemplo antioxidantes, importantes para a promoção de uma boa saúde e prevenção de doenças.

Dito isto, coloque-se a seguinte questão:

É possível obter esses mesmos benefícios ingerindo esses mesmos compostos de forma isolada, como através de suplementos?

A hipótese de que os antioxidantes presentes na dieta diminuem o risco de doenças crónicas tem sido desenvolvida a partir de estudos epidemiológicos que mostram de forma consistente que o consumo de alimentos completos, como frutas e legumes, está fortemente associado a um risco reduzido de doenças crónicas.

Portanto, é razoável supor que os cientistas ao identificarem os compostos bioativos responsáveis, esperem encontrar a “bala mágica” para evitar essas doenças crônicas. A questão-chave aqui é se um fitoquímico purificado tem o mesmo benefício para a saúde que o fitoquímico presente num alimento ou uma mistura de alimentos.

Acredita-se agora que os suplementos alimentares não têm os mesmos benefícios para a saúde que uma dieta rica em frutas e vegetais, porque, por si só, os antioxidantes individuais estudados em ensaios clínicos não parecem ter efeitos preventivos consistentes.

O composto isolado puro ou perde a sua bio-actividade ou não se comporta da mesma maneira que o composto em alimentos completos.

Por exemplo, numerosas investigações têm demonstrado que o risco de cancro está inversamente relacionado com o consumo de vegetais verdes, amarelos e frutas. Porque o β-caroteno está presente em abundância em esses vegetais e frutas, este tem sido extensivamente investigado como um agente preventivo do cancro, possível.

No entanto, o papel dos caratenóides como suplementos anticancerígenos foi recentemente posta em causa, como resultado de vários estudos clínicos (12). Num estudo, a incidência de cancro da pele não melanoma permaneceu inalterado em doentes que recebem um suplemento de β-caroteno (3).

Noutros estudos, os fumadores não obtiveram nenhum benefício com a suplementação de β-caroteno (4) com respeito à incidência do cancro do pulmão e, podem possivelmente, até terem sofrido um efeito nocivo, com um aumento significativo do cancro do pulmão e mortalidade total (5, 6).

Também tem sido demonstrado que a suplementação com vitamina C não diminui a incidência do cancro e doenças do coração (7, 8).

Os extratos fitoquímicos de frutas têm fortes capacidades  antioxidante e efeitos antiproliferativos e a combinação de fitoquímicos nas frutas e legumes é fundamental para as suas poderosas capacidades antioxidante e atividade anti-cancro (910).

Por exemplo, a atividade antioxidante total de fitoquímicos num 1 g de maçãs com a pele é equivalente a 83,3 mmol equivalentes de vitamina C, ou seja, o valor de antioxidantes de 100 g de maçãs é equivalente a 1500 mg de vitamina C.

antioxidantes frutas vegetais
A sinergia é o nome do jogo. É a combinação de fitoquímicos e outros nutrientes presente na/s fruta/s que proporciona benefícios para a saúde.

Este valor é muito mais elevado do que o atividade antioxidante total de 0,057 mg de vitamina C (a quantidade de vitamina C, presente em 1 g de maçã com a pele). Por outras palavras, a vitamina C presente nas maçãs contribuiu apenas para <0,4% da atividade antioxidante total (31).  Assim sendo, a maior parte da atividade antioxidante provém de fitoquímicos, e não da vitamina C.

A combinação natural de fitoquímicos presente nas frutas e vegetais, é responsável pela sua potente atividade antioxidante. Os extratos de maçãs também contêm compostos bioactivos que inibem o crescimento de células tumorais in vitro.

Os fitoquímicos presentes em 50 mg de maçã com a pele por mililitro (numa base seca), inibem a proliferação das células do tumor em 42%.

Os fitoquímicos presentes  em 50 mg de maçã sem pele por mililitro inibem a proliferação de células de tumor em 23%.

Os extratos de maçã com a pele diminuem significativamente a proliferação de células tumorais em comparação com os extratos de maçã sem pele.

Também foi estudada a atividade antioxidante total e as relações de sinergia entre as combinações de frutas diferentes, com resultados que mostram que as ameixas tiveram a maior atividade antioxidante e que as combinações de frutas resultaram numa maior atividade antioxidante que era aditiva e sinérgica.

Foi proposto que os efeitos aditivos e sinérgicos dos fitoquímicos presentes em frutas e vegetais, são os responsáveis pelas suas potentes atividades antioxidantes e anticancerígenas, e que os benefícios de uma dieta rica em frutas e vegetais são atribuídos à mistura complexa de fitoquímicos presentes nos alimentos completos (3133).

Isto explica em parte por que nenhum único antioxidante pode substituir a combinação de fitoquímicos naturais das frutas e vegetais na obtenção dos benefícios de saúde.

Existem ≈ 8000 tipos de fitoquímicos diferentes nos alimentos completos.

suplementos_antioxidantes
Os suplementos não conseguem proporcionar os mesmos benefícios para a saúde que os alimentos completos e não processados.

Estes compostos diferem em tamanho molecular, polaridade e solubilidade, e estas diferenças podem afetar a biodisponibilidade e a distribuição de cada fitoquímico em diferentes macromoléculas, organelos sub-celulares, células, órgãos e tecidos.

Os suplementos ou comprimidos simplesmente não podem imitar esta combinação equilibrada natural de fitoquímicos presentes em frutas e legumes.

Estes dados sugerem que, para melhorar sua nutrição e saúde, os consumidores devem obter os antioxidantes a partir de uma dieta diversificada e não de suplementos nutricionais caros, que não contêm a combinação equilibrada de fitoquímicos presentes em frutas e vegetais e outros alimentos completos.

Mais importante ainda, é pouco provável que a obtenção de antioxidantes a partir da ingestão de uma variedade de alimentos resulte num consumo de quantidades tóxicas porque os alimentos provenientes de plantas contêm muitos tipos diferentes de fitoquímicos em quantidades variáveis.

Para além disso, os benefícios para a saúde do consumo de frutas e vegetais vão para além da diminuição do risco de desenvolvimento de cancro e doenças cardiovasculares, o seu consumo também tem efeitos preventivos em outras doenças crónicas, como as cataratas, a degeneração macular, doenças neurodegenerativas e diabetes.

Não perca a segunda parte do artigo que irá ser publicada muito em breve.

Avatar

Siga-nos através das redes sociais.