Os anti-inflamatórios não esteroides interferem na hipertrofia muscular?

NSAIDsOs anti-inflamatórios não esteroides (NSAIDs) são medicamentos comummente usados para aliviar a dor, reduzir a inflamação e diminuir a febre.1,2

Estes fármacos atuam inibindo as enzimas ciclooxigenase (COX), as quais regulam a síntese de prostaglandinas,3 que são mediadores biológicos da dor e inflamação.3,4

Os principais tipos incluem o ibuprofeno, naproxeno, diclofenaco, celecoxibe, ácido mefenâmico, etoricoxibe, indometacina, aspirina (em doses elevadas).1

Os NSAIDs são frequentemente consumidos por atletas para aliviar a dor muscular de início tardio induzida pelo exercício e acelerar o processo de recuperação após a realização de exercício.5,6 No entanto, a evidência que suporta a existência desse efeito é ainda limitada.7,8

Os NSAIDS interferem nos ganhos de força e massa muscular?

Para além de estarem envolvidas na dor e inflamação, as prostaglandinas, mais especificamente as moléculas também intervêm noutros processos fisiológicos, incluindo no metabolismo proteico muscular.3,4 Desta forma, ao inibir a síntese de prostaglandinas, a ingestão de NSAIDs também pode modificar as respostas aguda e crónica ao treino resistido.3

Os estudos que avaliaram os efeitos dos NSAIDs na síntese de proteína muscular aguda (MPS) após o treino resistido geralmente mostraram resultados mistos, tendo a maioria dos estudos falhado em demonstrar efeitos detrimentais desses fármacos no anabolismo.7 No entanto, a maioria da evidência indica que os NSAIDs diminuem a atividade das células satélite.7

As células-satélite poderão ser extremamente importantes para as adaptações de hipertrofia induzidas pelo exercício uma vez que doam núcleos às miofibrilas para suportar o desenvolvimento muscular continuado.9

Por conseguinte, é possível que, embora a administração de NSAIDs não interfira na síntese de proteína muscular a curto prazo, a longo prazo poderia ser deletéria para o crescimento muscular ao interferir na capacidade de o tecido muscular expandir a sua capacidade síntese de proteínas necessárias para a reparação, remodelação e hipertrofia do tecido muscular esquelético.9

Entretanto, um estudo conduzido em indivíduos jovens não encontrou diferenças significativas entre a ingestão de 400 mg de ibuprofeno em dias de treino versus um placebo, após 6 semanas de exercício resistido.10

No entanto, mais recentemente, verificou-se que a administração de uma dose mais elevada de ibuprofeno (1200 mg/dia), uma dosagem mais frequentemente usada pela população atlética, durante um período de tempo mais longo (8 semanas), atenuou de forma significativa os ganhos de massa muscular nos quadríceps, em comparação com uma dose baixa de aspirina.11

Os investigadores observaram uma diminuição da regulação da citoquina pró-inflamatória IL-6 na condição ibuprofeno versus um aumento da regulação naqueles que tomaram aspirina,11 sendo que existe alguma evidência que sugere que a produção de IL-6 após o exercício promove efeitos anabólicos.9

Curiosamente, um estudo verificou que, em indivíduos idosos, a toma de NSAIDs conferiu um efeito hipertrófico positivo ao final de 12 semanas de treino resistido,12 o que poderá ser explicado pelo facto de os NSAIDs contrariarem a inflamação crónica tipicamente observada neste grupo populacional e que tem um efeito inibidor da síntese de proteína muscular.13

Pontos-chave

  • Os NSAIDs não parecem inibir a síntese de proteína muscular aguda. No entanto, podem inibir a atividade das células-satélite e, desta forma inibir a hipertrofia muscular a médio-longo prazo.7
  • Os efeitos anti-inflamatórios dos NSAIDs poderão diminuir o estado inflamatório crónico característico das populações idosas, promovendo desta forma a hipertrofia muscular nestes indivíduos.7,12,13
  • A ingestão de quantidades baixas de NSAIDs durante curtos períodos de tempo (400 mg em dias de treino) e no contexto de um programa estruturado de treino resistido, poderá não interferir de forma negativa nos ganhos de força e de massa muscular.10
  • A toma de quantidades mais elevadas de NSAIDs (1200 mg/dia) parece inibir a hipertrofia muscular e o aumento da força em indivíduos jovens.11

Clique para mostrar/ocultar as referências

  1. NSAIDs. In. https://www.nhs.uk: NHS; 2016.
  2. Laine L. Approaches to nonsteroidal anti-inflammatory drug use in the high-risk patient. Gastroenterology. 2001;120(3):594-606.
  3. Trappe TA, Liu SZ. Effects of prostaglandins and COX-inhibiting drugs on skeletal muscle adaptations to exercise. Journal of applied physiology (Bethesda, Md : 1985). 2013;115(6):909-919.
  4. Markworth JF, Cameron-Smith D. Prostaglandin F2α stimulates PI3K/ERK/mTOR signaling and skeletal myotube hypertrophy. American journal of physiology Cell physiology. 2011;300(3):C671-682.
  5. Alaranta A, Alaranta H, Helenius I. Use of prescription drugs in athletes. Sports medicine (Auckland, NZ). 2008;38(6):449-463.
  6. Warner DC, Schnepf G, Barrett MS, Dian D, Swigonski NL. Prevalence, attitudes, and behaviors related to the use of nonsteroidal anti-inflammatory drugs (NSAIDs) in student athletes. The Journal of adolescent health : official publication of the Society for Adolescent Medicine. 2002;30(3):150-153.
  7. Schoenfeld BJ. The use of nonsteroidal anti-inflammatory drugs for exercise-induced muscle damage: implications for skeletal muscle development. Sports medicine (Auckland, NZ). 2012;42(12):1017-1028.
  8. Connolly DA, Sayers SP, McHugh MP. Treatment and prevention of delayed onset muscle soreness. Journal of strength and conditioning research. 2003;17(1):197-208.
  9. Schoenfeld BJ. Non-steroidal anti-inflammatory drugs may blunt more than pain. Acta physiologica (Oxford, England). 2018;222(2).
  10. Krentz JR, Quest B, Farthing JP, Quest DW, Chilibeck PD. The effects of ibuprofen on muscle hypertrophy, strength, and soreness during resistance training. Applied physiology, nutrition, and metabolism = Physiologie appliquee, nutrition et metabolisme. 2008;33(3):470-475.
  11. Lilja M, Mandic M, Apro W, et al. High doses of anti-inflammatory drugs compromise muscle strength and hypertrophic adaptations to resistance training in young adults. Acta physiologica (Oxford, England). 2018;222(2).
  12. Trappe TA, Carroll CC, Dickinson JM, et al. Influence of acetaminophen and ibuprofen on skeletal muscle adaptations to resistance exercise in older adults. American journal of physiology Regulatory, integrative and comparative physiology. 2011;300(3):R655-662.
  13. Rieu I, Magne H, Savary-Auzeloux I, et al. Reduction of low grade inflammation restores blunting of postprandial muscle anabolism and limits sarcopenia in old rats. The Journal of physiology. 2009;587(Pt 22):5483-5492.

Avatar

Siga-nos através das redes sociais.